Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/6465

TitleAcção e competência de acção em educação sexual: uma investigação com professores e alunos do 3.º ciclo do ensino básico e do ensino secundário
Author(s)Vilaça, Teresa
Advisor(s)Sequeira, Manuel Joaquim Cuiça
Jensen, Bjarne Brunn
Issue date11-May-2007
Abstract(s)Os adolescentes na escola ou fora dela (por exemplo no meio familiar, no grupo de pares ou imersos nos meios de comunicação de massa) têm que se situar num conjunto de mensagens, de condutas e de modelos ligados à sexualidade que são muitas vezes confusos e contraditórios. Os alunos estão muito sujeitos a percepções estereotipadas, idealizadas e fragmentadas sobre a sexualidade e, simultaneamente, sentem-se sexualmente estimulados e sem acesso aos recursos necessários para viver a sua sexualidade de uma forma responsável. O objectivo da educação sexual (ES) intencional é favorecer a integração harmoniosa da dimensão sexual da pessoa e, como consequência, a ES é entendida como uma vertente do processo global da educação e uma das componentes da promoção da saúde. Nesta investigação é argumentado que este objectivo é conseguido através do desenvolvimento da competência de acção dos alunos, o que significa desenvolver a sua habilidade para realizar acções reflexivas, individual ou colectivamente, e provocar mudanças positivas nos estilos de vida e/ou condições de vida que promovam a saúde sexual. Neste sentido, foi realizada uma investigação que envolveu três estudos complementares. No primeiro estudo, através de duas entrevistas semi-estruturadas, caracterizaram-se as práticas de ES dos professores (N=87) nas escolas e as associações entre as percepções sobre a sexualidade dos adolescentes e essas práticas dos docentes, e médicos (N=16) e psicólogos (N=5) que com eles colaboraram no distrito de Braga, e analisaram-se as eventuais necessidades de formação e as condições que era necessário criar nas escolas para se desenvolver no futuro projectos de ES orientados para a acção. Os resultados do primeiro estudo mostraram que: a ES era geralmente integrada nas áreas curriculares de natureza disciplinar e/ou não disciplinar; a maior parte dos projectos ou actividades tinha uma curta duração e só envolvia um pequeno número de alunos; os professores procuravam utilizar uma abordagem compreensiva para a educação sexual; só uma parte muito pequena de professores utilizava um processo de ensino orientado para a acção e participação dos alunos; havia um baixo grau de participação dos alunos nos projectos; pontualmente participavam colaboradores externos à escola no projecto; os pais colaboravam muito pouco na ES e a maior parte dos tópicos trabalhados na ES estava associada às percepções dos educadores sobre a sexualidade dos adolescentes da escola. O segundo estudo foi constituído por um grupo de professores de 16 escolas (N=86) e visou investigar como mudaram as concepções e as práticas dos professores durante a formação em serviço, de maneira a criar condições na escola que permitissem implementar um projecto de ES baseado na abordagem IVAM (investigação – visão – acção & mudança) com utilização das TIC, identificar e ultrapassar barreiras e interagir com colegas e outros profissionais enquanto trabalham com problemas reais. Este programa de formação envolveu quatro fases: diagnóstico, formação, aplicação da competência de acção e avaliação participativa durante o processo. As técnicas de investigação seleccionadas (questionário, observação participante, notas de campo, entrevistas individuais e de grupo, diários de aula online e e-fóruns de discussão) visaram a triangulação dessas técnicas e das inferências ou conclusões entre a investigadora e os professores participantes. Os resultados deste estudo mostraram que a maior parte dos professores aumentou os seus conhecimentos sobre a saúde sexual e a visão ampla e positiva de saúde; desenvolveu a sua competência de acção para implementar projectos de ES orientados para a acção e a participação dos alunos e aumentou a sua habilidade para lidar com as TIC de maneira a melhorar nos alunos o seu potencial para o uso do computador e a publicação e interacção online. O terceiro estudo integrou um grupo de alunos de 6 escolas (N=350) e pretendeu analisar como evoluiram os projectos de ES baseados na abordagen IVAM com uso das TIC para aumentar a participação dos alunos e a sua competência de acção. Todas as escolas que participaram no website foram utilizadas como vozes adicionais na investigação. As técnicas de pesquisa seleccionadas foram semelhantes às do segundo estudo, mas centradas no aluno. Os resultados deste estudo mostraram que os alunos: trabalharam as quatro dimensões do conhecimento orientado para a acção; usaram um conceito positivo e amplo da saúde sexual dentro do projecto; desenvolveram visões orientadas para as causas do problema; realizaram acções em parceria com especialistas que envolveram os pais e os colegas; a maior parte dos alunos percepcionou-se com um elevado grau de participação no projecto e a colaboração dos alunos online foi feita essencialmente com a publicação dos materiais do projecto e a interacção no Fórum Amizade (3º ciclo) e Sexualidades (3º ciclo e secundário). Considerando a sua dimensão participativa, os resultados desta investigação têm implicações a nível da formação de professores, da organização dos currículos e da gestão curricular.
Adolescents at school or outside of it (for example in the family environment, in peer groups or immersed in the mass media) have to position themselves in a group of messages, conducts and models connected to sexuality which are quite often confusing and contradictory. In the school community, some teachers understand students’ sexual reality and participate in their education. The students are really liable to stereotyped, idealised and fragmented perceptions regarding sexuality and they, simultaneously, feel sexually stimulated and without access to the necessary resources to live their sexuality in a responsible way. The objective of intentional sex education (SE) is to support the harmonious integration of each person’s sexual dimension and, consequently, SE is understood as a part of the global process of education and one of the components of health promotion. In this research it is discussed that this objective is achieved through the development of the students’ action competence, which signifies to develop their ability so as to carry out reflexive actions, individually or collectively, and to give rise to positive changes in lifestyles and/or living conditions which promote sexual health. In this sense, a research which involved three complementary studies was carried out. In the first one, through two semi-structured interviews, we intended to characterise the SE practices in the schools and the associations between the perceptions regarding adolescents’ sexuality and the teachers’ practices (N=87), as well as the doctors’ (N=16) and the psychologists’ (N=5) practices, who collaborated with them in the District of Braga, and analyse the eventual training needs and the conditions that should be created in the schools so as to develop participatory and action-oriented projects on sex education. The results of the first study revealed that: SE was generally integrated in the disciplinary curricular areas and/or in the nondisciplinary areas; most of the projects or activities had a short duration and only involved a small number of students; teachers tried to use a comprehensive approach in sex education; only a small part of the teachers used a participatory and action-oriented teaching process; there was a low level of students’ participation in the projects; timely, external collaborators to the school participated in the project; the parents collaborated very little in SE and most of the topics worked on in SE were associated with the educators perceptions regarding the sexuality of the students from the school. The second study was constituted by a group of teachers from 16 schools (N=86) and was aimed at investigating how teachers’ conceptions and practices change during the in-service training so as to create conditions in the school and implement a SE project based on the IVAC approach (investigation – vision – action & change) with the use of ICT, identify the barriers and overcome them and interact with colleagues and other professionals while working on real problems. This training programme involved four phases: diagnosis, training, application of action competence and participative assessment during the process. The investigation techniques selected (questionnaire, participatory observation, field notes, individual and group interviews, online class diaries and discussion e-forums) tended towards the triangulation of those techniques and the inferences or conclusions among the investigator and the participating teachers. The results of this study revealed that most of the teachers increased their knowledge regarding sexual health and the broad and positive vision concerning health; developed their action competence so as to implement participatory and action-oriented SE projects and increase their ability to deal with ICT in order to improve the students potential to use the computer and to publish and interact online. The third study integrated a group of students from six schools (N=350) and was aimed at analysing how the SE projects based on the IVAC approach with the use of ICT developed so as to increase students’ participation as well as their action competence. All the schools that participated on the website were considered as additional voices in the research. The investigation techniques selected were similar to the ones in the second study, but focussed on the student. The results of this study revealed that the students: worked on the four dimensions of action-oriented knowledge; used a positive and broad concept regarding sex education within the project; developed visions aimed at the causes of the problems; actions were carried out in partnership with specialists that involved the parents and the colleagues; most of the students perceived themselves as having a high level of participation in the project and the collaboration of the students online was essentially carried out with the publication of the projects’ materials and the interaction in the Friendship Forum (3rd cycle) and the Sexualities Forum (3rd cycle and secondary education). Considering its participative dimension the results of this research have implications in terms of the teachers’ training, the organisation of the curricula and curricular management.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de Doutoramento em Educação - Área de Conhecimento de Metodologia do Ensino das Ciências
URIhttp://hdl.handle.net/1822/6465
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
CIEd - Teses de Doutoramento em Educação / PhD Theses in Education

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TD_TVilaca05Dez.pdf28,63 MBAdobe PDFView/Open
anexo10.pdf169,26 MBAdobe PDFView/Open
anexo 11.pdf30,71 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID