Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/6958

TitleAs crenças, o discurso e a acção: as construções de crianças expostas à violência interparental
Author(s)Sani, Ana Isabel Martins
Advisor(s)Gonçalves, Rui Abrunhosa
Issue date25-Feb-2004
Abstract(s)O problema das crianças expostas à violência interparental constitui o tema central desta dissertação. A crescente consciência social e profissional relativamente ao problema do abuso infantil em geral e a maior atenção dada à coexistência de múltiplas situações abusivas num mesmo contexto têm contribuído para aumentar a visibilidade do fenómeno da vitimação indirecta de crianças (cf. capítulo I). É inequívoco o risco que enfrentam estas crianças quando expostas à violência na família, devendo a análise do impacto compreender o estudo das principais variáveis que podem mediar o conflito interparental e o ajustamento da criança, sendo os efeitos directos e indirectos perceptíveis a vários níveis (cf. capítulo II). Várias perspectivas teóricas tem documentado a existência de uma associação entre conflitos maritais e o ajustamento da criança, sendo que algumas destas, apoiadas em estudos empíricos, tentam explicar essa relação, olhando a eventuais mediadores, mecanismos e processos envolvidos (cf. capítulo III). O referencial teórico, mas também empírico nesta área têm contribuído para a sistematização de procedimentos de avaliação e para a organização da intervenção junto de crianças expostas à violência interparental (cf. capítulo IV). O concretização do nosso projecto de investigação (cf. capítulo V) pressupôs a construção, adaptação e validação de instrumentos de avaliação (cf. capítulo VI), que nos permitiram analisar se existem diferenças ao nível das crenças e percepções sobre a violência, entre crianças sem (GI) e com (GII) experiência de exposição à violência na família (cf. capítulo VII). Há entre os grupos diferenças claras nas percepções sobre os conflitos interparentais, todavia ao nível das crenças, o estudo aponta para pequenas dissemelhanças, somente naquelas com substrato sociocultural. Posteriormente, focámos estes e outros constructos psicológicos num estudo qualitativo, que pretendeu analisar em profundidade a vivência de duas jovens expostas durante vários anos à violência entre os pais (cf. capítulo VIII). Completámos essa análise qualitativa com um pequeno estudo que comparou as percepções das jovens e da sua mãe, quanto à experiência de exposição à violência das menores. O uso de outros informadores provou ser útil, quer para uma melhor avaliação do impacto quer para uma definição de áreas de intervenção, todavia as pequenas divergências encontradas ao nível das percepções consolidam a preferência pelos métodos de autorelato na obtenção de conclusões mais válidas sobre a experiência subjectiva das crianças expostas à violência interparental.
The problem of the children exposed to interparental violence is the central theme of this dissertation. The growing of social and professional conscience related to the problem of the infantile abuse in general and the largest attention given to the coexistence of multiple abusive situations in a same context have been contributing to increase the visibility of the phenomena of the indirect victimization of children (cf. chapter I). It is unequivocal the risk that these children face when exposed to the violence in the family, then the analysis of the impact must include the study of the main variables that can mediate the interparental conflict and the child's adjustment, and the direct and indirect effects being perceptive at several levels (cf. chapter II). Several theoretical perspectives have been documenting the existence of an association between marital conflicts and the child's adjustment, and some of these, based upon empirical studies, they try to explain that relationship, regarding the eventual mediators, mechanisms and involved processes (cf. chapter III). The theoretical and empirical support in this area have been contributing to the systemization of evaluation procedures and for the organization of the intervention near the children exposed to the interparental violence (cf. chapter IV). The materialization of our investigation project (cf. chapter V) involves the construction, adaptation and validation of evaluation instruments (cf. chapter VI), that allowed us to analyze if there exist differences at the level of the beliefs and perceptions on the violence, among children without (GI) and with (GII) the experience of being exposed to violence in the family (cf. chapter VII). Among the groups there are clear differences in the perceptions on the interparental conflicts, though at the level of the beliefs, the study points out for small differences, only in those with sociocultural substratum. Later, we focused on these and other psychological constructs in a qualitative study, that it intended to analyze thoroughly the experience of life of two young girls exposed for several years to the violence among the parents (cf. chapter VIII). We completed that qualitative analysis with a small study that compared the young girls and their mother perceptions, in regard to the child exposure to violence. The use of other informants proved to be useful, both for a better evaluation of the impact and for a definition of intervention areas, though the small divergences found at the level of the perceptions consolidate the preference for the self report methods in the obtaining of more valid conclusions about the subjective experience of the children exposed to the interparental violence.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de Doutoramento em Psicologia, Ramo do Conhecimento Psicologia da Justiça
URIhttp://hdl.handle.net/1822/6958
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
CIPsi - Teses de Doutoramento


Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID