Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/6522

TitleThe political economy of intergovernmental grants: evidence from Portugal
Other titlesA economia política das transferências intergovernamentais: evidência empírica para Portugal
Author(s)Veiga, Linda Gonçalves
Pinho, Maria Manuel
KeywordsGrants
Intergovernmental relations
Political economy
Portugal
Transferências
Municípios
Issue date2006
PublisherAsociación Galega de Ciencia Rexional (AGCR)
CitationREUNIÓN DE ESTUDIOS REGIONALES, 32, Ourense, España, 2006 – “Desarollo de regiones y euroregiones : el desafío del cambio rural”. [Ourense : Asociación Galega de Ciencia Rexional, 2006].
Abstract(s)We evaluate the impact of political forces in the allocation of intergovernmental grants in Portugal, as it matured from a young to an established democracy. We use a large and unexplored dataset covering all mainland municipalities from 1979 to 2002. Empirical results show that political variables condition the granting system, and that their importance changed over time. While political manipulation in the distribution of grants among municipalities seems to exist only in the early years of democracy, opportunistic effects are stronger in the latter years of the sample. We argue that the latter effect is due to a change in the political environment and to a lack of information on intergovernmental grants by voters.
O artigo analisa o impacto de factores políticos na distribuição das transferências do Governo para os municípios portuguesas e se este se alterou à medida que a democracia portuguesa se foi consolidando. É utilizada uma extensa e detalhada base de dados que cobre todos os municípios de Portugal continental, de 1979 a 2002. Os resultados empíricos revelam que os factores políticos condicionam a distribuição das transferências e que a sua influência se alterou ao longo do tempo. Enquanto manipulações políticas na afectação das transferências entre os municípios parecem existir apenas nos primeiros anos da democracia portuguesa, os aumentos das transferências em anos eleitorais são maiores na segunda metade do período temporal analisado. É argumentado que este último efeito se deve a uma alteração no ambiente político e à falta de informação dos eleitores sobre o processo de distribuição das transferências entre diferentes níveis de governo em Portugal.
TypeConference paper
URIhttp://hdl.handle.net/1822/6522
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:NIPE - Comunicações a Conferências

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ATVIII-1.pdf305,8 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID