Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/55627

TitleSaúde mental dos adolescentes em contexto de cuidados de saúde primários
Author(s)Silva, Catarina Sofia Maia
Leite, Estela Carolina Castro
Castro, António Pedro Machado
Martins, Cristina Araújo
KeywordsSaúde mental
Adolescentes
Cuidados de saúde primários
Issue date2018
Abstract(s)Introdução: Um em cada cinco adolescentes tem problemas de saúde mental que persistem na idade adulta (Lee et al., 2014), verificando-se um crescente número de situações graves e de adolescentes medicados com ansiolíticos e antidepressivos (Olfson, Druss, & Marcus, 2015). Em Portugal, a percentagem de adolescentes que referem mal-estar físico e psicológico e comportamentos autolesivos tem vindo a aumentar (Matos et al., 2015). Objetivos: Avaliar a prevalência e caracterizar a população de adolescentes com perturbações do foro mental numa Unidade de Saúde Familiar. Metodologia: Estudo retrospetivo da casuística de perturbações do foro mental em adolescentes inscritos numa Unidade de Saúde Familiar do norte de Portugal. Recurso ao sistema de monitorização das unidades funcionais (MIM@UF) para identificação dos adolescentes entre os 10 e 19 anos com codificação para o diagnóstico de sensação de depressão, perturbação depressiva, sensação de ansiedade, distúrbio ansioso ou tentativa de suicídio/suicídio. Resultados: O distúrbio ansioso foi apenas diagnosticado a uma adolescente de 15 anos de idade, num universo de 1212 adolescentes (570 do sexo masculino e 642 do sexo feminino). Não se confirmaram casos de outras perturbações do foro mental. Discussão: Face às estatísticas nacionais e internacionais conhecidas a este respeito, é de considerar estarmos perante uma situação de subdiagnóstico das perturbações do foro mental na população adolescente. Esta é também uma preocupação da Direção Geral da Saúde, que, no âmbito do Programa Nacional para a Saúde Mental 2017, pretende aumentar em 25% o registo de pessoas com ansiedade e depressão nos cuidados de saúde primários, e sensibilizar os profissionais de saúde para o seu diagnóstico (DGS, 2017). Conclusão: A identificação precoce dos adolescentes com perturbação mental deve ser uma prioridade. Permite reduzir o sofrimento psiquiátrico na infância e amenizar o sofrimento e a morbidade no adulto, facilitando a transição para a idade adulta.
TypePoster
DescriptionPoster distinguido com o 1º lugar no "XVIII Encontro Anual da APECSP"
URIhttp://hdl.handle.net/1822/55627
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:ESE-CIE - Comunicações / Communications

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Saúde mental adolescentes em contexto de cuidados de saúde primários.pdfPoster apresentado no XVIII Encontro Anual da APECSP1,04 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID