Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/62658

TitleA origem oriental de Jacinto (sobre A cidade e as serras de Eça de Queirós)
Author(s)Sousa, Sérgio Guimarães de
KeywordsEça de Queirós
A Cidade e as Serras
Júlio Verne
Receção
Modernidade
Tecnologia
Cidade
Campo
Origem
Modernity
Technology
Country
City
Origin
Issue date2012
PublisherUniversidade de Santiago de Compostela (USC)
JournalMoenia
CitationSousa, S. G. de (2012). A origem oriental de Jacinto (sobre "A Cidade e as Serras" de Eça de Queirós)
Abstract(s)Em A cidade e as serras, publicado em 1901, Eça de Queirós apresenta-nos um singular protagonista com um não menos singular trajeto: Jacinto, milionário português radicado em Paris, a padecer de uma existência entediante, não obstante —e essa é que é a grande singularidade do herói — viver rodeado de tudo o que a tecnologia da época oferece, que vem a descobrir, afastado dos gadgets e da cidade, a felicidade de uma vida campestre simples em Portugal. Esta célebre personagem de Eça tem sido das mais estudadas. E bastante se tem discutido sobre a sua origem. Ora, não deixa de ser curioso ninguém ainda a ter confrontado com um protagonista de Júlio Verne. Refiro-me ao chinês, e também ele milionário, Kin-Fo, personagem principal de Les tribulations d’un chinois en Chine. Da comparação, ressaltam inegáveis pontos de contacto entre Jacinto e Kin-Fo, sobretudo o facto de o chinês, tal como o português, se achar a braços com um tédio shopenhaueriano; e, ponto fundamental, o facto de beneficiar da mesma tecnologia que se acha no 202, o apartamento parisiense de Jacinto. Dada a anterioridade da obra de Verne (1879), não custa a crer que Les tribulations d'un Chinois en Chine tenha servido de inspiração a Eça.
In A cidade e as serras, published in 1901, Eça de Queirós introduces a peculiar protagonist with a no less peculiar lifecourse: Jacinto, a Portuguese millionaire living in Paris and leading a boring existence despite his being surrounded by everything the technology of the time was discovering and could provide. Quite unexpectedly, Jacinto decides to leave all gadgets behind for a simple country life in Portugal. This celebrated character is one of the most studied characters ever penned by Queirós. Quite a lot has been said about his genesis. It is remarkable that nobody has ever associated Jacinto to any of those created by Jules Verne. I am thinking about the Chinese millionaire, Kin-fo, the main character in Les tribulations d’un chinois en Chine. Out of such a comparison, quite a lot of coincidences emerge primarily, that of sharing the same technology Jacinto enjoys in his 202, his Parisian apartment, as well as the most fundamental one: their shared shopenhauerian tedium. Since Verne’s novel precedes (1879) the one by Queirós, it would not be farfetched to consider Les Tribulations… to have influenced Queirós in his novel.
TypeArticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/62658
ISSN1137-2346
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CEHUM - Artigos publicados em revistas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
A Origem Oriental de Jacinto.pdf148,32 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID