Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/4495

TitleDilemas e paradoxos da cientifização da justiça em Portugal: o caso dos perfis genéticos de ADN
Author(s)Machado, Helena
KeywordsJustiça
Perfis de ADN
Issue date2005
PublisherFórum Manifesto
JournalManifesto
Citation"Manifesto". ISSN 1645-5940. 7 (2005) 64-75.
Abstract(s)Focando essencialmente os processos de compreensão e utilização dos perfis de ADN revelados pelos magistrados portugueses, pretende-se compreender as interacções, traduzíveis em lutas simbólicas, entre peritos forenses – cuja autoridade é legitimada pela sua competência específica para produzir ciência – e um público receptor da ciência cuja autoridade se fundamenta na competência específica para aplicar a lei e por conseguinte para apreciar a prova pericial. A abordagem aqui apresentada dos modos como o sistema jurídico português tem vindo a incorporar nas suas actividades a tecnologia de identificação de indivíduos por ADN, centra-se no pressuposto teórico de que a compreensão e utilização dessa prova pericial constituí um processo de interpretação localizada da ciência, que no entanto obedece a constrangimentos e exterioridades instituídos por redes mais globais de produção de conhecimentos e de práticas, que articulam o sistema jurídico e o mundo da ciência forense, segundo contingências nacionais, internacionais e transnacionais.
TypeArticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/4495
ISSN1645-5940
Peer-Reviewedno
AccessOpen access
Appears in Collections:CECS - Artigos em revistas nacionais / Articles in national journals
DS/CICS - Artigos em Revistas Nacionais/Articles in National Journals

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
revista manifesto.pdf131,15 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID