Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/38427

TítuloEnsino, aprendizagem e avaliação no Ensino Superior: Perspetivas e práticas
Autor(es)Sá, Susana Emília Vaz de Oliveira e
Orientador(es)Alves, Maria Palmira
Data30-Jun-2015
Resumo(s)Com a Declaração de Bolonha (1999), a União Europeia desencadeou, por via legislativa, a reforma das Instituições de Ensino Superior (IES), visando a criação de um Espaço Europeu de Ensino Superior, com a finalidade de melhorar a qualidade dos processos de ensino-aprendizagem. Estes processos deveriam ter em conta os desafios de empregabilidade na sociedade contemporânea, sujeita a maior mobilidade, à renovação científico-tecnológica, à globalização económica e cultural e à facilidade de comunicação e de troca de informações. A finalidade de desenvolver competências profissionais responsabiliza as IES pela criação de oportunidades, oferecidas aos estudantes, nos domínios do conhecimento, das habilidades para usar conhecimentos e para colaborar com os pares na resolução de problemas, assim como pelas experiências de formação pessoal estruturada em torno da liberdade individual e da capacidade para autodeterminar eticamente a sua ação, seja a restrita ao campo profissional, seja a alargada à totalidade da cidadania. Assim, a melhoria dos processos de ensino-aprendizagem implica mudanças nos modos de ensinar, aprender e avaliar, reconstituindo os papéis do docente e do estudante. A reconstituição destes papéis consiste, em síntese, em o docente centrar o ensino na aprendizagem dos estudantes e estes em participar ativamente, desenvolvendo processos de reflexão e de autoavaliação das suas aprendizagens. A perspetiva de unidade e de interação dos domínios do ensino, da aprendizagem e da avaliação altera os modos mais tradicionais de organização do ensino, centrado no docente, e da avaliação da aprendizagem, centrada no produto, sumativa e pontual, para outros modos, subordinados à participação dos estudantes em todas as fases do processo de ensino-aprendizagem e avaliação. Daí que a ênfase posta na participação do estudante e na unidade de ensino, aprendizagem e avaliação faça dirigir as opções metodológicas do docente para os métodos ativos que envolvem os estudantes em atividades que potenciam aprendizagens significativas e pelo uso de formas de avaliação sistemática, formativas, integradas no processo de ensino-aprendizagem, com recurso ao feedback permanente, suscetível de responsabilizar os estudantes e os docentes pela melhoria da aprendizagem em devir. Esta investigação, de natureza qualitativa, integrada no Projeto AVENA1, tem como objetivos: contribuir, com as observações realizadas em sala de aula e as entrevistas a docentes e a estudantes, para descrever e conhecer a realidade atual das salas de aulas, quanto às formas como se ensina, como se avalia e como se aprende no Ensino Superior; compreender de que forma as práticas de ensino e de avaliação contribuem para a melhoria da aprendizagem; compreender as relações entre as variadas formas de avaliação e a aprendizagem dos estudantes. A observação de aulas foi realizada a duas docentes que lecionavam três unidades curriculares pertencentes a três cursos da mesma Instituição de Ensino Superior. Foram observadas 60 horas de aulas no segundo semestre de 2012/2013. Foi construída uma narrativa das três unidades curriculares, a partir da informação das grelhas de observação de aulas e das entrevistas realizadas às duas docentes e aos estudantes em focus group. Os grupos de estudantes eram constituídos por quatro e cinco estudantes. Para a análise da informação, recorremos ao software de análise qualitativa webQDA, para codificação e categorização dos dados. Os principais resultados revelam que, não dando ênfase às características específicas de cada UC analisada, poder-se-á concluir que estas aulas se pautam pela ausência de uma tradição de reflexão crítica entre estudantes e docentes sobre o ensino, reflexão que importaria incrementar para uma regulação e negociação colaborativas dos processos de ensino e de aprendizagem; a orientação estratégica do ensino voltado para o estudante implica, para o docente, a responsabilidade de promover ambientes de aprendizagem diversificados, flexíveis, suscetíveis de valorizarem a participação do estudante em todas as fases do processo, incluindo tarefas e atividades que desenvolvam competências cognitivas de nível superior e competências atitudinais orientadas por valores éticos; não poderemos descontextualizar a realidade das salas de aula da inserção na própria instituição de ensino, com todas as suas particularidades e normativos; os docentes esforçam-se para implementar estratégias motivadoras e metacognitivas do próprio saber, mas as turmas são excessivamente grandes, com níveis de preparação heterogéneos, dificultando a sua implementação; as metodologias de aprendizagem centradas na interação entre pares promovem a negociação da avaliação com a docente; a organização de aprendizagens com os pares revela-se com potencial para fomentar a participação e melhorar a aprendizagem dos estudantes, desde que seja acompanhada com formas eficientes de avaliação formativa e de monitorização do processo; o desenvolvimento de competências de autoavaliação e avaliação entre pares, além de extremamente importante para a aprendizagem, revela-se essencial para o posterior contexto profissional, fomentando a reflexão e a aprendizagem ao longo da vida. A autoavaliação implica um processo de reflexão por parte do estudante, preferencialmente durante as várias etapas da unidade curricular, centrando-se na aprendizagem e na experiência e caracterizando-se pela identificação dos padrões e critérios específicos relativos ao seu trabalho. A importância da formação pedagógica dos docentes das IES é valorizada como condição de melhoria da aprendizagem dos estudantes. A falta de reflexão crítica que acompanhe o fluir do processo de ensino-aprendizagem, e que a avaliação formativa poderia realizar, constitui um obstáculo para a introdução atempada das adaptações necessárias nos planos e nas estratégias usadas. Conhecer o impacto da aplicação de metodologias de aprendizagem ativa nas IES requer, não só a identificação da qualidade das competências aprendidas através da análise e interpretação dos resultados académicos dos estudantes, mas também o conhecimento dos seus efeitos no desempenho profissional futuro, através das perceções dos empregadores e dos próprios profissionais. Dado que o objetivo central do Ensino Superior é tornar os estudantes agentes ativos, autónomos e responsáveis pela sua própria aprendizagem, os docentes devem ser capazes de promover e aferir os processos de autorregulação e de autoeficácia dos estudantes. A importância da avaliação, da autoavaliação, da regulação e da autorregulação, para potenciar a aprendizagem determina a necessidade de controlar o uso e a qualidade destes processos pela meta-avaliação, no sentido de uma referencialização para o processo de ensino-aprendizagem.
With the Bologna Declaration (1999), the European Union began the reform of the Higher Education Institutions (HEI), aiming at creating an European Higher Education Area, to improving the quality of the teaching and learning processes. These processes should consider the challenges of employability in the nowadays society, submited to great mobility, to the scientific and technological renewal, to the economic and cultural globalization and to the communication and information exchange facility. The purpose of developing professional skills obliges HEI to give students various opportunities in the fields of knowledge, skills to use knowledge and to collaborate with peers in problem solving, as well as the experience of structured personal training around the individual freedom and the ability to selfdetermine ethically their action, either restricted to the professional field, or extended to the whole citizenship. Thus, the improvement of the teaching-learning processes implies changes concerning teaching, learning and assessment, reconstructing the roles of teacher and student. The reconstitution of these roles is, in short, focusing teaching on students learning and students actively participate, developing processes of reflection and self-assessment of their learning. The perspective of unity and interaction in the areas of teaching, learning and assessment changes the more traditional modes of organization of teaching, teacher-centered, and assessment of learning, focused on the product, summative and punctual, to other modes, related to the participation of students in all phases of the teaching-learning and assessment process. Hence the emphasis on student participation and on the learning unit, learning and assessment addresses the methodological teaching options to active methods that involve students in activities that foster meaningful learning and the use of forms of systematic assessment, integrated in the process of teaching and learning, using the constant feedback, susceptible to hold students and teachers by improving future learning. This qualitative research, integrated in the AVENA2 Project, aims to: contribute with the classroom observations and interviews with teachers and students to describing and understanding the current reality of the classes, concerning how to teach, how to evaluate and how to learn in Higher Education; understand how teaching and assessment practices contribute to the improvement of learning; understand the relationships between the diferente ways of students assessment and learning. The classroom observation was performed to two teachers who taught three curricular units belonging to three degrees of the same HEI. 60 hours of lessons were observed in the second semester of 2012/2013. A narrative of the three courses was writen, from the information of the observation grids and interviews to both teachers and students in focus group. Student groups had four or five students. For data analysis we use a software of qualitative analysis, webQDA, for coding and categorization data. The main results stand that, without considering the features of each UC analyzed, it may be concluded that these classes don’t have a tradition of critical thinking among students and teachers about teaching, and it would be increased towards a collaborative regulation and negotiation of teaching and learning processes; the strategic direction of teaching in the student, makes teacher, the one to promote diverse learning environments, flexible, improving student's participation in all phases of the process, including tasks and activities that develop high cognitive skills and attitudinal ones supported on ethical values; we can not separate the reality of the classrooms from the teaching institution itself, with all its peculiarities and laws; teachers try to implement motivational and metacognitive strategies of knowledge itself, but the classes are too large with highly variable levels of preparation, making difficult their implementation; learning methodologies focused on peer learning promote the negotiation of assessment among peers and teacher; the organization of learning with peers is able to encourage participation and improve student learning, if it is accompanied with efficient forms of formative assessment and process monitoring; the development of self-assessment and assessment skills among peers, is extremely important for learning, as well as for further professional context, centered in learning, improving reflexion and life long learning. Self-assessment involves a process of reflection by students, namely along the various phases of the curricular unit, focusing on learning and on experience and characterized by the identification of the specific standards and criteria linked to their work. The importance of pedagogical training of the IES teachers is valued as a condition of improvement student learning. The lack of critical reflection that follows the flow of the teaching-learning process, that formative assessment could carried out, becomes an obstacle to the timely introduction of the necessary adjustments to plans and strategies used. To knowing the impact of the application of active learning methodologies in IES requires not only the identification of the quality of skills learned through the analysis and interpretation of learning achievements of students, but also the knowledge of their effects on the future professional performance, by means of the perceptions of employers and professionals themselves. Since the main objective of higher education is to make students active, autonomous and responsible for their own learning, teachers should be able to promote and measure self-regulation processes and self-efficacy of students. The importance of assessment, self-assessment, regulation and self-regulation, to enhance learning determines the need to control the use and the quality of these processes by the meta-evaluation, towards a teaching-learning framework.
TipodoctoralThesis
DescriçãoTese de Doutoramento em Ciências da Educação - Especialidade de Desenvolvimento Curricular
URIhttp://hdl.handle.net/1822/38427
AcessorestrictedAccess
Aparece nas coleções:BUM - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Susana Emilia Vaz de Oliveira e Sa.pdf5,55 MBAdobe PDFVer/Abrir  Solicitar cópia ao autor!

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis