Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/9940

TitleAbordagem do tabagismo nos programas e manuais escolares portugueses ao longo das últimas cinco décadas
Author(s)Ferreira, Cláudia
Gonçalves, Artur
Carvalho, Graça Simões de
KeywordsManuais escolares
Tabaco
Issue dateDec-2009
PublisherUniversidade do Minho. Centro de Investigação em Educação (CIEd)
CitationPRECIOSO, J. [et al.], eds. – “Proceedings of the I International Conference on Smoking Prevention and Treatment, Braga, 2009” [CD-ROM]. Braga : CIEd, 2009. ISBN 978-972-8746-77-3.
Abstract(s)O tabagismo constitui um grave problema de saúde pública porque não sendo factor de risco apenas para o próprio fumador, também o é para aqueles que, não o sendo, se encontram expostos ao fumo passivo. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), anualmente cerca de 4,9 milhões de pessoas morrem, em todo o mundo, em resultado do tabagismo e, se a epidemia não for travada, a mesma organização estima que, em 2020/30, esse número chegará aos 10 milhões de pessoas por ano. Para a prevenção e combate ao tabagismo, a ciência e as instâncias nacionais e internacionais (ONU, OMS, UNICEF, UNESCO), reconhecem nas políticas educativas (programas e manuais escolares) e na escola, o mais poderoso instrumento para esse fim e o pilar onde se deve alicerçar toda a acção. Assim, procurou-se verificar a evolução dos níveis e paradigmas de abordagem à adição tabágica no campo da transposição didáctica: nos Programas Escolares e nos Manuais Escolares. Para tal, procedeu-se à análise de 13 programas escolares nacionais (dos 1º, 2º e 3º CEB e do Ensino Secundário), desde 1968 a 2006, e de 348 manuais escolares (Estudo do Meio, Ciências da Natureza, Ciências Naturais e Biologia), desde 1967 a 2007, tendo-se utilizado as grelhas de análise elaboradas no âmbito do Projecto Europeu “BIOHEAD-CITIZEN” (Biology, Health and Environmental Education for a Better Citizenship FP6-STEP, CIT2-CT-2004-506015; Carvalho, 2004). Da análise aos programas escolares portugueses, verificou-se que as primeiras referências explícitas sobre a problemática do tabaco surgem nos anos 70. As referências aos malefícios do tabaco vão aumentando progressivamente de reforma educativa para reforma educativa. Essas referências encontram-se definidas por ciclo de ensino e não por ano de escolaridade e os programas do ensino secundário são os que apresentam menos alusões ao tabaco. Quanto aos manuais escolares, constata-se que em geral, no plano da prevenção combate e ao tabagismo, estes conformam com o programa escolar que lhe está subjacente. Todavia, nota-se a o fraco inter-relacionamento modular/temático e ausência de articulação tanto transversal como horizontal. Conclui-se ainda que, tanto no domínio textual como icónico, as manuais dos anos de escolaridade iniciais fazem uma abordagem à problemática aditiva do tabaco alicerçada no modelo da Promoção da Saúde. No entanto, esta perspectiva, à medida que se avança nos anos de escolaridade e nos ciclos de ensino, vai-se deslocando para o modelo Biomédico, que é a matriz de referência nos manuais escolares de ensino secundário.
TypeConference paper
URIhttp://hdl.handle.net/1822/9940
ISBN978-972-8746-77-3
Publisher versionhttp://webs.iep.uminho.pt/sitetabagismo/TABAGISMO/proceedings/Actas_PDF_Finais/Fulltext_FreeCommunications/I_CIPTT_FullFree_15_ClaudiaFerreira_Artur_Graca.pdf
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CIEC - Textos em atas
DCILM - Livros de Actas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
I_CIPTT_Manuais 5 decadas.pdfArtigo85,68 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID