Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/61570

TitleDyad’s power dynamic and client’s self positions throughout the therapy: a case study
Other titlesDinâmica de poder na díade e as posições do self do cliente ao longo da terapia: um estudo caso
Author(s)Valente, Teresa Isabel Guerreiro
Advisor(s)Ribeiro, Eugénia
Pinto, Dulce Patrícia Vale Vasconcelos
KeywordsChange
Dialogical self
I-positions
Self
Mudança
Posições I
Self-dialógico
Issue date2019
Abstract(s)In the theory of the dialogical self, the self is conceptualized in terms of a dynamic multiplicity of relatively autonomous I-positions that suffer influences from the historic-cultural environment and relationships the individual possesses. Moreover, the “I” is capable of fluctuating among different and even opposed positions. This way, dialogical relations between positions can be created. The I-I position is focused on the individual and has an “active” form towards the world. Contrary, the IMe position focus is more on the outside world and has a more “passive” form. The main objectives of this dissertation were exploring, if the client´s discourse changed throughout the therapeutic sessions, that is, if he moved from an I-Me position to an I-I position; if the therapist facilitates the emergence of new positions in the client; and which power dynamic is present during the course of the therapy. The results obtained suggest that the therapist seems to facilitate the emergence of new positions, which supports the result that proposes that there is a tendency, of the client, to move gradually towards an I-I position, although the I-Me position is heavily present. The results also suggest that there is an asymmetric relationship between the therapeutic dyad.
Na teoria do self-dialógico, o self é conceptualizado como uma multiplicidade de posições “I” relativamente autónomas, que sofrem influências tanto do meio histórico-cultural onde o indivíduo está inserido, como das relações interpessoais que este possui. Ademais, o “I” tem a capacidade de oscilar entre posições, mesmo estas sendo opostas. Devido a isto, podem ser criadas relações dialógicas entre posições. A posição I-I é mais focada no indivíduo, adotando uma posição mais “ativa” face ao mundo, contrariamente, a posição I-Me adota uma forma mais “passiva” face ao mesmo. Os principais objetivos da presente dissertação foram explorar se o discurso do cliente mudava ao longo das sessões terapêuticas, ou seja, se o cliente passava de uma posição I-Me para uma posição I-I; se o terapeuta facilita a emergência de novas posições no cliente; e qual a dinâmica de poder presente durante o curso da terapia. Os resultados obtidos demonstram que terapeuta parecer facilitar a emergência de novas posições, o que vem apoiar o resultado que sugere que existe uma tendência do cliente para, gradualmente, evoluindo para uma posição I-I, apesar da posição I-Me estar fortemente presente. Os resultados sugerem ainda uma assimetria a, nível de poder, entre o terapeuta e o cliente.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado integrado em Psicologia
URIhttp://hdl.handle.net/1822/61570
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado Integrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_Teresa+Isabel+Guerreiro+Valente_A73898_04-06-19.pdf2,01 MBAdobe PDFView/Open

This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID