Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/59044

TítuloMorte, memória e identidade: uma análise das práticas funerárias de Bracara Augusta
Autor(es)Braga, Cristina Maria Vilas Boas
Orientador(es)Martins, Manuela
Data12-Nov-2018
Resumo(s)O trabalho que apresentamos teve como principal objetivo a reconstituição das vivências da morte e das práticas sociais em torno dos contextos funerários romanos, partindo de uma análise detalhada das evidências materiais recuperadas pelas escavações das necrópoles de Bracara Augusta. Para tal foram considerados os dados provenientes de 22 núcleos de necrópoles distribuídas em torno do espaço suburbano da cidade romana e tardo-antiga. Foi nossa intenção estudar detalhadamente cada conjunto sepulcral, compreendendo o tipo de estruturas que lhe estavam associadas e como se organizava cada um dos espaços de enterramento nos distintos períodos cronológicos. Esta tarefa, num outro nível de análise, permitiu entender os ritmos de uso de cada núcleo de necrópole (descontinuidades/continuidades, pausas/retomas), em articulação com a importância estratégica dos eixos viários romanos a que se associavam, potenciando a recriação da topografia dos diversos espaços fúnebres (organização, disposição das sepulturas/construções, natureza dos rituais, variações cronológicas). Articulando essa análise com os dados da epigrafia funerária foi possível abordar o tema da(s) sociabilidade(s) da morte, bem como a evolução das práticas funerárias. Procedemos ainda a um estudo sistemático dos conjuntos votivos, não só de forma a afinar a cronologia de construção e de uso desses espaços, mas também com o intuito de reconhecer eventuais marcas rituais patentes nas peças, executando, simultaneamente, tarefas de categorização e de reconhecimento dos diversos tipos de construções funerárias. Por esta via, considerando que as necrópoles se constituem como lugares privilegiados para apreciar as mudanças culturais, procuramos reconhecer os fenómenos de assimilação ou resistência cultural subjacentes às práticas funerárias que possam elucidar sobre o processo de aculturação das populações indígenas ao longo do século I e compreender como a comunidade cívica urbana assimilou as novas práticas funerárias durante a Antiguidade Tardia, associadas à disseminação do Cristianismo. Para este estudo foram ainda tidos em conta os dados de natureza antropológica, carpológica e antracológica que permitem um conhecimento mais objetivo sobre as características dos procedimentos funerários.
The work we now present aims to reconstitute the experiences of death and the social practices surrounding roman funerary contexts, through the detailed analysis of the material evidence recovered in the excavations of Bracara Augusta necropolises. Data from 22 necropolises nuclei distributed in the surrounding suburban space of the roman and late roman city were considered. The detailed study of each set of graves was carried out, in an endeavor to understand the type of structures associated with it and how each burial space was organized in different chronological phases. This task allowed, at a different level of analysis, to understand the rhythms of use (discontinuity/continuity; paused/resumed activity) of each necropolis nucleus and their relationship to the strategic importance of the associated roman roadways, which enabled the topographic recreation of the different funerary contexts (organization, placement of graves/structures, nature of rituals, chronological variation). By coordinating this analysis with funerary epigraphy data, it was possible to approach the sociability (ies) of death, as well as the evolution of funerary practices. The systematic study of the votive sets was accomplished, aimed not only at refining the chronology of the construction and use of these spaces, but also at identifying ritual markings potentially displayed in the objects, while recognizing and categorizing different types of funerary constructions. Thus, given that necropolises are preferential contexts when it comes to identifying cultural change, cultural assimilation or resistance phenomena which underlie in the funerary practice we sought to perceive the acculturation process of indigenous populations throughout the 1st century and understand how the urban civic community incorporated new funerary practices during Late Antiquity, associated to the dissemination of Christianism. This study also considered anthropological, carpological and anthracological data, which more objectively quantify funerary practice traits.
TipodoctoralThesis
DescriçãoTese de Doutoramento em Arqueologia (Especialidade em Arqueologia da Paisagem e do Povoamento)
URIhttp://hdl.handle.net/1822/59044
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:BUM - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Volume I.pdf37,09 MBAdobe PDFVer/Abrir
Volume II.pdf106,43 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis