Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/23724

TítuloCaracterização do sistema visual em jovens atletas
Autor(es)Marques, Rui Jorge Ramoa
Orientador(es)Jorge, Jorge
Data2012
Resumo(s)Objetivos: Caracterizar o sistema visual de jovens atletas que praticam ténis e futebol regularmente, o tempo de reação e a dominância. Comparar os vários parâmetros entre as duas modalidades, pelo tipo de dominância, por erro refrativo, por idades e por anos de treino. Métodos: Avaliaram-se 76 atletas (60 homens e 16 mulheres), 49 praticantes de ténis e 27 de futebol, com idades compreendidas entre os 7 e os 19 anos (média 13,8 ± 3,6 anos). Mediu-se a todos os atletas acuidade visual em alto e baixo contraste, a refração objetiva com o Autorrefratómetro de Campo Aberto WAM‐5500 (Grand Seiko Co, lda, Hiroxima, Japão) e a subjetiva pelo método de Donders, as forias de longe (método da dissociação com prismas) e de perto (asa de Maddox). Mediu-se ainda a flexibilidade acomodativa para visão de longe (lentes +2,00D) e para perto (flippers ± 2,00D), a estereopsia (Randot Stereo Test), a visão das cores (teste de Ishihara) e o tempo de reação com régua e com um software informático (Reaction Time (v.1.0)). Resultados: Para valores de acuidade visual e refração consideraram-se apenas o valor do olho direito, uma vez que não se encontraram diferenças estatisticamente significativas entre os dois olhos. Verificou-se que os atletas estudados apresentam um valor de equivalente esférico ligeiramente hipermetropico (M= 0,03 ± 0,57 D). Entre os atletas de ténis e futebol encontraram-se diferenças estatisticamente significativas para a acuidade visual em alto contraste (p= 0,02), para a flexibilidade acomodativa em visão de longe (p= 0,02) e para o tempo de reação medido com a régua (p= 0,04). Não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre o tipo de dominância. Quanto as ametropias verificaram-se diferenças estatisticamente significativas para as forias de visão de longe (p= 0,03) e visão de perto (p=0,04) e no tempo de reação medido com a régua (p= 0,02). Relativamente à idade, observaram-se que existem diferenças entre os atletas com mais e com menos de 13 anos para a acuidade visual de alto contraste (p=0,01) e para o tempo de reação medido com régua (p=0,01). Quanto aos anos de treino, mais de cinco ou menos de cinco anos, verificaram-se que existem diferenças significativas para a acuidade visual de alto contraste (p= 0,02). Conclusões: A população de atletas estudados é menos míope que a população em geral. A acuidade visual em alto contraste e a flexibilidade acomodativa para visão de longe são os parâmetros com diferença significativa entre as duas modalidades desportivas. Tanto na amostra completa como no ténis e futebol a percentagem de dominância homónima é superior em relação à dominância cruzada. Os atletas emetropes e hipermetropes são mais exoforicos que os míopes. Os desportistas míopes têm melhor tempo de reação que os emetropes e hipermetropes.
Purpose: To characterize the visual system of young athletes practicing tennis and football regularly, their reaction time and their dominance. Compare the different parameters between the two modalities, the type of dominance by refractive error, by age and by years of training. Methods: We evaluated 76 athletes (60 men and 16 women), 49 tennis players and 27 soccer players, with ages between 7 to 19 years (mean 13.8 ± 3.6 years). It was measured every athlete visual acuity in high and low contrast, the objective refraction with the Wide Field Auto-Refractometer WAM-5500 (Grand Seiko Co., ltd, Hiroshima, Japan) and the subjective refraction using the method of Donders. It was also measured the far phorias (method of dissociation with prisms) and the near ones (Maddox wing). It was also measured the accommodative flexibility for distance vision (+2.00 D lenses) and for near (± 2.00 D flippers), also the stereoacuity (Randot Stereo Test), the color vision (Ishihara test) and the reaction time using the ruler and the computer software (Reaction Time (v.1.0)). Results: For the values of visual acuity and refraction we considered only the value of the right eye, since there are no statistically significant differences between the two eyes. It was found that the athletes have an equivalent spherical hyperopic value (M = 0,03 ± 0,57 D). We found a statistically significant difference between the tennis and soccer athletes for the high contrast visual acuity (p = 0.02), for accommodative flexibility vision (p = 0.02) and the reaction time measured with the ruler (p = 0.04). There were no statistically significant differences between the type of dominance. Concerning to the refractive conditions, there were statistically significant differences for the far phoria (p = 0.03) and near (p = 0.04) and reaction time measured with a ruler (p = 0.02). Regarding age, it was observed that there were differences between athletes with more and less than 13 years for the high-contrast visual acuity (p = 0.01) and the reaction time measured with a ruler (p = 0.01 ). Considering to the years of training, more than five or less than five years, it is apparent that there were significant differences for the high-contrast visual acuity (p = 0.02). Conclusions: The population of athletes studied is less myopic than the general population. The high-contrast visual acuity and accommodative flexibility for far vision are the parameters with significant difference between the two sports. In both the full sample as in tennis and football dominance percentage of homonymous is superior to the cross dominance. Emmetropic and hyperopic athletes are more exoforicos that myopic. The myopic athletes have better reaction time than the emmetropic and hyperopic.
TipomasterThesis
DescriçãoDissertação de mestrado em Optometria Avançada
URIhttp://hdl.handle.net/1822/23724
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:BUM - Dissertações de Mestrado
CDF - OCV - Dissertações de Mestrado/Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Rui Jorge Ramoa Marques.pdf4,73 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis