Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/41392

TítuloA avaliação da fluência oral em crianças do 3º ano do ensino básico com e sem necessidades educativas especiais: um estudo exploratório quantitativo
Autor(es)Martins, Inês Maria Pimenta da Silva
Orientador(es)Cruz-Santos, Anabela
Palavras-chaveFluência oral
Perturbações da fala
Avaliação
Ensino básico
Oral fluency
Speech disorders
Assessment
Elementary school
Data2015
Resumo(s)A importância da fluência oral no desenvolvimento da linguagem e posteriormente no desenvolvimento das competências de literacia, tem sido amplamente referida na literatura como crucial para o sucesso académico, comunicacional e emocional das crianças. Dada a relevância da temática da fluência, e com a finalidade de estudar a fluência oral em crianças de idade escolar, foram delineados os seguintes objetivos para esta dissertação: (1) a construção de um instrumento de avaliação da fluência oral (AFO); (2) avaliar e caracterizar a fluência do discurso segundo a tipologia e frequência ao nível das disfluências e segundo o débito, e (3) verificar a existência de relações nos resultados obtidos na fluência e na linguagem. Participaram neste estudo 77 crianças, com e sem Necessidades Educativas Especiais (NEE), dos 8 e os 9 anos, que frequentam o 3º ano do ensino básico, de um agrupamento escolar da região norte. Através da análise dos resultados obtidos verificou-se que: a) as crianças apresentam uma frequência de disfluências adequada segundo os parâmetros recomendados (<10 disfluências/100 palavras); b) as disfluências mais frequentes no discurso oral são as reformulações (R) (96,1%), as pausas preenchidas (PP) (88,3%), a repetição de palavras monossilábicas (RPM) (87%) e os prolongamentos (P) (81,8%); c) o débito é inferior (69,16 palavras/minuto) ao retratado na literatura internacional (115 a 165 palavras/minuto); d) existem diferenças, estatisticamente significativas, nas competências de linguagem e na fluência nas crianças com e sem NEE; e) as crianças com NEE que participaram neste estudo (9,09%) apresentam, em média, um débito inferior e uma frequência de disfluências superior, ao mesmo tempo que apresentam valores inferiores na linguagem; e f) identificou-se uma relação entre as componentes da linguagem (morfossintaxe e fonologia) e a fluência , demonstrando que, quanto mais apropriadas forem as competências linguísticas menor a probabilidade de ocorrência de disfluências. Relativamente à AFO, tanto a consistência interna dos itens que avaliam as disfluências (α=0,76), como a consistência interna dos itens relacionados com a velocidade de fala (α=0,75) é considerada boa/moderada. Assim, recomendamos o uso do AFO em estudos posteriores de análise e validação do instrumento, de forma a contribuir para uma identificação de problemas na fala e adequada intervenção o mais precocemente possível.
The importance of oral fluency in language development and in the development of literacy skills, has been reported in the literature as critical to academic success, communicational and emotional development of children. Given the relevance of the theme of fluency, and in order to study the oral fluency in children of school age, the following objectives for this thesis were outlined: (1) the development of an assessment instrument of oral fluency (AOF); (2) to assess and characterize fluency by type and frequency to the level of disfluencies and rate, and (3) verify the existence of relations between fluency and language. Participated in this study 77 children with and without special educational needs (SEN), from 8 to 9 years, who attend the 3rd year of primary school in the northern region. It was found that: a) the child presents appropriately disfluencies frequency according to the recommended parameters (<10 disfluencies / 100 words); b) the most frequent disfluencies in oral speech are reformulations (R) (96.1%), filled pauses (FP) (88.3%), the repetition of monosyllabic words (RPM) (87%) and prolongations (P) (81.8%); c) the debt is lower (69.16 words / minute) that portrayed in the international literature (115-165 words / minute); d) there are differences statistically significant, in language skills and fluency in children with and without special needs; e) children who participated in this study SEN (9.09%) have, on average, a lower rate, higher dysfluency frequency and lower values in the language, f) identified a relationship between the language components (phonology and morphosyntax) and fluency, demonstrating that the more appropriate language skills are the less the probability of occurrence of disfluencies. In relation to AOF, the internal consistency of items that assess the disfluencies (α = 0.76), as the internal consistency of items related to the speech rate (α = 0.75) is considered good/moderate. Thus, we recommend using the AFO in later studies for the validation of the instrument, and furthermore to contribute for the identification of speech problems and appropriate intervention as early as possible.
TipomasterThesis
DescriçãoDissertação de mestrado em Educação Especial (área de especialização em Dificuldades de Aprendizagem Específicas)
URIhttp://hdl.handle.net/1822/41392
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:BUM - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Inês Maria Pimenta da Silva Martins.pdf2,84 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis