Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/44370

TítuloMetalizações detríticas e biogénicas em efluentes e resíduos mineiros de Valdarcas, Vila Nova de Cerveira
Outro(s) título(s)Detrital and biogenic metallizations in effluents and wastes from Valdarcas mine, Vila Nova de Cerveira (NW Portugal)
Autor(es)Faria, R.
Alves, Raquel Cepeda
Rodrigues, L.
Gomes, C. Leal
Palavras-chaveMina de Valdarcas
Drenagem ácida
Sulfidização
Ouro nativo
Valdarcas Mine
Acid mine drainage
Biogenic sulphidation
Native gold
Data2014
EditoraLaboratório Nacional de Energia e Geologia
RevistaComunicações Geológicas
CitaçãoComunicações Geológicas (2014) 101, Especial II, 777-780.
Resumo(s)Na mina de Valdarcas, a drenagem ácida relacionada com resíduos mineiros de elevada cominuição favoreceu o aparecimento de algas acidófilas (géneros de Klebsormidium e Euglena), que se instalaram em colónias densas e filamentosas no leito das escorrências. Tais colónias comportam-se como células naturais de separação hidrogravítica que, num estádio necrótico tendem para a crustificação de partículas densas em plasma schwertmanítico e goethítico, pelo incremento da oxidação e precipitação do Fe. O material vegetal detrítico colhido no mesmo sistema de drenagem foi analisado em microscopia electrónica de varrimento (MEV–ER, ES, DE). Identificaram-se texturas típicas de resíduos vegetais crustificados com revestimentos de óxidos de ferro, mineralizações pseudomórficas com oxi – hidróxidos e em alguns casos tecidos “piritizados”. A presença de partículas de Au floculares em irregularidades dos tecidos vegetais incarbonizados ou mineralizados com goethite parece estar relacionada com episódios de perda do potencial mobilizador do Au por parte dos ligandos sulfatados em solução. O fenómeno ocorre especialmente em microambientes relacionados com a oxidação da matéria vegetal, combinada ou não com a neutralização ácida gerada por adição artificial de carbonato de Ca.
In Valdarcas, acid mine drainage from high comminution wastes promotes proliferation of acidophilic algae, such as Euglena and Klebsormidium, who settled in dense and filamentous colonies in the runoff. These colonies behave like natural cells of hidrodynamic separation and its necrotic evolution favors the occurrence of welllithified crusts with dense particles and arrested in a schwertmaníticgoethitic plasm. The vegetable detrital materials, collected in the drainage system, have been analysed in scanning electron microscopy (SEM-ER, ES, DE), revealing lithified plant tissues and abiogenic crusts with iron oxide coatings, pseudomorfic mineralization with oxy-hydroxides and, in some cases, pyritized plant tissues. The presence of Au particles in plant tissues, carbonatized or mineralized with goethite, seems to be related to episodes of loss mobilization potential of Au, by the sulphate ligands in solution. This phenomenon occurs in particular microenvironments, related with the oxidation of organic mat (plant), combined with the acid neutralization increased by the presence of calcium carbonate, added or natural.
Tipoarticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/44370
ISSN0873-948X
e-ISSN1647-581X
Versão da editorahttp://www.lneg.pt/iedt/unidades/16/paginas/26/30/185
Arbitragem científicayes
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:CIG-R - Artigos (Papers)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2014b_ComunicacoeGeologicas_Detrital and biogenic metallization_37_2910_ART_CG14_ESPECIAL_II.pdf2,82 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis