Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/51568

TitleComunidade bacteriana associada à filosfera da oliveira e a sua capacidade antagonista contra Pseudomonas savastanoi pv. savastanoi
Author(s)Mina, Diogo
Santos, Alba
Pereira, José Alberto
Lino-Neto, T.
Baptista, Paula
KeywordsOleae europaea
Oliveira
Tuberculose
Comunidade bacteriana
Filosfera
Issue date2017
Abstract(s)A tuberculose da oliveira é uma das doenças mais importantes do olival, pelos prejuízos económicos que pode causar derivada das perdas de produção e de qualidade dos produtos obtidos. É provocada pela bactéria Pseudomonas savastanoi pv. savastanoi (Psv), que causa a formação de nódulos nos caules e ramos, raramente afetando as folhas e os frutos. A inexistência de métodos de luta eficazes contra esta doença associado ao crescimento da agricultura biológica, tem incentivado a realização de estudos que visem a identificação de agentes de luta biológica que possam ser usados contra a tuberculose da oliveira. Este trabalho teve como objetivo isolar bactérias da filosfera da oliveira e efetuar uma seleção dos isolados com maior capacidade de inibir o crescimento de Psv. As bactérias endofiticas e epifiticas foram isoladas de folhas, caules e nódulos das cvs. "Cobrançosa" (tolerante à doença) e "Verdeal Transmontana" suscetível à doença), pela inoculação destes segmentos esterilizados ou por diluições decimais sucessivas de material não esterilizado em meio de cultura Luria-Broth (LB), respetivamente. Os isolados obtidos foram identificados por sequenciação da região 16Sdo rDNA e, a sua atividade antagonista contra Psvfoi avaliada recorrendo ao método da co-cultura em meio LB.Os valores dos raios internos (na região inter-inóculos) das colónias, foram determinados e comparados com o controlo (culturas com um inóculo de Psv). Para os isolados que demonstraram uma evidente ação antagonista, foram ainda avaliados os mecanismos a ela associados em condições in vitro, nomeadamente a produção de enzimas líticas, compostos voláteis e de sideróforos, utilizando métodos qualitativos. A análise de escala multidimensional não métrica (NMDS) associada à análise de similaridade ANOSIM mostrou que a composição da comunidade bacteriana endofitica e epifitica diferiu entre cultivares e órgão vegetal amostrado, apresentando os caules o maior número de espécies exclusivas pertencentes aos géneros Agrococcus e Frondihabitans. Dos 60 isolados testados, cerca de 20% exibiram capacidade para inibir o crescimento de Psv em mais de 50% face ao controlo. De uma maneira geral, as espécies isoladas de caules e nódulos da cv. Cobrançosa apresentaram uma maior capacidade antagonista (mais de 20%) face aos isolados obtidos da cv. Verdeal Transmontana, tanto ao nível da comunidade endofitica como epifitica. A produção de enzimas líticas, em especial de proteases, bem como de sideroforos e de compostos voláteis pelos isolados bacterianos testados, pareceu estar envolvida no mecanismo antagonista contra Psv. Os resultados sugerem que a cultivar e o tipo de órgão vegetal tem influência no processo de colonização das bactérias na oliveira. A menor susceptibilidade da cv. "Cobrançosa" à tuberculose parece estar relacionada com a presença de bactérias endofiticas e epifiticas na filosfera, em especial de antagonistas. O efeito destes microrganismos tem de ser confirmado em ensaios in planta em trabalhos futuros.
TypeAbstract
URIhttp://hdl.handle.net/1822/51568
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:DBio - Comunicações/Communications in Congresses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Mina.pdf2,02 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID