Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/54618

TitleA compreensão jurídica, médica e “leiga” do embrião em Portugal: um alinhamento com a biologia?
Other titlesLegal, medical and lay understanding of embryos in Portugal: alignment with biology?
Author(s)Silva, Susana
Machado, Helena
KeywordsPesquisas com embriões
Legalização
Biologização
Moralização
Embryo research
Legalization
Biologization
Moralization
Issue date2009
PublisherUNESP
JournalInterface: Comunicação, Saúde, Educação
CitationSilva, S., & Machado, H. (2009). A compreensão jurídica, médica e" leiga" do embrião em Portugal: um alinhamento com a biologia?. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 13(30), 31-43
Abstract(s)Pretende-se contribuir para o debate em torno dos processos de circulação de conhecimentos e sentidos entre especialistas e “leigos” no que concerne ao estatuto dos embriões humanos em Portugal. Reflete-se sobre as expectativas e preocupações manifestadas quanto à confiança, qualidade, segurança e eficácia das tecnologias médicas de reprodução assistida. O estudo assenta na realização de entrevistas individuais, com vistas a explorar as complexidades, similitudes e diferenças entre as visões e os valores de juristas, médicos e casais envolvidos em tratamentos de fertilização in vitro. Trata-se de uma análise qualitativa em um estudo de caso. Se os juristas e os médicos enquadram o estatuto dos embriões em categorias de índole biológica, técnica e/ou jurídico-legal, já os casais estabelecem com os mesmos diversas relações ontológicas de índole moral, afetiva e social, pelo que estes podem ser representados como seres éticos face à biologização médico-legal dos embriões.
Our aim is to contribute towards the debate about the processes through which knowledge and meanings regarding the status of human embryos circulate among experts and laymen in Portugal. Expectations and concerns expressed regarding the reliability, quality, safety and efficacy of medical technologies for assisted reproduction were assessed. This study is based on data from individual interviews that sought to explore the complexities, similarities and differences among the views and values of jurists, doctors and couples involved in in vitro fertilization treatments. It consists of a qualitative analysis on a case study. If jurists and doctors frame the status of embryos as categories of a biological, technical and/or legal nature, couples establish between themselves a variety of ontological relationships of a moral, affective and social nature. Through these, they can be represented as ethical beings, thus contrasting with the medical-legal biologization of the embryos.
TypeArticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/54618
DOI10.1590/S1414-32832009000300004
ISSN1414-3283
e-ISSN1807-5762
Publisher versionhttp://interface.org.br/edicoes/v-13-n-30-jul-set-2009/
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CECS - Artigos em revistas internacionais / Articles in international journals

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2009_Silva_Machado.pdf536,86 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID