Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/55979

TitleCasas de cidade: processo de privatização e consumos de luxo entre as camadas "médias" urbanas (Lisboa na segunda metade do século XVIII e inícios do século XIX)
Author(s)Gomes, Andreia Maria Durães
Advisor(s)Sá, Isabel dos Guimarães
Monteiro, Nuno Gonçalo
Issue date18-May-2018
Abstract(s)A atenção dos historiadores portugueses tem-se polarizado em torno do estudo das elites e dos grupos populares, concedendo pouca atenção aos setores da população que não se enquadram nessas duas categorias extremas. A presente tese tem como objetivo central aumentar o conhecimento sobre a composição do património, as casas, os modos de habitar e o consumo das camadas intermédias. Ao longo do primeiro capitulo examinamos o uso das expressões "estado do meio", "gente do meio", mediania, "classe média", em Portugal, com particular ênfase para os séculos XVII e XVIII, momento em que este vocabulário se difundiu e ganhou adeptos. Com este estudo pretendemos sublinhar, por um lado, a multiplicidade dos esquemas de representação social e taxonomias que coexistiram no período em análise e, por outro, provar que, apesar de estranho ao discurso legal e enquadramento normativo da época em análise, a noção de mediania e as visões da sociedade que a incluem estavam difundidas, em Portugal, nos séculos XVII e XVIII. Esta análise serve também para fundamentar a nossa opção terminológica pela designação de grupos intermédios. No segundo capitulo empreendemos uma discussão das categorias sociológicas e do modelo de análise a adotar. Explicamos porque é que, mesmo considerando que no período e espaços considerado a sociedade portuguesa se traduzia oficialmente em ordens e estados, a dissecamos a partir de categorias sociológicas que se aproximam mais de classe do que de ordem ou estado. Não uma classe no sentido marxista, mas uma classe que se define num espaço multidimensional que dá relevo ao estatuto, mas também aos aspetos económicos. Seguem-se considerações metodológicas com a análise da principal fonte documental usada, ou seja, os inventários de bens, sublinhando-se as fragilidades e os pontos fortes. O terceiro capítulo corresponde à análise do contexto ou, de outra forma, do quadro geográfico, demográfico, social, económico e político da cidade de Lisboa, que elegemos como pano de fundo para a análise dos grupos intermédios. No quarto capítulo, procedemos à caracterização da amostra e, no quinto, focamos os níveis de riqueza, a composição do património e o consumo das camadas intermédias. No sexto e sétimo capítulos lançamos um olhar multidisciplinar às casas, ao espaço de interação privada das camadas intermédias, que é perspetivado primeiramente como espaço de habitação e depois como espaço de consumo. Assim, no sexto capítulo procuramos conhecer o habitat das camadas intermédias urbanas ao nível do regime de propriedade que ligava os agregados às suas casas, do valor médio de avaliação das habitações, das tipologias predominantes, do número de andares, áreas, número de divisões e especialização funcional. Na segunda parte deste capítulo, debruçamo-nos sobre casos de estudo, procurando integrar os edifícios na cidade, saber quem eram as pessoas que os habitavam, o que faziam, como é que os espaços eram usados e que conceção de vida se revela nos mesmos. No último capítulo analisamos a casa como espaço de consumo. Incidindo o nosso olhar sobre a realidade nacional e partindo da observação da relação entre posição social e a posse de objetos, debruçamo-nos sobre a participação das camadas intermédias lisboetas no processo de aumento da posse de objetos de luxo. Para isso estudamos a difusão de objetos de luxo nos grupos intermédios, comparando-a com a dos grupos socioeconómicos mais e menos favorecidos. Por outro lado, seguimos as pistas do processo de privatização. Procuramos detetar o avanço do privado no quotidiano doméstico, seja no património, no espaço arquitetônico e na cultura material atras da análise da difusão de equipamento doméstico conotado com a privatização, pelo que esta análise é transversal, perpassando vários capítulos.
The attention of Portuguese historians have been polarized around the study of elites and popular groups, paying few attention to sectors of the population that do not fall into these two categories. The main goal of this thesis is to increase knowledge about the composition of the wealth, the houses, and the ways of living and the consumption of the intermediate groups. Throughout the first chapter we examine the use of the expressions "middle state", "middle people", middle, middle class, in Portugal, mainly during the seventeenth and eighteenth centuries, when this vocabulary spread out. With this study, we intend to emphasize, on the one hand, the multiplicity of social representation schemes and taxonomies that coexisted during the period under analysis and, on the other hand, to prove that, despite the legal discourse and normative framework, the notion of middle ranks and the visions of society that include it were widespread in Portugal in the seventeenth and eighteenth centuries. This analysis also seeks to justify our terminological choice. In the second chapter we undertake a discussion of the sociological categories and the model of analysis adopted. We explain why, even considering that in the period and spaces considered the Portuguese society was officially organized into orders and states, we analyse it considering sociological categories that are closer to class than to order or state. Not class in the marxist sense, but a class that defines itself in a multidimensional space that emphasizes the statute, but also considers the economic aspects. Then we undertake methodological considerations with the analysis of the main historical source used, that is, inventories, highlighting its weaknesses and strengths. The third chapter corresponds to the analysis of the context or, in other words, the geographical, demographic, social, economic and political descrition of the city of Lisbon, which we chose as the background for the analysis of intermediate groups. In the fourth chapter, we characterize the sample and, in the fifth, we focus on the levels and composition of wealth, and the consumption of the intermediate layers. In the sixth and seventh chapters we launched a multidisciplinary look at houses, at the private interaction space of the intermediate layers, which is first seen as a space of inhabiting and then as a space for consumption. Thus, in the sixth chapter we characterize the habitat of the urban intermediate layers from the point of view of the property regime that linked the families to their houses, its the average value, prevailing typologies, number of floors, areas, number of divisions and functional specialization. In the second part of this chapter, we look at some case studies, trying to integrate the buildings in the city, to know the people who inhabited it, their occupation, how the spaces were used and the conception of life these spaces reveals. In the last chapter we analyse the house as a space for consumption. Focusing on the national reality and starting from the observation of the relation between social position and the possession of objects, we focus on the participation of the intermediate layers of Lisbon in the process of increasing the possession of luxury objects. For this we study the diffusion of luxury objects in the intermediate groups, comparing it with the more and less favoured socioeconomic groups. On the other hand, we follow the lead of the privatization process. We seek to detect the advance of the private sphere in domestic daily life in architectural space and material culture through the analysis of the diffusion of domestic equipment connoted with privatization. This analysis is transversal, spanning several chapters.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de doutoramento em História (Especialidade: Idade Moderna)
URIhttp://hdl.handle.net/1822/55979
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
DH - Teses de Doutoramento/PhD Theses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese Doutoramento Andreia Maria Duraes Gomes.pdf20,56 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID