Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/34530

TítuloEstudo da variação longitudinal da refracção central e periférica e dos componentes ópticos oculares em míopes adolescentes e jovens adultos
Autor(es)Dias, Ana Maria Fernandes de Pinho Lopes
Orientador(es)González-Méijome, José Manuel
Jorge, Jorge
Data19-Mai-2014
Resumo(s)A miopia é um defeito refrativo que nas últimas décadas têm vindo a ser considerada como um problema de saúde pública, tomando proporções de endemia especialmente nos países mais desenvolvidos e muito especialmente nas comunidades asiáticas. Em muitas situações, os valores de refração atingidos e a tensão que a retina sofre pelo crescimento do olho, levam ao aparecimento de situações patológicas graves. Muitos fatores têm sido considerados e milhares de estudos têm sido feitos, associando esses fatores ao aparecimento e progressão da miopia, quer de forma isolada, quer investigando a inter-relação entre eles. Mais recentemente, os fatores considerados de maior relevância na progressão da miopia estão associados ao tempo de execução de tarefas de perto, ao tempo que as crianças e jovens passam ao ar livre, e à discrepância entre os valores de comprimento axial periférico do olho e a refração respetiva levando a uma desfocagem periférica hipermetrópica. Sabe-se hoje também que a progressão da miopia não se faz de modo homogéneo ao longo da vida, e que a prevalência aumenta muito entre a idade infantil, na adolescência e nos jovens. O aparecimento de instrumentação com dispositivos especialmente adaptados permite atualmente obter medidas de biometria sem contacto, em crianças, o que agilizou o acompanhamento do crescimento ocular, central e periférico, relacionandoo com as medidas de refração respetivas. Com este trabalho pretendeu-se avaliar as alterações oculares refrativas e biométricas, centrais e periféricas, ocorridas durante um período de 18 meses, entre junho/agosto de 2011 e outubro/dezembro de 2012, comparando adolescentes e jovens, e relacionar essas alterações com o aparecimento e progressão da miopia. Os sujeitos selecionados foram submetidos a uma bateria de exames que permitiu determinar o estado refrativo central e periférico e o tamanho e posição de alguns componentes oculares, na posição central e periférica. De acordo com os protocolos internacionais acordados para este tipo de investigação, todos os exames cujos valores eram determinantes, foram feitos com cicloplegia. O primeiro objetivo deste trabalho foi determinar de que modo se alteram, ao longo de 18 meses, os parâmetros oculares de refração periférica, biometria periférica e rácio entre comprimento do olho e raio corneal periférico numa população de 2 grupos de análise compostos por 28 adolescentes e 24 jovens adultos estudantes universitários. Objetivos secundários foram estabelecer a fiabilidade das medidas em pacientes pediátricos por comparação com uma população de jovens adultos, a influência da cicloplegia no erro refrativo central e periférico, e ainda os rácios comprimento axial/raio de curvatura corneal, quer em visão central quer em vários graus de excentricidade. Pelos resultados obtidos podemos assim concluir que: - A alteração na refração periférica nos adolescentes é muito “harmónica” mantendo o paralelismo do perfil, enquanto nos jovens, se torna mais miópica. - Há diferenças substanciais entre adolescentes e jovens no astigmatismo oblíquo (J45) na zona temporal; - Existe maior curvatura da retina nos jovens do que nos adolescentes (retina mais “achatada”) porque o comprimento axial aumentou, mantendo-se comprimento temporal inalterado e o nasal com um ligeiro aumento; - Existe tendência para diminuição do atraso acomodativo, aproximação do PPC, diminuição de todas as reservas (particularmente as de BN), variação oposta em adolescentes (diminuição endofórica) e jovens (aumento endofórico) na foria horizontal. No geral tudo leva a uma situação mais “estressante” em VP e talvez uma menor capacidade de relaxamento. - Há um incremento significativo da Aberração Esférica em ambos os grupos apesar do curto espaço de tempo (1,5 anos); no entanto este não é um achado ligado à idade porque o ponto inicial e final é igual para os dois grupos; Com este trabalho foi possível mostrar que existem variações refrativas miópicas quer nos adolescentes quer nos jovens, que são acompanhadas por alterações do globo ocular maiores no grupo dos adolescentes. Estas alterações manifestam-se ao nível estrutural, refrativo e da qualidade ótica do olho. Este estudo é o primeiro a ser realizado envolvendo estes três domínios e aporta informação relevante que pode contribuir para melhor perceber as causas e as consequências da progressão da miopia na população caucasiana.
Myopia is a refractive problem that in last decades has come to be regarded as a public health problem of endemic proportions, especially in more developed countries and even most especially in Asian communities. In many situations, the values of refraction achieved and the tension that the retina suffers from eye growth, lead to the emergence of serious pathological situations. Many factors have been considered and thousands of studies have been made, associating these factors to the onset and progression of myopia, either in isolation or investigating the interrelation between them. More recently, the factors considered most relevant in myopia progression were associated with the time dispended in near tasks, the time that children and young adults spend outdoors, and the discrepancy between values of axial and peripheral length of the eye and peripheral refraction, leading to a peripheral hyperopia retinal blur. It is known today that the progression of myopia is not so homogenous throughout life, and that the prevalence increases greatly between children's age, teenagers and young adults. The development of instrumentation with specially adapted devices allows currently getting contactless biometric measures in children, which streamlined the monitoring eye growth, central and peripheral, in relation with the respective refractive measures. The purpose of this work was to evaluate the central and peripheral refractive and biometric changes, occurred during a period of 18 months between June-August 2011 and October/December 2012, comparing adolescents and young adults, and relate those changes with the onset and progression of myopia. The selected subjects underwent a battery of tests that determine the central and peripheral refractive state and the size and position of some of the eye components. According to the agreed international measures for this type of research, all the tests whose values were decisive were made with cicloplegia. The first objective of this study was to determine how change over the course of 18 months, the peripheral refraction, ocular biometry peripheral and eye length ratio and peripheral corneal radius in a population of 2 analysis groups composed of 28 children and 24 young university students. Secondary objectives were to establish the reliability of measurements in pediatric patients compared to a population of young adults, the influence of cicloplegia on central and peripheral refractive error, and axial length ratios/corneal curvature radius in central vision or in varying degrees of eccentricity. With the results obtained we can conclude that: -The change in peripheral refraction in children is very "harmonious" keeping the parallelism of the profile, while in young adults, became more myopic. -There are substantial differences among children and young people in the oblique astigmatism (J45) especially in temporal retina; -There is greater curvature of the retina in young people than in children (retina more "flattened") because the axial length grew but the temporal length remained and the nasal slightly increased; -There is a tendency to decline in accommodative LAG, PPC approach, reduction of all reservations (especially nasal ones), opposite variation in children (esoforia reduction) and young people (esoforia increment) in horizontal foria. Overall everything leads to a more stressful situation in VP and maybe a lower capacity for relaxing; -There is a significant increment of the spherical aberration in both groups despite the short time (1.5 years). However this is not a finding bound to age because the starting and ending point is the same for the two groups; With this work it was possible to show that there are refractive myopic changes either in children or in young adults, which are accompanied by changes in the eyeball, larger in the group of children. These changes are shown at the level of the structure, refractive and optical quality domains. This study is the first one involving these three aspects and brings relevant information regarding the causes and consequences of myopia progression in Caucasian population.
TipodoctoralThesis
DescriçãoTese de Doutoramento em Ciências
URIhttp://hdl.handle.net/1822/34530
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:BUM - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Ana Maria Fernandes de Pinho Lopes Dias.pdf4,26 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis