Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/48634

TitleA contabilidade de gestão no suporte da responsabilidade social corporativa
Other titlesHow Management Accounting supports Corporate Social Responsibility
Author(s)Bogo, Adelaide Maria
Advisor(s)Brás, Maria Filomena Pregueiro Antunes
KeywordsContabilidade de Gestão
Institucionalização
Legitimidade
Nova Sociologia Institucional
Responsabilidade Social Corporativa
Teoria Institucional
Teoria dos Stakeholders
Management Accounting
Corporate Social Responsibility
Institutional Theory
Institutionalisation
Legitimacy
New Institutional Sociology
Stakeholder Theory
Issue date19-Sep-2017
Abstract(s)Esta tese analisa a Contabilidade de Gestão (CG) no suporte da Responsabilidade Social Corporativa (RSC) em organizações industriais, especificamente, procura-se compreender como e porquê estas práticas são adotadas. Na literatura vários autores apelam para trabalhos nesta área, dada a escassez de investigações e a necessidade de reduzir o gap entre o conhecimento teórico e prático. Alguns estudos indicam que as organizações respondem às pressões institucionais e que, portanto, estão a refletir a realidade social deste ambiente como forma de assegurar a sua sobrevivência. Este pressuposto levou esta investigação a adotar a linha teórica da Nova Sociologia Institucional (NIS), suportada pela Teoria Institucional para a construção da explanação e, a complementar o referencial é feito uso dos princípios de relacionamento com os stakeholders da Teoria dos Stakeholders, bem como dos conceitos de Sistemas Institucionais. A metodologia adotada é o estudo de caso múltiplo, paradigma positivista, abordagem qualitativa e natureza explanatória, no qual se busca responder como e porquê. Adotou-se a entrevista semiestruturada para a coleta de dados, analisaram-se nove casos, tendo sido realizadas 27 entrevistas. Os resultados indicam que as organizações são homogêneas na dimensão ambiental, todavia, não o são na dimensão social, bem como estão a apresentar isomorfismo coercivo para as práticas da CG para as questões ambientais e normativo para as questões sociais. A explicação pode ser encontrada no sistema regulatório do país que é complexo e rigoroso para as questões ambientais, por estar voltado ao atendimento do sistema produtivo do país e as organizações analisadas serem do setor industrial. A sociedade, por sua vez, encontra-se ao largo do sistema regulatório. O sistema cultural-cognitivo também interfere, uma vez que, apesar da sociedade brasileira valorizar o meio ambiente e de ser solidária, não apresenta formas estruturadas de exercer pressão. Portanto, evidenciou-se que as questões ambientais estão a representar risco para a organização, enquanto que as questões sociais não estão a representar risco.
This thesis analyzes Management Accounting (MA) in support of Corporate Social Responsibility (CSR) in industrial organizations. Specifically, it aims to understand how and why these practices are adopted. In the literature, several authors call for work in this area, given the scarcity of research and the need to reduce the gap between theoretical and practical knowledge. Some studies indicate that organizations respond to institutional pressures and therefore they are reflecting the social reality of this environment as a mean of ensuring their survival. Therefore, this assumption led this research to adopt the theoretical line of the New Institutional Sociology, supported by the Institutional Theory for the construction of the explanation and to complement the referential is made use of the principles of stakeholders’ relationship of Stakeholders Theory, as well as concepts of Institutional Systems. The methodology adopted is the multiple case study, positivist paradigm, qualitative approach and explanatory nature, in which one tries to answer the how and why. A semistructured interview was used to collect data, nine cases were analyzed and 27 interviews were conducted. The results indicate that organizations are homogeneous in the environmental dimension, however, they are not in the social dimension, as well as they are presenting coercive isomorphism to MA practices for environmental and normative to the social issues. The explanation can be found in the country's regulatory system, which is complex and rigorous for environmental issues, because it is focused on the country's productive system and the organizations analyzed are from the industrial sector. Society, in turn, is off this regulatory system. The cultural-cognitive system also interferes, since, despite Brazilian society values the environment and is solidary, does not present structured forms to exerting pressure. Therefore, the study found evidence that environmental issues represent risk to the organization, while social issues are not representing risk.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de Doutoramento em Contabilidade
URIhttp://hdl.handle.net/1822/48634
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Adelaide Maria Bogo.pdf3,74 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID