Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/71351

TitleAvaliação da capacidade de composto produzido industrialmente para remoção de paracetamol de águas
Author(s)Andrade, O. T.
Bettencourt, Ana Paula
Ramísio, Paulo J.
Bento, M. Fátima
Geraldo, Dulce
Proença, M. Fernanda R. P.
KeywordsÁgua
Paracetamol
Poluição
Issue dateNov-2019
CitationAndrade O., Bettencourt P., Bento F., Geraldo D., Ramísio P. J. AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DE COMPOSTO PRODUZIDO INDUSTRIALMENTE PARA REMOÇÃO DE PARACETAMOL DE ÁGUAS, XXV Encontro Galego-Portugues de Química, 2019
Abstract(s)O composto é um material produzido pela decomposição de matéria orgânica através de um processo denominado de compostagem. Neste processo ocorre uma estabilização da matéria orgânica, com formação de moléculas ricas em estruturas aromáticas contendo grupos hidroxilo e carbonilo [1]. Estas estruturas químicas, usualmente classificadas de substâncias húmicas, oferecem um enorme potencial para estabelecer interações intermoleculares. Esta potencialidade é altamente desejável, permitindo a sua utilização na construção de filtros para o tratamento terciário de águas residuais [2]. O paracetamol é um composto ativo amplamente utilizado como fármaco possuindo propriedades analgésicas e antipiréticas, sendo a sua administração feita em humanos ou animais, e posteriormente libertados no meio ambiente por várias vias. A ocorrência deste fármaco e seus metabolitos nas águas residuais é descrita como uma preocupação crescente, sendo nocivos para os organismos aquáticos e podendo mesmo apresentar riscos para a saúde humana [3]. Inserido no âmbito do projeto Res2ValHum [4], foi efetuado um estudo preliminar em batch onde se testou a remoção de paracetamol utilizando composto produzido industrialmente em túnel, a partir de resíduos urbanos provenientes de recolha seletiva. As soluções de paracetamol usadas tinham concentrações compreendidas entre 20 e 375 mg L-1 (C0) e as massas de composto testadas foram entre 0,5 e 4,5 g (mcomposto). Os ensaios foram realizados ao longo do tempo e monitorizados recorrendo a HPLC - DAD. Foi estudada a influência de parâmetros, como a concentração inicial de fármaco, a massa de composto, o pH e a presença de surfactantes (presentes em águas residuais, ?águas cinzentas?). Verificou-se que a percentagem de remoção depende da massa de composto e da concentração inicial de paracetamol. Os resultados reportados na Figura 1 foram calculados a partir das concentrações de paracetamol em solução medidas para um tempo de 60 min, Ceq (Concentração de equilíbrio).  
TypeAbstract
URIhttp://hdl.handle.net/1822/71351
Peer-Reviewedno
AccessOpen access
Appears in Collections:C-TAC - Comunicações a Conferências Internacionais
CDQuim - Comunicações e Proceedings

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
3235-XXV Encontro Galego-Portugues.pdf292,08 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID