Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/49958

TítuloLegislação e programas de incentivo para a gestão da procura de energia
Autor(es)Machado, Bruno Amadeu
Castro, Maria de Fátima Morais de Aguiar e
Bragança, L.
Palavras-chaveEconomia circular
Energia
Redes inteligentes
DataNov-2017
EditoraUniversidade do Minho
CitaçãoMachado B. A., Castro M. F., Bragança L. Legislação e Programas de incentivo para a gestão da procura de energia, II Encontro Nacional Sobre Reabilitação Urbana e Construção Sustentável, pp. 169-178, 978-989-96543-9-6, 2017
Resumo(s)A energia encontra-se atualmente intrinsecamente ligada ao desenvolvimento tecnológico, sendo a fonte de alimentação da maior parte dos sistemas, não se justificando deste modo um crescimento irracional da sua procura e oferta. Na União Europeia, os edifícios são responsáveis por 40% da energia consumida e 36% das emissões de CO2. Deste modo, a UE tem vindo a desenvolver políticas e regulamentos para a construção sustentável, de forma a mitigar os impactes ambientais e reduzir as necessidades energéticas desde a fase de conceção até à demolição. O ambiente construído sustentado nos princípios da economia circular, com edifícios concebidos modularmente com materiais não tóxicos e produzindo mais energia do que a que necessitam, devem ser parte integrante das infraestruturas existentes. Assim, a gestão da procura de energia consiste na promoção da redução da procura em períodos de pico e da utilização racional da mesma. Ou seja, pretende-se repensar a sua utilização de acordo com a introdução de tarifas dinâmicas que trazem vantagens económicas e ambientais, sendo que, através de baixos preços de produção, se promove o uso eficiente de energia e conservação da mesma durante os períodos de baixa procura para utilização durante os períodos de pico. Contudo, quando as decisões políticas acarretam implicações sociais, estas necessitam de ser bem articuladas com as tecnologias existentes, explorando o conceito da ?internet das coisas? para promoção da mudança de paradigma por parte dos intervenientes. Consequentemente, os edifícios devem correlacionar-se com a rede elétrica de forma a otimizar o conceito das ?redes inteligentes? e interagir com os seus ocupantes para uma gestão de recursos eficiente, minimizando desperdícios, promovendo a gestão e procura sustentável ao longo do ciclo de vida. Este artigo, promove uma análise de todos os fatores e implicações por parte dos intervenientes para um desenvolvimento sustentável da utilização eficiente de recursos e energia.
TipoconferencePaper
URIhttp://hdl.handle.net/1822/49958
ISBN978-989-96543-9-6
Versão da editorahttp://www.iisbeportugal.org/encontro-rucs/
Arbitragem científicayes
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:C-TAC - Comunicações a Conferências Nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2775-19-RUCS_BAMMFCLB.pdf803,24 kBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis