Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/55793

TitleThe role of a maternal oxytocin receptor gene polymorphism in maternal interactive behavior and its consequent impact on children's neuroendocrine and socio-emotional functioning
Other titlesO papel de um polimorfismo no gene recetor de oxitocina materno no comportamento interativo materno, e o seu consequente impacto no funcionamento neuroedócrino e socio-emocional da criança
Author(s)Baião, Rita Isabel Curto
Advisor(s)Mesquita, Ana Raquel Marcelino
Fearon, Pasco
Issue date17-May-2018
Abstract(s)Maternal behaviour, particularly sensitive parenting, is fundamental for child development and functioning. Is has been vastly studied, with recent considerable interest on its determinants, expanding the research from environmental (eg. maternal variables and contextual experience), to genetic predictors (eg. polymorphisms in the oxytocinergic system, given its link to affiliation). Despite this growing interest, research is still in many ways preliminary and, when reviewing the literature, results prove inconsistent. Maternal behaviour has indeed been shown to impact on diverse aspects of child’s adjustment, including children’s behaviour, but also at the physiological level, such as neuroendocrine functioning. Nonetheless, literature on this domain is still scarce. The goal of the present doctoral dissertation was to contribute to the gaps in this field of research. Its two main aims were: firstly, to investigate genetic and environmental determinants of maternal interactive behaviour; secondly, to assess the impact of such behaviour on child’s functioning, particularly at the behavioural and neuroendocrine levels. Therefore, Chapter 1 introduced the research background behind the proposed field of study. Chapter 2 and 3 then focus the first aim of this dissertation: to examine the determinants of maternal behaviour. Specifically, Chapter 2 analysed the role of a polymorphism (SNP rs53576) on the Oxytocin Receptor Gene (OXTR) on maternal behaviour in two studies. In the first study, based on a sample of 215 Caucasian mothers, a non-significant association was found between the OXTR SNP rs53576 and maternal behaviour. In the second study, results of a meta-analysis on the available literature on the same OXTR SNP and maternal behaviour revealed a statistically significant, small magnitude effect. Chapter 3 then took into consideration the link between the oxytocinergic and serotonergic systems, and serotonin’s role as a modulator of neural circuitry that controls several behavioural and physiological processes, which may be critical for parenting. It analysed the role of the maternal 5-HTTLPR polymorphism on maternal behaviour, testing the quality of environmental context as a possible moderator of such association. Results proved consistent with the weak differential susceptibility model of person-Xcontext interaction. Chapters 4 and 5 then focused the second aim of this dissertation, which relates to child’s functioning. Chapter 4 provided an adaptation and validation of the child codings of the Coding System for Mother–Child Interactions (CSMCI, Healey et al., 2010). The codings’ inter-rater agreement was confirmed, and convergent and divergent validity established. Its applications for the assessment of preschoolers’ interactive behaviour, and its implications to future research and practice are discussed. Finally, Chapter 5 explored the child’s oxytocin (OT) response to mother-child interaction, and found that it was predicted by the interaction between individual (child’s OXTR genotype) and environmental (maternal behaviour) factors. Drawing from these analysis, the identified interaction was investigated as a predictor of the child’s interactive behaviour, considering the possible mediator role of the child’s OT level. This dissertation underlines the relevance of considering the interaction between individual and environmental factors in shaping both behavioural and neuroendocrine responses. Building on this work, future studies should consider larger scale samples, and follow approaches which include different biological, psychological and environmental aspects for a broader comprehension of affiliative behaviour.
O comportamento materno, e particularmente a parentalidade sensível, é fundamental para o desenvolvimento e funcionamento da criança. Recentemente, este comportamento tem sido vastamente estudado, com considerável interesse prestado aos seus determinantes, alargando a investigação de preditores ambientais (p.ex., variáveis maternas e experiências relacionadas com o contexto), para preditores genéticos (p.ex., polimorfismos no sistema oxitocinergico, dada a sua relação com a afiliação). Apesar do interesse crescente, a investigação é, ainda, em grande medida, preliminar, e, ao rever a literatura, os resultados demonstram-se inconsistentes. De facto, o comportamento materno tem demonstrado ter impacto em diversos aspectos do ajustamento da criança, quer a nível comportamental, quer em aspectos mais fisiológicos, como o funcionamento neuroendócrino. No entanto, a literatura neste domínio é ainda escassa. O propósito desta dissertação de doutoramento é contribuir para as lacunas neste campo de investigação. Os dois objetivos fundamentais são: em primeiro lugar, investigar determinantes genéticos e ambientais do comportamento interativo materno; seguidamente, avaliar o impacto de tal comportamento no funcionamento da criança, particularmente ao nível comportamental e neuroendócrino. Assim, o Capítulo 1 incide sobre a revisão da literatura da área em estudo. De seguida, os capítulos 2 e 3 focam o primeiro objetivo desta dissertação: o estudo dos determinantes do comportamento materno. Especificamente, o Capítulo 2 analisa o papel de um polimorfismo (SNP rs53576) no Gene Receptor da Oxitocina (OXTR) no comportamento materno, reunindo 2 estudos. No primeiro estudo, com base numa amostra de 215 mães Caucasianas, não é encontrada uma associação significativa entre o OXTR SNP rs53576 e o comportamento materno. No segundo estudo, os resultados de uma meta-análise com base na literatura disponível revelam um efeito de associação significativo, embora de pequena magnitude, entre o referido polimorfismo e o comportamento materno. O Capítulo 3 tem em consideração a relação entre os sistemas oxitocinérgico e serotoninérgico, bem como o papel da serotonina como modulador de circuitos neuronais que controlam diversos processos comportamentais e fisiológicos, que podem ser críticos para a parentalidade. Este capítulo analisa o papel do polimorfismo 5-HTTLPR no comportamento materno, e testa a qualidade do contexto ambiental como possível moderador desta associação. Os resultados revelam-se consistentes com a versão fraca do modelo de susceptibilidade diferencial de interação Gene-X-Ambiente. De seguida, os capítulos 4 e 5 focam-se no segundo objetivo desta dissertação, que se relaciona com o funcionamento da criança. O Capítulo 4 faz a adaptação e validação das escalas da criança do instrumento Coding System for Mother–Child Interactions (CSMCI, Healey et al., 2010). O acordo inter-cotador é estabelecido, bem como a sua validade convergente e discriminante. São discutidos o seu uso para a codificação do comportamento interactivo de crianças em idade pré-escolar, e as suas implicações para a investigação futura e para a prática. Finalmente, o Capítulo 5 explora a resposta oxitocinérgica da criança numa tarefa de interação mãe-criança. Esta resposta é predita pela interação entre factores individuais (o genótipo OXTR da criança) e ambientais (comportamento materno). Com base nestas análises, o efeito de interação encontrado é investigado como preditor do comportamento interactivo da criança, considerando o possível papel mediador dos níveis de OT da criança. De forma global, esta dissertação sublinha a relevância de considerar o impacto da interação entre factores individuais e ambientais nas respostas comportamentais e neuroendócrinas. Partindo deste trabalho, estudos futuros deverão considerar amostras de maior escala, e seguir abordagens que incluam diferentes aspectos biológicos, psicológicos e ambientais, para uma compreensão mais alargada do comportamento afiliativo.
TypedoctoralThesis
DescriptionTese de Doutoramento em Psicologia Aplicada
URIhttp://hdl.handle.net/1822/55793
AccessembargoedAccess (3 Years)
Appears in Collections:CIPsi - Teses de Doutoramento
BUM - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RitaBaiao_PhDThesis.pdf3,18 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy!

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis