Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/54386

TítuloA obesidade como fator de risco musculoesquelético na manipulação vertical de cargas
Autor(es)Colim, Ana Sofia de Pinho
Orientador(es)Arezes, P.
Flores, Paulo
Palavras-chaveObesidade
MVC
LMERT
Entrevistas exploratórias
Eletromiografia de superfície
Termografia infravermelha
Análise cinemática
Obesity
VHL
WRMSD
Exploratory interviews
Surface electromyography
Infrared thermography
Kinematic analysis
Data21-Dez-2017
Resumo(s)Na atualidade, os trabalhadores obesos representam uma significativa fração da população trabalhadora atual. As tarefas de Manipulação Vertical de Cargas (MVC), incluindo a elevação e o abaixamento manual, são bastante frequentes em contextos ocupacionais e são consideradas como uma das principais causas de Lesões Musculoesqueléticas Relacionadas com o Trabalho (LMERT). Neste âmbito, existem vários métodos validados e amplamente utilizados na avaliação de risco de LMERT em contextos ocupacionais com MVC. Contudo, grande parte dos métodos utilizados com esta finalidade não considera a obesidade nessa avaliação. Pelo exposto, o objetivo central desta tese é estudar a obesidade como fator de risco no desenvolvimento de LMERT associado a tarefas ocupacionais de MVC. Com esse propósito, recolheram-se dados qualitativos (a partir de entrevistas exploratórias do tema a profissionais de saúde ocupacional) e quantitativos (nomeadamente, eletromiográficos, termográficos, psicofísicos e cinemáticos durante a realização de tarefas de MVC). Relativamente aos resultados obtidos nas entrevistas exploratórias, os profissionais de saúde ocupacional referem que os trabalhadores obesos apresentam diferentes limitações funcionais, tais como dificuldades locomotoras e restrições posturais. Estes defendem também que as empresas devem implementar medidas efetivas para estabelecer uma cultura de promoção da saúde nos contextos de trabalho, contribuindo para a prevenção da obesidade e da ocorrência de LMERT. Os resultados obtidos através da técnica de eletromiografia de superfície sugerem que os indivíduos obesos, quando comparados com os não obesos, apresentam algumas alterações na atividade muscular, como por exemplo, o aumento da amplitude de contração dos músculos envolvidos, bem como a ocorrência de atrasos na ativação muscular antecipatória do movimento de iniciar a tarefa, potenciando o aumento do risco de LMERT. No seguimento do estudo eletromiográfico, desenvolveu-se um estudo psicofísico, no qual foi utilizada a escala CR-10 de Borg e verificou-se que esta é sensível à variação das condições ocupacionais. Contudo, contrariamente ao esperado, os dados psicofísicos apontam para que ocorra uma tendência de diminuição da perceção de sobrecarga física à medida que a obesidade dos trabalhadores aumenta, provavelmente devido ao facto de os obesos terem perceções psicofísicas mais flexíveis do que os não obesos. Este facto pode comprometer a validade da aplicação dos dados psicofísicos como abordagem ergonómica na prevenção de LMERT em contextos com trabalhadores obesos. Os resultados termográficos recolhidos demonstram que ocorre um arrefecimento significativo da pele das regiões corporais estudadas depois da realização de MVC, sendo este superior nos indivíduos com um maior nível de obesidade. Provavelmente, esta variação negativa da temperatura da pele está relacionada com a vasoconstrição provocada pelo trabalho muscular, o que pode aumentar o risco de ocorrência de problemas musculoesqueléticos. Por fim, através da análise cinemática durante tarefas de MVC, concluiu-se que os obesos parecem estar expostos a um nível de risco mais elevado, motivado pela diminuição da duração das tarefas, pelo aumento do afastamento horizontal da carga em relação ao seu corpo e pelo aumento do ângulo de flexão sagital do tronco. Globalmente, os resultados obtidos ao longo desta tese apontam para o facto de a obesidade se constituir como um importante fator de risco de LMERT durante a MVC. Por esse motivo, e como principal contributo deste trabalho destaca-se a evidência da necessidade de considerar a obesidade nas avaliações ergonómicas de postos de trabalho com tarefas de MVC.
Currently, obese workers represent a significant fraction of the current working population. Vertical Handling Loads (VHL) tasks, including manual lifting and lowering, are quite frequent in occupational settings and are considered to be a major cause of Work-Related Musculoskeletal Disorders (WRMSD). In this context, there are several validated and widely applied methods to assess the WRMSD risk in occupational contexts with VHL. However, most of the methods used for this purpose do not consider obesity in this assessment. Therefore, the main objective of this thesis is to study obesity as a potential risk factor in the WRMSD associated with VHL tasks. For this purpose, qualitative data (from exploratory interviews with occupational health practitioners) and quantitative (electromyographic, thermographic, psychophysical and kinematic data during the VHL tasks) were collected. Concerning the results obtained in the interviews, the occupational health practitioners mentioned that obese workers present different functional limitations, such as locomotor difficulties and postural restrictions. These practitioners argue that companies should implement effective measures to establish a culture of health promotion in work contexts, contributing to the obesity prevention and for the reduction of the WRMSD occurrence. The results obtained through the surface electromyography suggest that obese individuals, when compared to non-obese, present some changes in muscle activity, for example, an increase of the muscles contractions amplitudes, as well as the occurrence of delays in the anticipatory muscular activation of the movement to start the task, potentiating the increased WRMSD risk. Following the electromyographic study, a psychophysical study was developed, in which the CR-10 scale of Borg was used and it was verified that it is sensitive to the variation of the occupational conditions. However, contrary to what is expected, the psychophysical data point to a tendency to decrease the perception of physical overload as workers' obesity increases, probably due to the fact that the obese have more flexible psychophysical perceptions than non-obese. This may compromise the validity of the application of psychophysical data as an ergonomic approach in the WRMSD prevention in contexts with obese workers. The thermographic results demonstrated that a significant cooling of the skin on the studied body regions occurs after the VHL task, being this higher in the individuals with a greater level of obesity. Probably, this negative variation in skin temperature is related to the vasoconstriction caused by muscle work, which may indicate an increase of the WRMSD risk. Finally, through kinematic analysis during VHL tasks, it was concluded that the obese seem to be exposed to a higher level of risk, due to the decrease in the duration of the tasks, the increase in the horizontal distance between the load and the body worker and the increase of the trunk sagittal flexion angle. Overall, the results obtained throughout this thesis point to the fact that obesity constitutes an important WRMSD risk factor during VHL. For this reason, the main contribution of this work is the evidence of the need to consider obesity in the workplaces ergonomic interventions with VHL tasks.
TipodoctoralThesis
DescriçãoTese de Doutoramento em Engenharia Industrial e de Sistemas (PDEIS)
URIhttp://hdl.handle.net/1822/54386
AcessoembargoedAccess (3 Years)
Aparece nas coleções:BUM - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TESE_Ana Sofia de Pinho Colim_2017.pdf5,68 MBAdobe PDFVer/Abrir  Solicitar cópia ao autor!

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis