Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/56015

Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorFerreira-Alves, J.por
dc.contributor.authorAlves, Maria Teresa Afonsopor
dc.date.accessioned2018-09-25T07:42:12Z-
dc.date.available2018-09-25T07:42:12Z-
dc.date.issued2018-
dc.date.submitted2018-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1822/56015-
dc.descriptionDissertação de mestrado integrado em Psicologiapor
dc.description.abstractO presente estudo teve como objetivo explorar dos níveis da solidão na população adulta Portuguesa e a sua relação com a vinculação e inteligência emocional. Participaram no estudo 275 indivíduos, 61, 1% (168) do sexo feminino e 38,9% (107) do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 20 e os 60 anos (M= 41.1, DP= 10.51). Foram utilizados um questionário sociodemográfico, Escala de Vinculação do Adulto (EVA), de Collins & Read (1990), Escala de Inteligência Emocional (EIE), de Schutte et al. (1998) e Escala de Solidão Social e Emocional (SELSA-S), de DiTommaso et al. (2004), validadas para a população portuguesa. Os resultados revelam que a solidão na idade adulta não varia em função da idade ou género. A solidão apresenta uma relação positiva com a vinculação ansiosa e uma relação negativa com os estilos de vinculação segura e inteligência emocional. As limitações prendem-se com a escassez de estudos da solidão nesta faixa etária, que não nos permitem comparação, pelo que se espera que este estudo possa servir de referência a estudos futuros na idade adulta. A promoção de uma vinculação segura e de inteligência emocional desde a infância podem constituir-se um fator de desenvolvimento importante, quando se considera a solidão.por
dc.description.abstractThe purpose of this study was to explore the levels of loneliness in the Portuguese adult population and to evaluate their relationship with attachment style and emotional intelligence. A total of 275 participants, 61.1% females and 38.9% males between the ages of 20 and 60, (M=41.1, SD= 10.51) took part in this study. A sociodemographic questionnaire, Adult Attachment Scale, by Collins & Read (1990), Emotional Intelligence Scale, by Schutte et al. (1998) and Social and Emotional Loneliness (SELSA-S), by DiTommaso et al. (2004), validated for de Portuguese population, are applied. Results indicated that loneliness in adulthood not diverge according to age or gender. Loneliness presented a positive relationship with insecure attachment and a negative relationship with secure attachment styles and emotional intelligence. Limitations are the absence of studies in this age group. Therefore, more studies on evaluation of loneliness and its origins in this population are proposed. In conclusion, the promotion secure attachment styles and emotional intelligence since childhood can be an important development factor when considering loneliness.por
dc.language.isoporpor
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectSolidãopor
dc.subjectVinculaçãopor
dc.subjectInteligência emocionalpor
dc.subjectRelaçõespor
dc.subjectAdultospor
dc.subjectLonelinesspor
dc.subjectAdult attachmentpor
dc.subjectEmotional intelligencepor
dc.subjectRelationshipspor
dc.subjectAdulthoodpor
dc.titleDesenvolvimento da solidão em adultos: influência da vinculação e inteligência emocionalpor
dc.title.alternativeDevelopment of loneliness in adulthood: influence of attachment and emotional intelligencepor
dc.typemasterThesiseng
dc.identifier.tid201953064por
thesis.degree.grantorUniversidade do Minhopor
sdum.degree.grade16 valorespor
sdum.uoeiEscola de Psicologiapor
dc.subject.fosCiências Sociais::Psicologiapor
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado Integrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação_Maria+Teresa+Afonso+Alves.pdf489,43 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID