Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/43153

TítuloSuboptimal choice and the value of information
Outro(s) título(s)Escolhas subótimas e o valor da informação
Autor(es)Fortes, Maria Inês Abreu
Orientador(es)Machado, Armando
Vasconcelos, Marco
Data15-Jul-2016
Resumo(s)The environment is full of unpredictable events. Information that reduces uncertainty about events allows an organism to better predict and prepare to what is to come. For that reason, obtaining information can be crucial for survival. In the present dissertation we explored a task in which animals trade food for information. In this task, animals choose between two options: the Informative Option delivers food on 20% of the trials after a 10-s delay, signaled by “good-news stimulus”, and delivers no food on the remaining 80% of the trials, signaled by a “bad-news stimulus”. The Non-informative Option delivers food after 10 s on 50% of the trials, regardless of which of two different stimulus is shown. A consistent and almost exclusive preference for the Informative Option has been found, even though that results in loss of food. In Study 1 we showed that this suboptimal choice can be explained by animals ignoring the bad-news stimulus: its probability and duration had little to no effect on preference. In Study 2 we showed that, when given the opportunity, animals escape from the bad-news stimulus. Moreover, our results suggest that ignoring the bad-news stimulus means that, even though this stimulus is perceived, it is not associated with the choice of the Informative Option. In Study 3 we increased the probability of reinforcement following the until-then bad-news stimulus, and found that, as paradoxically as it may seem, within the tested range, the value of the Informative Option decreased as the probability of reinforcement increased. This increase in reinforcement was consistent with an increase in the association of the bad-news stimulus to the Informative Option. In all studies we showed that an optimal foraging-based model (Vasconcelos, Monteiro, & Kacelnik, 2015) accounted at least as well as a conditioned reinforcement-based model (Mazur, 1987), thus deconstructing the idea that this suboptimal behavior contradicts optimal foraging principles. These findings are expected to contribute in calling attention to the ecology of the animal, bringing animal psychology and behavior ecology closer.
O meio ambiente é repleto de eventos imprevisíveis. A informação que reduz a incerteza acerca dos eventos permite um organismo prever e preparar-se melhor para o futuro. Por essa razão, obter informação pode ser crucial para a sobrevivência. Nesta dissertação explorámos uma tarefa na qual os animais trocam comida por informação. Nesta tarefa, os animais escolhem entre duas opções: a Opção Informativa dá comida em 20% dos ensaios após um atraso de 10 s, sinalizados por um “estímulo de boas notícias”, e não dá comida nos restantes 80% dos ensaios, sinalizados por um “estímulo de más notícias”. A Opção Não Informativa dá comida após 10 s em 50% dos ensaios, independentemente de qual de dois estímulos é apresentado. Tem-se encontrado uma preferência consistente e praticamente exclusiva pela Opção Informativa, apesar disso resultar em perda de comida. No Estudo 1 mostrámos que esta escolha subótima pode ser explicada pelos animais ignorarem o estímulo das más notícias: a sua probabilidade e duração tiveram pouco ou nenhum efeito na preferência. No Estudo 2 mostrámos que, quando dada a oportunidade, os animais escapam do estímulo das más notícias. Para além disso, os nossos resultados sugerem que ignorar o estímulo das más notícias significa que, apesar de este estímulo ser percecionado, não é associado com a escolha da Opção Informativa. No Estudo 3 aumentámos a probabilidade de reforço após o até então estímulo das más notícias e descobrimos que, paradoxalmente, dentro da amplitude testada, o valor da Opção Informativa diminuiu à medida que a probabilidade de reforço aumentou. Este aumento foi consistente com um aumento na associação do estímulo das más notícias com a Opção Informativa. Em todos os estudos mostrámos que um modelo baseado na em optimal foraging (Vasconcelos, Monteiro, & Kacelnik, 2015) dá conta dos dados tanto quanto um modelo baseado em reforçamento condicionado (Mazur, 1987), desconstruindo assim a ideia de que este comportamento subótimo contradiz os princípios de optimal foraging. Esperamos que estes resultados contribuam para chamar à atenção a ecologia do animal, unindo assim a psicologia animal e a ecologia comportamental.
TipodoctoralThesis
DescriçãoTese de Doutoramento em Psicologia Básica.
URIhttp://hdl.handle.net/1822/43153
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:CIPsi - Teses de Doutoramento
BUM - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Maria Inês Abreu Fortes.pdf3,76 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis