Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/43210

Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorCamacho, Gustavopor
dc.contributor.authorMalheiro, Raphaele Lira Meireles Castropor
dc.contributor.authorCamões, Airespor
dc.contributor.authorMeira, Gibsonpor
dc.date.accessioned2016-12-02T10:53:12Z-
dc.date.available2016-12-02T10:53:12Z-
dc.date.issued2016-11-
dc.identifier.citationCamacho G., Malheiro R., Camões A., Meira G. Ação Combinada da Carbonatação e dos Iões Cloreto em Betões com Cinzas Volantes, II CLB-MCS 2016, II Congresso Luso Brasileiro de Materiais de Construção Sustentáveis, 2016-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1822/43210-
dc.description.abstractA incorporação de cinzas volantes (CV) em matrizes cimentícias tem sido frequentemente utilizada a fim de tornar a matriz mais resistente à ação dos cloretos. Contudo, sabe-se que o Ca(OH)2 existente na matriz é parcialmente consumido pelas reações pozolânicas, o que facilita o avanço da frente de carbonatação. Uma vez que a ação dos iões cloreto e da carbonatação estão, normalmente, na origem do fenómeno de corrosão do aço no betão, é importante perceber o comportamento de betões com incorporação de CV quando a estrutura é submitida à ação combinada destes dois agentes agressores. Desta forma, estudou-se a influência da profundidade de carbonatação no coeficiente de difusão de cloretos. Para tal, foram utilizadas amostras de betão com uma percentagem de CV em substituição da massa de ligante de 40%, cimento CEM I 42,5 R e com uma razão água/ligante de 0,5. Após o período de cura, 90 dias, as amostras foram carbonatadas sob as seguintes condições: 20ºC, 55%HR e 4%CO2, durante 1, 2 e 3 meses. Ao fim de cada período de carbonatação, foram ensaiadas as amostras carbonatadas, através do ensaio de migração em regime não estacionário de acordo com a especificação LNEC E463. Os resultados obtidos permitiram concluir que o efeito combinado dos agentes agressores estudados traduz-se num aumento da penetração de cloretos no betão com CV. Acredita-se que o aumento da profundidade de carbonatação, ao longo dos três períodos de ensaio, foi o responsável pelo aumento do coeficiente de difusão de cloretos que esteve na ordem dos 50%, do primeiro para o terceiro mês.por
dc.language.isoporpor
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectBetãopor
dc.subjectCinzas volantespor
dc.subjectCarbonataçãopor
dc.subjectIões cloretopor
dc.subjectMigraçãopor
dc.titleAção combinada da carbonatação e dos iões cloreto em betões com cinzas volantespor
dc.typeconferencePaper-
dc.peerreviewedyespor
dc.commentshttp://ctac.uminho.pt/node/2487por
sdum.publicationstatusinfo:eu-repo/semantics/publishedVersionpor
oaire.citationConferenceDate07 - 09 Nov. 2016por
sdum.event.typeconferencepor
oaire.citationConferencePlaceJoão Pessoa, Brasilpor
oaire.citationTitleII CLB-MCS 2016, II Congresso Luso-Brasileiro de Materiais de Construção Sustentáveispor
dc.date.updated2016-11-22T18:11:53Z-
sdum.conferencePublicationII CLB-MCS 2016, II Congresso Luso-Brasileiro de Materiais de Construção Sustentáveispor
Appears in Collections:C-TAC - Comunicações a Conferências Nacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2487-7.27_VF.pdf253,71 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID