Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/47128

Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorTereso, Anabela Pereirapor
dc.contributor.advisorFernandes, Aldora Gabriela Gomespor
dc.contributor.authorPereira, Rita de Andrade Britespor
dc.date.accessioned2017-11-08T11:43:33Z-
dc.date.issued2016-
dc.date.submitted2016-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1822/47128-
dc.descriptionDissertação de mestrado em Engenharia Industrialpor
dc.description.abstractA gestão de benefícios é descrita pelo Standard of Program Management do Project Management Institute (PMI) como um mecanismo para analisar toda a informação disponível sobre estratégias de gestão, fatores internos e externos e motivações, cujo objetivo é identificar e categorizar os benefícios esperados. Estes potenciais benefícios devem ser registados, analisados, classificados, planeados e perseguidos. Estudos recentes demonstram que as parcerias estabelecidas entre as Universidades e a Indústria são percecionadas como um investimento por ambos os lados. Como tal, com a intenção de otimizar este investimento, os gestores de projeto envolvidos em projetos de I&D perspetivam a gestão de benefícios como uma ferramenta de valor acrescido. Este conceito conduz à ideia de que é plausível referir o conceito de retorno de investimento, e, como tal, estabelecer ligações entre os recursos investidos e os benefícios obtidos. Porém, a gestão de benefícios é um conceito mais complexo que não deve ser reduzido a meros indicadores económicos, isto porque se o intuito é empreender numa gestão de benefícios apropriada, é fundamental também prestar atenção aos fatores intangíveis, que, usualmente, não são formalmente expressos, mas são reconhecidos pelos stakeholders. Com o aumento das parcerias Universidade-Indústria e a crescente importância que lhes é associada ao desenvolvimento estratégico das economias nacionais e locais, é crucial desenvolver novas metodologias para enfrentar os desafios com que esta forma de colaboração se defronta, para que assim seja feita uma gestão de benefícios apropriada de todos os benefícios que resultam desta simbiose. Assim sendo, este estudo procura promover uma discussão sobre benefícios e fatores críticos para a realização dos benefícios, através de dois métodos distintos de categorização, a fim de qualificar e entender melhor como cada benefício e fator crítico contribuem para desenvolver uma abordagem para a gestão de benefícios em projetos de I&D colaborativos.por
dc.description.abstractBenefits Management is described by the Standard of Program Management from Project Management Institute (PMI) as a way of analysing all available information about management strategies, internal and external factors and the motivations for the project with the purpose of identifying and categorize all of the expected benefits. These potentially benefits should be registered, analysed, classified,planned and pursued. Recent research shows that partnerships established between universities and industries are perceived as an investment from both sides. As thus, with the intention of enhancing this investment, project managers involved in R&D collaborative projects have perceived Benefits Management as a tool of growing value. This concept leads us to the idea that it is reasonable to employ the concept of return on investment and, therefore, establish relationships between the resources invested and the benefits obtained. However, benefits management is something more complex and should not be downsized to just economic indicators because, if we want to commit to an appropriate benefits management approach, it is crucial to pay attention to all factors, especially to factors that are intangible and therefore are not formally expressed, but are recognized by stakeholders. With the increase of University-Industry partnerships and its growing importance to promote the strategic development of national and mainly local economies, it is critical to develop new methodologies to face the challenges that this type of partnerships encounter, so that an appropriate benefits management is applied to all the benefits resulting from this symbiosis. Therefore, this study seeks to promote a discussion about benefits and critical factors for the benefit realization through two distinct methods of categorization in order to better qualify and understand how each benefit and critical factor contribute to develop an approach to benefits management in R&D collaborative projects.por
dc.language.isoporpor
dc.rightsopenAccess-
dc.subjectGestão de benefíciospor
dc.subjectParcerias Universidade-Indústriapor
dc.subjectProgramas de projetos em I&Dpor
dc.subjectFatores críticospor
dc.subjectBenefits managementpor
dc.subjectUniversity-Industry partnershipspor
dc.subjectCritical factorspor
dc.subjectR&D program of projectspor
dc.titleGestão de benefícios em programas de projetos de I&D em colaboração Universidade-Indústriapor
dc.typemasterThesiseng
dc.identifier.tid201598701por
thesis.degree.grantorUniversidade do Minhopor
sdum.degree.grade16 valorespor
sdum.uoeiEscola de Engenhariapor
dc.subject.fosEngenharia e Tecnologia::Outras Engenharias e Tecnologiaspor
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Rita de Andrade Brites Pereira.pdf.pdf2,38 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID