Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/55425

TitlePotencial dos manuais escolares de Ciências Naturais do 8º ano no desenvolvimento da autodireção dos alunos
Author(s)Coelho da Silva, José Luís
KeywordsAutodireção
Manuais escolares
Atividades de aprendizagem
Ciências Naturais
Sef-direction
Autonomy
Coursebooks
Learning activities
Science
Issue dateFeb-2018
PublisherInstituto Politécnico de Viana do Castelo. Escola Superior de Educação
CitationCoelho da Silva, José Luís (2018). Potencial dos manuais escolares de Ciências Naturais do 8º ano no desenvolvimento da autodireção dos alunos. In A. Peixoto, J. Oliveira, J. Gonçalves, L. Neves & R. Cruz (Eds.), Educação em Ciências em múltiplos contextos. Atas do XVII Encontro Nacional de Educação em Ciências, XVII ENEC, I Seminário Internacional de Educação em Ciências, I SIEC (pp. 556-562). Viana do Castelo: Instituto Politécnico de Viana do Castelo. Escola Superior de Educação.
Abstract(s)A formação de cidadãos capazes de agir e intervir critica e reflexivamente na atual sociedade, marcada pela evolução acelerada do conhecimento científico e tecnológico, relatividade do conhecimento, pluralidade de perspetivas, disponibilidade crescente da informação, facilidade de acesso à informação, exige a estruturação de processos de aprendizagem orientados para o desenvolvimento da autonomia dos alunos, tornando-os capazes de aprender ao longo da vida. É neste sentido que se assume a importância da criação de espaços educativos direcionados para o desenvolvimento da autodireção dos alunos, conferindo-lhes responsabilidade na estruturação da aprendizagem, através da tomada de decisões na definição de objetivos, conteúdos, estratégias, recursos, interação, tempo, espaço e avaliação. Considerando que o manual escolar, através das atividades de aprendizagem, pode despoletar as práticas educativas desejadas, equacionou-se o seguinte objetivo de investigação: caracterizar o potencial contributo das atividades de aprendizagem de lápis e papel de manuais escolares de Ciências Naturais do 8º ano no desenvolvimento da autodireção dos alunos. A metodologia de investigação envolve um procedimento qualitativo que consiste na análise das atividades de aprendizagem de lápis e papel, identificando os elementos que lhes conferem o potencial de desenvolvimento da autodireção dos alunos: a) tipo de tarefas que exigem aos alunos a tomada de decisões e b) componentes do processo de aprendizagem passíveis de serem geridos pelos alunos. Procede-se, ainda, à contabilização das atividades de aprendizagem em função dos elementos acima enumerados. O corpus de análise é constituído por 164 atividades de aprendizagem de lápis e papel que integram o subdomínio programático Ecossistemas e se distribuem por quatro manuais escolares, editados em 2014 por editoras diferentes. Os resultados mostram a frequência diminuta de atividades de aprendizagem de lápis e papel com potencial de desenvolvimento da autodireção dos alunos. Este potencial assenta, fundamentalmente, no envolvimento dos alunos na tomada de decisões acerca da operacionalização das tarefas de pesquisa de informação, em particular, na gestão da estratégia a seguir. Torna-se necessário considerar a autonomia como uma finalidade de aprendizagem e incrementar, intencional e explicitamente, espaços de gestão individual e/ou em grupo do processo de aprendizagem, atribuindo especial ênfase à gestão de objetivos e conteúdos de aprendizagem.
Educating citizens who are able to act and intervene critically and reflectively in a society marked by accelerated advancements in scientific and technologic knowledge, by multiple perspectives and by the growing availability of and facilitated access to information, requires learning processes oriented towards the development of learner autonomy and lifelong learning skills. Therefore, it is important to create educational spaces that promote learners’ self-direction by giving them responsibility for structuring the learning process through making decisions regarding objectives, contents, strategies, resources, interaction, time, space, and evaluation. Given the fact that coursebooks may generate desirable educational practices through the learning activities they integrate, the following research objective was set: to characterise the potential contribution of paper and pencil learning activities to the development of learner self-direction in 8th grade Science coursebooks. The research methodology involved a qualitative procedure to analyse paper and pencil learning activities in order to identify aspects that have the potential to promote learner self-direction: a) types of learning tasks requiring learner decision-making, and b) components of the learning process that can be managed by learners. Activities were counted regarding the above elements. The corpus was constituted by 164 paper and pencil activities about the content Ecosystems in four coursebooks edited in 2014 by different publishers. Results show that paper and pencil activities with the potential to promote learner self-direction are scarce. Their value rests mainly in the involvement of learners in decisions about the development of information research activities, namely as regards the learning strategy to follow. It is necessary to consider autonomy as a learning aim and to develop, intentionally and explicitly, educational spaces for individual and/or group management of the learning process, with special emphasis on the management of learning objectives and contents.
TypeConference paper
URIhttp://hdl.handle.net/1822/55425
ISBN978-989-8756-17-6
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CIEd - Textos em volumes de atas de encontros científicos nacionais e internacionais


Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID