Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/43031

TítuloChange of self-narratives in depression: core conflictual relationship theme and innovative moments
Outro(s) título(s)Mudança das autonarrativas na depressão: core conflictual relationship theme e momentos de inovação
Autor(es)Silva, João Carlos Batista
Orientador(es)Gonçalves, Miguel M.
Data1-Jul-2016
Resumo(s)This dissertation explores the role of narrative changes in psychotherapy. Narratives guide the interpretation of experiences. From these, the set of rules that guide interpersonal interactions, termed relational schemas, are particularly significant. Relational schemas of persons with psychological disorders tend to be highly rigid. The Core Conflictual Relationship Theme (CCRT) is a method that identifies recurrent relational patterns through three components: client’s wishes and needs (W), the responses of the others (RO), and the responses of the self (RS). The rigidity of CCRT is measured through the pervasiveness (dominance of specific W, RO and RS), dispersion (the spread of all rated W, RO and RS) and valence (positive RO and RS). Research with this method indicated that symptoms recovery is associated with less pervasive or more disperse and more positive CCRT. Relational schemas constitute the macro-narrative level of analysis. Innovative Moments (IMs), referring to experiences outside the maladaptive rules and assumptions, represents the micro-narrative level. IMs may allow reorganizing an alternative macro-narrative, more flexible and satisfactory. IMs are organized in two levels: Low-level IMs create distance from the problematic macro-narrative, while high-level IMs focus on the expansion of an alternative macro-narrative. Research with the Innovative Moments Coding System (IMCS) showed that recovered clients presented more high-level IMs than unchanged ones. This dissertation addresses the gap of research on the association between different narrative levels, analyzing the associations between the micro-narrative level, the macro-narrative level and psychotherapy outcome. The first study explored the association between relational schemas, assessed with the CCRT, and psychotherapy outcome on a sample (N=22) of clients diagnosed with major depressive disorder followed in brief psychotherapy (10 clients in narrative therapy, six in cognitive-behavior and six in emotion-focused therapy). Recovery was associated with less rigid and more positive RO and RS. These results reinforced the notion that relational schemas changes are a key ingredient to psychotherapeutic recovery. The second study explored the association between macro- and micro-narrative levels, assessed with the CCRT and IMCS, in the same sample (N=22). High-level IMs significantly predicted RO and RS dispersion and all component’s pervasiveness. These results demonstrated that the elaboration of micro-narrative events outside the problematic view were significant predictors of changes in the macro-narrative structures. The third study compared two cases from the cognitive-behavior therapy sub-sample. Although both clients were recovered, only one presented narrative changes in macro- and micro-narrative levels. This client maintained gains in the follow-ups whereas the client with only symptomatic recovery showed a relapse in the follow-ups. This study highlighted the importance of narrative changes in psychotherapy outcome. The contribution of this dissertation to psychotherapy research can be summed up in three points: 1) it showed that relational schemas are open to change in brief psychotherapy; 2) it demonstrated that the IMs are predictors of changes in relational schemas; 3) and it highlighted the importance of narrative changes in psychotherapy recovery and maintenance of gains.
Esta dissertação explora o papel das mudanças narrativas em psicoterapia. As narrativas guiam a interpretação da experiência, constituindo o nível macro-narrativo. O conjunto de regras que orientam as interações interpessoais, os esquemas relacionais, são particularmente relevantes neste nível. Os esquemas relacionais de pessoas com perturbação psicológica tendem a ser extremamente rígidos. O Core Conflictual Relationship Theme (CCRT) identifica padrões relacionais através de três componentes: os desejos (W), as respostas dos outros (RO) e as respostas do self (RS). A rigidez do CCRT é medida pela dominância (W, RO e RS mais frequentes), dispersão (a distribuição dos componentes) e a valência (RO e RS positivas). A investigação tem associado a melhoria em psicoterapia a um CCRT mais positivo e menos rígido. Os Momentos de Inovação (MIs) representam o nível micro-narrativo, possibilitando a organização de uma macro-narrativa alternativa. São organizados em dois níveis: Os MIs elementares (distanciamento da visão problemática) e os MIs elaborados (expansão da macro-narrativa alternativa). Em estudos com o Sistema de Codificação dos Momentos de Inovação (SCMI) o sucesso terapêutico associou-se a maior proporção de MIs elaborados. Esta dissertação tem como principal objetivo analisar as possíveis associações entre o nível micro-narrativo, o nível macro-narrativo e o resultado da psicoterapia. O primeiro estudo analisou a associação entre os esquemas relacionais, avaliados com o CCRT, e o resultado terapêutico. A amostra foi constituída por clientes diagnosticados com perturbação depressiva major acompanhados em psicoterapia breve (terapia narrativa, N=10, terapia cognitivo-comportamental; N=6, terapia focada-nas-emoções, N=6). O sucesso terapêutico apresentou uma associação com o aumento significativo da RO e da RS positivas e diminuição da rigidez dos mesmos componentes. Estes resultados reforçaram a noção que a mudança dos esquemas relacionais é um ingrediente do sucesso psicoterapêutico. O segundo estudo investigou a associação entre os níveis micro- e macro-narrativos, avaliados com o o IMCS e o CCRT na mesma amostra. Os MIs elaborados foram preditores da dispersão da RO e da RS e da dominância de todos os componentes do CCRT. A elaboração dos eventos micro-narrativos não abrangidos pela perspetiva problemática (MIs) foi desta forma preditora das mudanças em estruturas macro-narrativas (esquemas relacionais).O terceiro estudo comparou dois casos da sub-amostra de terapia cognitivo-comportamental. Apesar de ambas as clientes terem obtido sucesso terapêutico, apenas uma apresentou mudanças nos níveis macro- e micro-narrativos. Esta cliente manteve os ganhos terapêuticos nas sessões de seguimento enquanto a cliente que apresentou apenas melhoria de sintomas teve uma recaída nessas sessões. Este estudo realçou a importância da mudança narrativa no resultado terapêutico. Esta dissertação apresenta três contributos para o campo da investigação em psicoterapia: 1) demonstrou que os esquemas relacionais podem ser alterados em modelos de psicoterapia breve; 2) apresentou evidências que os MIs são preditores das mudanças nos esquemas relacionais; 3) realçou a importância das mudanças narrativas no resultado da psicoterapia e na manutenção dos ganhos terapêuticos.
TipodoctoralThesis
DescriçãoTese de Doutoramento em Psicologia Aplicada.
URIhttp://hdl.handle.net/1822/43031
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:CIPsi - Teses de Doutoramento
BUM - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
João Carlos Batista Silva.pdf2,94 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis