Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/53656

TitleCiência experimental com públicos incomuns
Author(s)Oliveira, Clara Costa
Alves, Alice
Simões, Chisoka
Cunha, Eugénia
Coelho, Sílvia
Nobre, Alexandra
KeywordsEducação não formal
Públicos
Issue date2016
PublisherSciCom Pt (Rede de Comunicação de Ciência e Tecnologia de Portugal)
Abstract(s)Em Portugal, a Universidade do Minho forma educadores não formais de adultos há mais de 25 anos, promovendo o empoderamento das populações e estimulando a intervenção e a mudança nas suas comunidades. Nesse sentido, em articulação com o grupo STOL-Science Through Our Lives começámos, há 2 anos, a introduzir a ciência experimental numa lógica de aumento da literacia científica do público-alvo, bem como de diferenciação dos modelos de animação habituais, geralmente associados a preconceitos idadistas fortes. Apresentamos 4 destes projectos, implementados com diferentes públicos de adultos, nomeadamente: (i e ii) utentes de um lar de idosos, (iii) veteranos de guerra e (iv) consumidores de drogas ilegais. As actividades experimentais, jogos, vídeos e demonstrações, com forte componente visual e cinestésica, realizadas nas populações atrás mencionadas foram, respectivamente: (i) análise dos pigmentos fotossintéticos no Outono e observação de fotografias SEM (Scanning Electron Microscopy) de detalhes biológicos, (ii) a aterosclerose (sintomas, comportamentos de risco, cuidados a ter) e construção de modelos que simulam a deposição de placas ateroscleróticas; (iii) o mar como meio de comunicação e de apoio da biodiversidade e a tecnologia ao serviço da orientação espacial e da comunicação, e (iv) observação do céu nocturno (estrelas e constelações), construção de um relógio de sol e exploração das dinâmicas de uma horta. A concretização dos projectos envolveu formação específica nestas temáticas por parte dos educadores não formais de adultos, realizada pelo grupo STOL. Em contraposição, estes profissionais detêm saber comunicacional e dominam metodologias específicas em educação não formal, que utilizaram na divulgação de ciência, numa articulação feliz entre as ciências da educação e as ciências naturais. Os métodos mais utilizados nesta prática foram: abordagens hands-on, criação de maquetas/modelos, visualização de filmes e de imagens, implementação de jogos, estratégias expositivo-dialogantes, dinâmicas de grupo, role-playing, PBL (Problem Based Learning) e narrativas. Todas as actividades foram submetidas a avaliação contínua e ajustada às especificidades da população-alvo através de observação participante, conversas informais e/ou inquéritos por questionário). Por fim, vinculamos esta parceria (logo, estas actividades) à educação ao longo da vida, de acordo com o preconizado pela ONU, desde 1976 (Declaração de Nairobi).
TypeAbstract
URIhttp://hdl.handle.net/1822/53656
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CEHUM - Comunicações
DBio - Comunicações/Communications in Congresses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
1º painel oradores.pdf168,72 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID