Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/1822/59933

TitleImpacto da crise na concessão de crédito em Portugal e os seus efeitos consoante a dimensão dos bancos
Author(s)Guimarães, Mónica Cristina Andrade
Advisor(s)Monteiro, Natália P.
KeywordsCrédito
Crise
Estrutura bancária
Dimensão
Portugal
Credit
Crisis
Banking structure
Size
Issue date2018
Abstract(s)Este estudo investiga o impacto da crise na concessão de crédito em Portugal, e os seus efeitos consoante a dimensão dos bancos. Especificamente, averigua se a crise, que inclui a crise financeira e a crise de dívida Pública, têm um impacto direto na oferta de crédito, ou se por via das características específicas dos bancos, definidas na literatura empírica como determinantes do crédito bancário. Ao mesmo tempo observa-se estes mesmos efeitos, distinguindo bancos de pequena e grande dimensão. Utilizou-se um painel de 286 observações que contem as variáveis que afetam o volume de crédito concedido, nomeadamente a dimensão do banco, o risco de crédito, os depósitos básicos, o capital, a securitização, a liquidez e a crise, no período compreendido entre 2003 e 2013. O período em análise divide-se em período pré-crise (2003-2007) e período de crise (2008-2013) para se estabelecer comparações. A especificação das variáveis baseou-se principalmente no modelo de Gambacorta e Marques-ibanez (2011), mas também noutros estudos empíricos analisados e relevantes para o estudo. Os resultados sugerem que a crise não tem um impacto direto no volume de crédito concedido em Portugal. Relativamente às características específicas dos bancos, a dimensão, os depósitos básicos e a atividade de securitização explicam e contribuem positivamente para a concessão de crédito em Portugal, antes da crise. Na presença de crise, todas as variáveis são relevantes para explicar o volume de crédito concedido. Apenas o risco de crédito e a liquidez contribuem negativamente para a oferta de empréstimos. Verifica-se também uma diferença estrutural ao nível da dimensão. Numa análise ao período de crise, os resultados indicam que a securitização e os depósitos contribuem positivamente para a oferta de crédito tanto para os bancos pequenos como para os bancos grandes. O capital e o risco de crédito são variáveis apenas relevantes para os bancos de grande dimensão. A liquidez não explica a concessão de crédito para nenhum dos bancos.
This study investigates the impact of the crisis on credit grants in Portugal, and its effects according to the size of the banks. Specifically, it examines whether the crisis, which includes the financial and public debt crisis, has a direct impact on the supply of credit, or if through the specific characteristics of banks, defined in the empirical literature as determinants of bank credit. At the same time, these same effects are observed, distinguishing between large and small banks. A panel of 286 observations was used, which contained the variables that affect the volume of credit granted, namely the size of the bank, credit risk, basic deposits, capital, securitization, liquidity and crisis, in the period understood between 2003 and 2013. In order to establish comparisons, the period under analysis was divided between the pre-crisis period (2003-2007) and the crisis period (2008-2013). The variables specification was based mainly on the model of Gambacorta e Marques-ibanez (2011), but also in other relevant empirical studies. The results suggest that the crisis does not have a direct impact on the volume of credit granted in Portugal. Regarding the specific characteristics of the banks, the size, the basic deposits and the securitization activity explain and contribute positively to the credit concession in Portugal in the period before the crisis. In the presence of crisis, all variables are relevant to explain the volume of credit granted. Only credit risk and liquidity contribute negatively to the supply of loans. It is verified a structural difference in dimension. In the analysis of the crisis period, the results indicate that securitization and deposits contribute positively to the supply of credit for both small and large banks. Capital and credit risk are only relevant variables for large banks. Liquidity does not explain the granting of credit to any of the type of banks.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Economia Monetária, Bancária e Financeira
URIhttps://hdl.handle.net/1822/59933
AccessRestricted access (UMinho)
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado
EEG - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Mónica Cristina Andrade Guimarães.pdf
  Restricted access
2,7 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID