Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/59490

TitleMargaritifera margaritifera em Portugal: principais ameaças à sua conservação
Other titlesMargaritifera margaritifera in Portugal: principal threats to its conservation
Author(s)Ferreira, André Luís Oliveira
Advisor(s)Sousa, Ronaldo Gomes
Teixeira, Amílcar António Teiga
Issue date2018
Abstract(s)Os ecossistemas de água doce enfrentam atualmente uma série de ameaças relacionadas com as atividades humanas que comprometem o seu funcionamento e biodiversidade. Muitas espécies de água doce estão em declínio podendo a extinção ser o desfecho final. Um grupo faunístico que tem suscitado grande preocupação é o dos moluscos de água doce, particularmente os mexilhões da ordem Unionida. Na Europa, o mexilhão-de-rio Margaritifera margaritifera (Linnaeus, 1758) é um exemplo de uma espécie em rápido declínio devido à complexidade do seu ciclo de vida e da sua sensibilidade às perturbações humanas. Os cursos de água em estudo, os Rios Rabaçal, Mente e Tuela, são os ecossistemas em território português que possuem as populações de M. margaritifera com maior abundância e com sinais de recrutamento recente. Contudo existem duas ameaças que podem por em risco a futura sobrevivência desta espécie: a perda e fragmentação do habitat, por meio da edificação de barragens ao longo dos rios e a introdução recente do lagostim-sinal Pacifastacus leniusculus (Dana, 1852). Neste estudo ficou comprovado que as barragens provocam alterações fulcrais no que diz respeito às condições físico-químicas (mudanças na granulometria do sedimento e matéria orgânica, velocidade da corrente, temperatura da água e dos níveis de oxigénio dissolvido) ideais para a manutenção da espécie bivalve em estudo. As abundâncias médias de mexilhão-de-rio registadas a montante das barragens são significativamente superiores às verificadas quer na zona de retenção da barragem quer a jusante. Para além disso, os indivíduos encontrados nas barragens e a jusante enfrentam um envelhecimento preocupante, pelo facto de os juvenis aí encontrados serem praticamente nulos. Verificou-se também que o lagostim-sinal é um predador efetivo do mexilhão-de-rio, causando morte ou danos nas suas conchas o que pode afetar a sua abundância e o fitness dos indivíduos predados. Existe também uma clara relação entre o aumento da percentagem de indivíduos predados de M. margaritifera com o aumento da abundância de P. leniusculus. As populações de M. margaritifera estudadas têm grande importância de conservação. É necessário implementar medidas de conservação que diminuam ao máximo as consequências destas duas ameaças, como por exemplo, uma melhor gestão do caudal dos rios e efetuar capturas regulares de forma a controlar (ou mesmo erradicar) o lagostim-sinal.
Freshwater ecosystems currently face a wide range of threats related to human activities that compromise their functioning and biodiversity. Many freshwater species are in decline and extinction may be the ultimate outcome. A faunal group that is especially threaten comprises the freshwater mollusks, particularly mussels of the order Unionida. In Europe, the freshwater pearl mussel Margaritifera margaritifera (Linnaeus, 1758) is an example of a species in rapid decline due to the complexity of its life cycle and sensitivity to human disturbances. Rivers Rabaçal, Mente and Tuela are the ecosystems in Portuguese territory that have the most abundant and healthy (with signs of recruitment) populations of M. margaritifera. However, there are two threats that may compromise the future survival of this species: habitat loss and fragmentation due to the construction of dams along the rivers and the recent introduction of the signal crayfish Pacifastacus leniusculus (Dana, 1852). In this study it was verified that dams are responsible for crucial modifications in the physicochemical conditions (changes in the granulometry of sediment and organic matter, current velocity, water temperature and dissolved oxygen) ideal for the maintenance of M. margaritifera. The average abundance of freshwater pearl mussels recorded upstream the dams is significantly higher than in the reservoir area or downstream. In addition, the individuals found in the reservoir and downstream face acute aging, with almost no juveniles. It has also been found that the signal crayfish is an effective predator of freshwater pearl mussels causing death or damage to its shells, which may reduce the population abundance and affect the fitness of those bivalves. There is also a clear relationship between the increase in the percentage of preyed M. margaritifera with the increase of P. leniusculus. The populations of M. margaritifera studied have great conservation importance. It is urgent to implement conservation measures that minimize as much as possible the consequences of these two threats, such as improved river flow management and regular control (or even eradication) of the signal crayfish.
TypemasterThesis
DescriptionDissertação de mestrado em Ecologia
URIhttp://hdl.handle.net/1822/59490
AccessembargoedAccess (1 Year)
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
André Luís Oliveira Ferreira.pdf3,21 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy!

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis