Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/62559

TitleA questão dos erros sistemáticos nas previsões dos governos para a elaboração de documentos de política orçamental: o caso de Portugal
Other titlesThe question of systematic errors in government forecasts for the preparation of budget policy documents: the case of Portugal
Author(s)Ribeiro, Carla Cristina Simões
Advisor(s)Veiga, Linda Gonçalves
KeywordsConcelhos de finanças públicas
Enviesamento nas previsões macroeconómicas
Relatório do orçamento de estado
Bies in macroeconomic forecasts
Public finance councils
State budget report
Issue date2019
Abstract(s)As previsões macroeconómicas são parte integrante dos documentos de política orçamental, estas exprimem a avaliação da situação económica, no presente e as suas perspetivas futuras. Contudo, frequentemente, os governantes tentam ocultar o real estado económico do seu país. O recurso a previsões demasiado otimistas para as variáveis macroeconómicas, tem contribuído para a descredibilização dos governos de vários países, nomeadamente dos europeus, e pode ter contribuído para a ocorrência de défices, que muitas vezes têm uma resolução muito difícil. Em Portugal, este fenómeno tem-se vindo a verificar e várias podem ser as razões. Com esta investigação pretende-se entender, se existem razões económicas ou políticas que possam levar ao enviesamento nas previsões, ou se a entrada em vigor do Pacto de Estabilidade e Crescimento influenciou o enviesamento. Testaram-se vários métodos de estimação e resultou mais adequado o método das regressões aparentemente não relacionadas (SUR – Seemingly unrelated regression). Os resultados obtidos sugerem que, entre os anos de 1981 e 2017, os erros nas previsões do défice e da taxa de crescimento do PIB, foram influenciados não só pelo ciclo económico, como também por razões políticas, nomeadamente em anos de eleições as previsões foram mais otimistas. A entrada em vigor do Pacto de Estabilidade e Crescimento, também condicionou o enviesamento das previsões. Foi feito um alargamento do estudo de Portugal a mais países da União Europeia (Bélgica, Espanha, França, Irlanda e Reino Unido). Os resultados revelaram que, para o conjunto dos países, entre os anos de 1995 e 2017, os governos de esquerda fizeram previsões mais otimistas tanto do saldo orçamental como da taxa de crescimento do PIB. Todavia, a criação de Conselhos de Finanças Públicas, levou à diminuição do excesso de otimismo nos erros de previsão do saldo orçamental. O ciclo económico influenciou os erros nas previsões, sendo que, em anos em que o Hiato foi positivo isso se tornou mais notório.
Macroeconomic forecasts are an integral part of the budgetary policy documents, which express the assessment of the economic situation at present and its future prospects. However, it has often been noted that rulers try to hide the real economic status of their countries. Over-optimistic forecasts of macroeconomic variables have been increasing. This has led to the discrediting of governments in a number of countries, namely in European countries, and may be the cause of successive deficits, which often have a very difficult resolution. In Portugal, this phenomenon has occurred and several may be the reasons. This investigation intends to understand if there are economic or political reasons that could lead to biases in the forecasts, or if the entry into force of the Stability and Growth Pact influenced the biases. Several estimation methods were tested and the method of SUR - Seemingly unrelated regression considered to be the most appropriate. The results obtained suggest that, between 1981 and 2017, the forecasts errors in the deficit and GDP growth rate were influenced not only by the economic cycle but also by political reasons, namely in elections years the forecasts were more optimistic. The entry into force of the Stability and Growth Pact also led to bias in the forecasts. An extension of the study of Portugal to more EU countries (Belgium, France, Ireland, Spain and United Kingdom) was made. The results for the set of countries, between 1995 and 2017, showed that left-wing governments made more optimistic forecasts of both the budget balance and the GDP growth rate. However, the creation of the Public Finance Councils has led to a decrease in the over-optimism in the deficit forecasts errors. The economic cycle influenced the forecast errors, and in years in which the Output Gap was positive this became more notorious.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Economia
URIhttp://hdl.handle.net/1822/62559
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Carla+Cristina+Simoes+Ribeiro.pdf2,49 MBAdobe PDFView/Open

This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID