Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/56687

TítuloO impacto das redes sociais na qualidade de vida dos indivíduos com 50 e mais anos que residem sós em Portugal: um estudo no âmbito do projeto SHARE
Outro(s) título(s)The impact of social networks on the quality of life of individuals aged 50 and over who live alone in Portugal: a study in the context of the share project
Autor(es)Gouveia, Odília Maria Rocha
Orientador(es)Matos, Alice Delerue
Schouten, Maria Johanna Christina
Palavras-chaveIndivíduos com 50 e mais anos
Vida a solo
Redes sociais
Redes de confidentes
Qualidade de vida
Portugal
Individuals aged 50 and over
Living alone
Social networks
Confidant networks
Quality of life
Portugal
Data11-Jun-2018
Resumo(s)Este estudo incide sobre a Qualidade de Vida dos indivíduos mais velhos que vivem sós, um dos grupos sociais considerados mais vulneráveis em Portugal. Mais concretamente, visou-se conhecer em que medida, e de que modo, a qualidade de vida dos indivíduos com 50 e mais anos que vivem sós em Portugal está associada ao papel assumido pelas suas redes sociais. A maior parte da literatura existente indica, para a população idosa em geral, que as redes sociais têm efeitos positivos no seu bem-estar. Todavia, estas podem também ter um efeito negativo, como sucede, por exemplo, quando se verificam maus tratos à pessoa idosa. A pesquisa desenvolvida no âmbito desta tese permite, além de um maior conhecimento sobre esta relação, a identificação de outros fatores determinantes da qualidade de vida da população sob escrutínio, mais especificamente fatores sociodemográficos e relacionados com a saúde. Permite ainda, de forma subsidiária, conhecer as condições objetivas de vida destes indivíduos e o apuramento das suas representações sociais acerca do envelhecimento em situação de monoresidência. A pesquisa desenhou-se num esforço de triangulação de métodos de ordem quantitativa e qualitativa. A fase quantitativa do trabalho foi realizada com recurso a dados relativos à quarta vaga do projeto SHARE (Survey of Health, Ageing and Retirement in Europe). Relativamente às redes dos indivíduos sob análise, deve salientar-se que o SHARE apenas se debruça sobre as redes de confidentes (redes constituídas pelos membros que são confidentes/considerados importantes para os inquiridos). A análise quantitativa permitiu apurar que os indivíduos com 50 anos e mais que vivem sós em Portugal distinguem-se daqueles que vivem sós noutros países europeus, usufruindo de uma pior saúde e de fracos recursos educacionais e económico-financeiros. No que respeita à questão de investigação, a análise revela que as redes de confidentes dos inquiridos assumem um papel fundamental na sua qualidade de vida. Concretamente, indivíduos mais satisfeitos com a sua rede e que realizam um maior número de atividades com a rede têm uma maior qualidade de vida. Constata-se uma maior valorização da satisfação com a rede (que remete para a qualidade da rede) e da atividade social, em detrimento da estrutura e frequência do contacto. É possível que a habituação à vida a solo e/ou à perda/morte de elementos da rede ao longo da vida, que afeta grande parte destes indivíduos, os conduza a esta valorização. Relativamente às entrevistas realizadas, a análise qualitativa demonstra que a rede social é importante na qualidade de vida, principalmente por proporcionar apoio emocional, convivência, entretenimento e apoio material e instrumental. As redes sociais da maioria dos entrevistados geram, pois, recursos (capital social) que os indivíduos podem utilizar em seu benefício, influenciando positivamente a sua qualidade de vida. Atendendo aos resultados obtidos, considera-se essencial o reforço de políticas públicas que permitam a integração social dos indivíduos mais velhos que vivem sós. Considerando a relevância social do tema, o crescimento da população mais velha que vive só e a escassez de estudos sobre a relação entre as redes sociais e a qualidade de vida desta população, espera-se que esta pesquisa constitua uma contribuição para o conhecimento científico sobre este tema.
This study focuses on the Quality of Life of older people living alone, considered one of the most vulnerable social groups in Portugal. More specifically, we aimed to know to what extent, and how, the quality of life of individuals aged 50 and over who live alone in Portugal is related to the role played by their social networks. The main part of the literature indicates that social networks have positive effects on the well-being of the older population in general. However, networks may also have negative effects, as occurs, for instance, in the case of abuse of an older person. The research carried out in the context of this thesis provides a better knowledge about this relationship and points out additional factors which are related with the quality of life among the population under scrutiny, more specifically sociodemographic status and health condition. In addition, it contributes to our awareness of the objective conditions of life of these persons and our understanding of their social representations regarding ageing while living alone. The study was designed in an effort to triangulate quantitative and qualitative methods. The quantitative part of the work was carried out with recourse to data related to the fourth wave of the SHARE project (Survey of Health, Ageing and Retirement in Europe). As regards the networks of the persons examined, it should be emphasized that SHARE only focuses on confidant networks (networks made up of members who are confidants/considered important to respondents). From the quantitative analysis we concluded that individuals aged 50 and over living alone in Portugal distinguish themselves from their counterparts in other European countries, in that they have worse health conditions and poor educational and economic-financial resources. Regarding the research question, the analysis shows that the confidant networks of the respondents have a fundamental role in their quality of life. Concretely, individuals who are more satisfied with their network and who carry out a higher number of activities with the network have a better quality of life. A higher appreciation can be observed of the satisfaction with the network (which points at the quality of the network) and of the social activity, and a lower value is attributed to the structure and frequency of the contact. It is possible that the habituation to living alone and/or to the loss or death of members of the network, which a great part of these persons have experienced in the course of their lives, has led to this appreciation. Regarding the interviews conducted, the qualitative analysis shows that the social network is important for the quality of life, in particular for the providing of emotional support, social interaction, entertainment and material and instrumental assistance. Thus, the social networks of the major part of the respondents generate resources (social capital) which the people in question may employ to their own benefit, thus having a positive influence on their quality of life. In view of the results obtained in this study, an expansion and improvement of public policies which promote the social integration of older, alone-living persons, is considered essential. Considering the social relevance of the theme, the growth of the ageing population living alone, and the dearth of studies about the relationship between social networks and quality of life of this population, it is hoped that this research will be a contribution to the scientific knowledge about this theme.
TipodoctoralThesis
DescriçãoTese de Doutoramento em Sociologia
URIhttp://hdl.handle.net/1822/56687
AcessorestrictedAccess
Aparece nas coleções:DS - Teses de doutoramento
BUM - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Odilia Maria Rocha Gouveia.pdf6,2 MBAdobe PDFVer/Abrir  Solicitar cópia ao autor!

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis