Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/59587

TitleO segundo ecrã e a informação: história, definição e pistas para um futuro
Other titlesSecond screen and information: history, definition and clues for the future
Author(s)Conrado Filho, Francisco
Santos, Luís António
KeywordsSegundo ecrã
Jornalismo interativo
Social TV
Consumo de notícias
Second Screen
Interactive Journalism
Social TV
News consumption
Issue date2015
PublisherUniversidade do Minho. Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS)
JournalComunicação e Sociedade
CitationConrado Filho, F. & Santos, L. A. (2015). O segundo ecrã e a informação: história, definição e pistas para um futuro. Comunicação e Sociedade, 28, 191 – 210. DOI: 10.17231/comsoc.28(2015).2277
Abstract(s)Enquadrada por uma expansão do mercado tecnológico vocacionado para a disponibilização de informação em cenário de mobilidade, surgiu, em anos recentes, a chamada tecnologia de Segundo Ecrã (Second Screen). A sua crescente popularidade, seguida de um aumento exponencial do investimento por parte de grandes operadores televisivos, conduziu a uma diversificação dos seus serviços. Uma análise da oferta existente mostra-nos que a sua potencialidade está a ser associada, principalmente, a produtos de entretenimento e comércio eletrónico. Mas para onde caminha o futuro desta tecnologia? Neste artigo, refazem-se os caminhos deste fenómeno do Segundo Ecrã por meio de uma breve perspetiva histórica; a seguir, propõe-se uma tentativa de definição e construção de modelo teórico do seu funcionamento e, por último, aponta-se um possível ponto de convergência estrutural com o jornalismo — uma interseção ainda não explorada e com grande potencial de apropriação.
Framed by the expansion of a mobility centred technological market, Second Screen applications have become increasingly relevant in recent years. This popularity and the adjoined increase in investment by major TV operators have promoted a broad range of services. A preliminary analysis of the current offering suggests that entertainment and e-commerce products are the most common type of Second Screen apps available. The research question of this paper is thus ‘where will these developments take us?’. We will map out the historical background of Second Screen apps, propose a tentative definition and theoretical model for its functioning, and indicate possible convergence points with the journalistic production – an intersection point yet to be explored and with potential for appropriation.
TypeArticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/59587
DOI10.17231/comsoc.28(2015).2277
ISSN1645-2089
e-ISSN2183-3575
Publisher versionhttp://revistacomsoc.pt/index.php/comsoc/article/view/2277
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CECS - Artigos em revistas nacionais / Articles in national journals

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2015_Conrado_Santos_Segundo-ecra_PT.pdfVersão portuguesa502,7 kBAdobe PDFView/Open
2015_Conrado_Santos_Segundo-ecra_EN.pdfEnglish version472,72 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID