Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/61841

TitleEstado, contabilidade e governo eletrónico: uma análise acerca destas relações no Brasil
Author(s)Junior, Armando Lopes Dias da Fé
Advisor(s)Gomes, Delfina
Oliveira, Lídia
Issue date6-May-2019
Abstract(s)Although some governments have invested in the mechanization and automation of the state for several decades, it is from the 90s of the last century that this process intensifies and changes. Characterized by state digitization, this new phase supersedes the simple improvement of old processes and develops systems potentially capable of expanding public administration capacity, providing more and better services to taxpayers, and broadening the forms of control available to the State. This phenomenon, which has received the name of electronic government, can be analysed under different fields of knowledge because it derives from technological, social and political development. In this thesis, special attention was given to the new forms of communication and interaction. This potentially allows information to flow more freely between people and entities. This progress can be observed in the new forms used for the provision of information and services by the government directly to the citizen, by the capture and treatment of personal or financial information, by the creation of databases that consolidate information from diverse sources and in many other evident ways or not and are transverse to the hierarchical structure. Thus, this work investigates how State and Accounting relate and the impacts caused by the introduction of the e-government program of Brazil in this relation. It also seeks to identify the perceptions of accountants about this. To achieve these objectives, the work is developed with a theoretical and conceptual part, which involves a historical survey and a description of the institutional environment, and a second part, positivist, that aims to analyse the perception of accountants. The results obtained provide indications that the relationship between Accounting and the State has narrowed in the same direction since the 1920s, when the Income Tax was created and the organization of Public Accounting until the mid-1990s. of this relationship the obligation of the accounting bookkeeping of the companies by accountants, the standardization of the financial reports of compulsory disclosure under legal bases defined by the State and the primacy of formality. However, changes in legislation, tax structure, and the way the state captures and treats information signals a change in this relationship. Finally, through a questionnaire that obtained answers from 269 accountants from all regions of Brazil, it was possible to analyse the perceptions of the accounting class about egovernment. Accountants were asked about accounting or financial accounting systems of compulsory use for their professional activities. The results indicate that 72% of the respondents believe that the introduction of ICTs has been positive for the work of accounting professionals, although there has been an increase in responsibility, work and stress. Through the modeling of structural equations, a model of analysis that provides statistical support was developed. With the use of this technique, evidence was found that trust in the systems positively impacted the accountants' perception of electronic government. This mixed approach offered some of the elements needed to understand how the relationship between the State and Accounting has evolved with the introduction of the technological innovations adopted by the State, as well as indications of the importance of trust to the personal expectations and perceptions of accountants about this evolution.
Apesar de alguns governos investirem na mecanização e automatização do Estado há varias décadas, é partir dos anos 90 do século passado que este processo se intensifica e se transforma. Caracterizada pela digitalização do Estado, esta nova fase suplanta a simples melhoria de antigos processos e desenvolve sistemas potencialmente capazes de ampliar a capacidade da administração pública, de prover mais e melhores serviços aos contribuintes e de ampliar as formas de controle à disposição do Estado. Este fenômeno, que recebeu o nome de governo eletrônico, pode ser analisado sob diferentes campos do conhecimento pois decorre do desenvolvimento tecnológico, social e político. Nesta tese, foi dada especial atenção as novas formas de comunicação e interação. Isto potencialmente permite a informação fluir de maneira mais livre entre pessoas e entidades. Este progresso pode ser observado nas novas formas utilizadas para o fornecimento de informações e serviços pelo governo diretamente ao cidadão, pela captura e tratamento de informações pessoais ou financeiras, pela criação de bancos de dados que consolidam informações de diversas fontes e tantas outras formas, evidentes ou não e que são transversais à estrutura hierárquica. Assim, este trabalho investiga como o Estado e a Contabilidade se relacionam e os impactos causados pela introdução do programa de governo eletrônico do Brasil nesta relação. Busca ainda identificar a percepção dos contabilistas acerca disto. Para atingir estes objetivos, o trabalho é desenvolvido com uma parte teórica, conceptual, que envolve um levantamento histórico e uma descrição do ambiente institucional, e uma segunda parte, de cunho positivista, que visa analisar a percepção dos contabilistas. Os resultados obtidos oferecem indícios de que o relacionamento da Contabilidade com o Estado se estreita por um mesmo sentido desde os anos vinte do século XX, quando da criação do Imposto de Renda e da organização da Contabilidade pública, até meados dos anos 90. Foram caraterísticas deste relacionamento a obrigatoriedade da escrituração contábil das empresas por contabilistas, a padronização dos relatórios financeiros de divulgação compulsória sob bases jurídicas definidas pelo Estado e a primazia da formalidade. Contudo, as mudanças ocorridas na legislação, na estrutura fiscal tributária e na forma como o Estado captura e trata as informações sinalizam uma mudança nesta relação. Por fim, através de um questionário que conseguiu respostas de 269 contabilistas de todas as regiões do Brasil foi possível analisar as percepções da classe contábil acerca do governo eletrônico. Os contabilistas foram inquiridos sobre sistemas de escrituração contábil ou financeiras de uso compulsório para as suas atividades profissionais. Os resultados apontam que 72% dos respondentes acreditam que a introdução das TICs foi positiva ao trabalho dos profissionais da Contabilidade, ainda que se tenha notado um aumento de responsabilidade, trabalho e stress. Por meio da modelagem de equações estruturais, desenvolveu-se um modelo de análise que provê suporte estatístico. Com a utilização desta técnica foram encontradas evidências de que a confiança nos sistemas impactou positivamente a percepção dos contadores sobre o governo eletrônico. Esta abordagem mista ofereceu alguns dos elementos necessários para a compreensão de como o relacionamento entre o Estado e a Contabilidade tem evoluído com a introdução das inovações tecnológicas adotadas pelo Estado, assim como, indícios da importância da confiança para as expectativas e percepções pessoais dos contabilistas sobre esta evolução.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de Doutoramento em Contabilidade
URIhttp://hdl.handle.net/1822/61841
AccessEmbargoed access (2 Years)
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
EEG - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Armando Lopes Dias da Fe Junior.pdf
  Until 2021-05-06
7,72 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID