Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/37480

TítuloEstudo do efeito de prismas de base gêmea na perceção espacial
Autor(es)Couto, Luís Carlos Rodrigues
Orientador(es)Jorge, Jorge
Fernandes, Paulo Rodrigues
Data2015
Resumo(s)Em quase todos os desportos é necessário ter uma perfeita noção do espaço envolvente e também da localização dos objetos nesse mesmo espaço. O uso de prismas de base gêmea leva a uma aumento aparente da capacidade de adaptação o que deverá levar a uma melhor compreensão e mapeamento do meio envolvente. O efeito dos prismas influencia a perceção do ambiente envolvente, sendo esse efeito bastante investigado no sentido da reduzir a negligência de partes de campo visual e anomalias de postura. O aumento (ou não) do desempenho em determinadas tarefas, devido ao treino com o uso de prismas, é ainda desconhecido. Neste trabalho, foi comparada a pontuação inicial e a final obtida por 47 sujeitos (32 mulheres e 15 homens com idade média de 20.55 ± 1.43 anos) distribuídos por três diferentes grupos, que participaram no estudo. Essa pontuação foi obtida pelo lançamento de 10 dardos a um alvo a 3 metros de distância. A diferença entre os três grupos estava no treino a que foram submetidos: o primeiro grupo sem nenhum plano de treino, o segundo com um plano de treino e o terceiro grupo com o mesmo plano de treino mas utilizando óculos com prismas de base gêmea. Na comparação da pontuação, verificou-se que na segunda medida existia uma pontuação tendencialmente superior e uma diminuição do desvio padrão nos dois grupos que tiveram a fase de treino. O grupo que treinou com prismas obteve uma pontuação final superior em média 16,43 pontos (p=0,001) enquanto o grupo que treinou sem prismas melhorou em média 13,36 (p=0,009). O grupo que não treinou não obteve diferenças estatisticamente significativas entre as duas medidas. Em relação à lateralidade homónima verificou-se que, embora sem significância estatística, existe uma tendência para se obter melhores resultados após o treino com os óculos de prismas de base gêmea. Para a lateralidade cruzada o grupo que treinou com prismas apresentou em média 10,94 pontos a mais que o grupo que não treinou (p=0,048). Conclusões: O treino permite melhorar o rendimento obtido no desempenho da tarefa. Em geral, não existem diferenças significativas entre o treino com ou sem prismas mas em função do tipo de lateralidade verifica-se que para a cruzada, o treino com o uso de prismas leva à obtenção de uma pontuação mais alta.
In almost every sport you must have a perfect idea of the surrounding area as well as the location of objects in that space. The use of twin base prisms leads to an apparent increase adaptability, which should lead to a better understanding and mapping of the environment. The effect of the prisms influences the perception of the surrounding environment, and this effect is quite investigated towards reducing the negligence of parts of the visual field and posture abnormalities. The increase (or not) of the performance in certain tasks, due to the training with the use of prisms, is still unknown. We compared the initial and final scores obtained by 47 subjects (32 women and 15 men with a mean age of 20:55 ± 1.43 years) that, spread over three different groups, participated in the study. This score was obtained by the launch of 10 darts at a target at a distance of 3 meters. The difference between the three groups was in the training they underwent: the first group with no training plan, the second with a workout plan and the third group with the same workout plan but using glasses with twin base prisms. When comparing the score, it was found that in the second measure there was a somewhat higher score and a decrease in the standard deviation in both groups who had the training phase. The group that trained with prisms obtained a final score higher on average 16.43 points (p = 0.001) while the group that trained without prisms improved on average 13.36 (p = 0.009). The group that received no training did not have statistically significant differences between the two measurements. Regarding the homonymous laterality it was found that, although not statistically significant, there is a tendency to better results after training with twin base prisms glasses. For cross laterality the group that trained with prisms showed a score, on average, 10.94 points higher than those who did not train (p = 0.048). Conclusions: The training improves the performance obtained in the task. In general, there are no significant differences between training with or without prisms but depending on the type of laterality it appears that for the cross laterality, training with the use of prisms leads to a higher score.
TipomasterThesis
DescriçãoDissertação de mestrado em Optometria Avançada
URIhttp://hdl.handle.net/1822/37480
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:CDF - OCV - Dissertações de Mestrado/Master Thesis
BUM - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Luís Carlos Rodrigues Couto.pdf2,79 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis