Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/51672

TitleRevestimentos tradicionais como proteção de betões de elevado volume de cinzas volantes face à carbonatação
Author(s)Reis, Rui
Soares, João
Camões, Aires
Ribeiro, Manuel
KeywordsBetão eco-eficiente
Cal hidratada
Carbonatação
Cinzas volantes
Proteção betão
Issue dateFeb-2018
PublisherInstitute for Research and Technological Development in Construction Sciences (ITECONS)
CitationReis R. J. C., Soares J., Camões A., Ribeiro M. Revestimentos Tradicionais como Proteção de Betões de Elevado Volume de Cinzas Volantes Face à Carbonatação, CLBMCS2018, 3º Congresso Luso Brasileiro de Materiais de Construção Sustentáveis, pp. 1-12, 978-989-20-8148-9, 2018
Abstract(s)Os betões de elevado volume de cinzas volantes poderão ser materiais com melhor desempenho do que os betões correntes de cimento Portland. Além disso, são ambientalmente mais sustentáveis porque a sua composição contém menos clínquer e, ainda, porque incorporam um subproduto industrial poluente. No entanto, a sua resistência à carbonatação é reduzida, porque, através da própria reação pozolânica, dá-se a neutralização do hidróxido de cálcio, reduzindo o seu nível de alcalinidade, tão necessário para manter a passivação das armaduras. Uma das formas de aumentar a resistência ao ataque por carbonatação poderá estar na consideração da existência do revestimento do betão. De facto, na grande maioria das construções correntes, a presença de um revestimento sobre o betão é uma realidade, muitas vezes ignorada no estudo da durabilidade. Por este motivo, investigou-se qual a eficiência dos revestimentos quando aplicados sobre um betão de elevado volume de cinzas volantes. Deu-se prioridade aos revestimentos tradicionais sem pintura, de base cimentícia, cal hidratada ou ambos. Também se avaliou um revestimento com base em cinzas volantes. Submeteram-se a ensaios de carbonatação acelerada os betões revestidos, bem como as argamassas representativas das camadas dos revestimentos. Os resultados foram excelentes, observando-se que o desempenho dos betões revestidos foi, em média, superior a 35% face ao betão não revestido.
TypeConference paper
URIhttp://hdl.handle.net/1822/51672
ISBN978-989-20-8148-9
Publisher versionhttp://www.clbmcs2018.uc.pt
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:C-TAC - Comunicações a Conferências Nacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2803-ID 381.pdf613,58 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID