Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/46311

TitleEntre uma gestão menos democrática e uma escola para todos: uma abordagem preliminar a partir de um estudo de caso
Author(s)Macedo, Ana Paula
Martins, Maria Fernanda dos Santos
Issue date2017
PublisherEditorial Comares
CitationMacedo, A. P., & Martins, F. (2017). Entre uma gestão menos democrática e uma escola para todos: Uma abordagem preliminar a partir de um estudo de caso. In M. Homrani, I. A. Ruiz, & D. E. B. Zarabanda (Coord.), Respuestas e intervenciones educativas en una sociedad diversa (pp. 893-903). Granada: Editorial Comares, S.L.
Abstract(s)O Decreto-Lei nº 75/2008, de 22 de abril tem sido objeto de múltiplas investigações com um pressuposto comum que assenta, por um lado, no carácter recentralizador do poder político e da administração escolar e, por outro lado, pela emergência da liderança unipessoal concentrando sobre si vários poderes e competências. Importa contextualizar que esta última alteração surge em decorrência de um processo lento e gradual de concentração de poderes no órgão de gestão, ainda que em períodos e em modelos anteriores o órgão de gestão apresentasse uma configuração colegial (cf. Martins, 2009; 2011). Também importa clarificar que esta alteração ao modelo de gestão ocorre no contexto de implementação de um outro conjunto de medidas em matéria de administração escolar, destacando-se: a constituição de agrupamentos de escolas; a adesão a modalidades de autonomia técnica e instrumental, entre outras. Dentro deste cenário surgem interpretações acerca da figura do diretor que se inscrevem num movimento de desconcentração algo radicalizado, capaz de assegurar o tradicional predomínio do centro sobre as periferias e de o dotar de maior eficácia em termos de controlo, transformando o seu cargo no “rosto” do poder central junto da escola. Note-se que a expressão desta nova lógica de regulação das escolas era previsível, uma vez que desde a década de 1980 que existiam sinais da mudança - práticas de gestão democrática débeis, consubstanciadas, entre e outros aspetos num decréscimo substantivo na apresentação de listas concorrentes ao conselho diretivo (Lima, 2011). A imposição deste modelo de governação, para além da concentração de poderes no órgão de gestão, acaba por atribuir os referidos poderes e competências a um único sujeito, “dessa forma alongando e verticalizando o respetivo organigrama e reforçando as prerrogativas de uma liderança formalmente unipessoal” (Lima, 2011, p. 47).
TypeBook part
URIhttp://hdl.handle.net/1822/46311
ISBN978-84-9045-519-7
Peer-Reviewedyes
AccessRestricted access (UMinho)
Appears in Collections:CIEd - Capítulos de Livros / Book chapters
ESE-CIE - Livros e Capítulos de Livros / Books and Book Chapters

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Entre uma gestão menos democrática e uma escola para todos.pdf
  Restricted access
460,23 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID