Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/42897

TitleAprendizagem e comunicação em Bateson: a exigência de uma epistemologia formal e complexa
Author(s)Oliveira, Clara Costa
KeywordsBateson
Epistemologia
Double bind
Aprender a aprender
Comunicação
Patamares de aprendizagem
Epistemology
Learning to learn
Communication
Learning levels
Issue dateMar-2016
PublisherUniversidade Estadual Paulista
JournalTrans/form/ação
Abstract(s)Para Bateson, a mudança social radicaria numa mudança epistemológica profunda que incidisse sobretudo na educação e na comunicação (onde incluía a sua teorização psicológica). Essa revolução paradigmática, baseada na lógica formal de Whitehead e Russell, evitaria discursos ditos científicos destituídos de rigor. Aqui, analisamos hermeneuticamente o seu pensamento, salientando os limites que a lógica formal encontra nas experiências éticas, religiosas e estéticas. Sem essa revolução, encontramo-nos condenados à estagnação intelectual, pois formamos cidadãos sem capacidade de aprender a aprender, que possibilitaria a capacidade de produzir abduções, inferência lógica tão necessária na produção do raciocínio humano; o seu desenvolvimento garantiria a capacidade de pensar/construir complexamente o mundo, interligando os saberes; poucos são também aqueles que explicitam e argumentam a favor das suas crenças, base axiomática da capacidade abdutiva. A organização social (via sistema educativo, formal e não formal) se constrói com sujeitos que raramente possuem mentes bem estruturadas, favorecedoras de passagem de patamares de aprendizagem para outros superiores. Antes se estimula a confusão de tipos lógicos, tomando o todo pela parte, por exemplo. Bateson critica também o sistema de avaliação quantitativo, diminuindo a possibilidade de formação do pensamento abstrato e formal, como a filosofia e a matemática exigem.
For Bateson, social change must be rooted in a profound epistemological shift focusing mainly on education and communication (which included his psychological theory) . This paradigmatic revolution, based on the formal logic of Whitehead and Russell , avoid speeches said scientific but devoid of rigor . Here, we analyzed hermeneutically his thinking on these issues, stressing the limits that formal logic has facing ethical, religious and aesthetic's experiences .Without this revolution , we are condemned to intellectual stagnation since training citizens without learning to learn capacity, which would allow the ability to produce abduction, logical inference required in the production of human reasoning; its development would ensure the ability to think/construct the world complexly , connecting various areas of knowledge; few are also those who explain and argue for their beliefs, axiomatic basis for abductive capacity. The social organization (via the formal and no formal educational system) depends on minds rarely well structured , favoring the passage of levels of learning for others higher . Also, it stimulates the confusion of logical types , taking the whole for the part, for example. Bateson also criticizes the quantitative evaluation system, decreasing the possibility of training of abstract and formal thought, like philosophy and mathematics require.
TypeArticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/42897
ISSN0101-3173
1980-539X
Peer-Reviewedyes
AccessRestricted access (Author)
Appears in Collections:CEHUM - Artigos publicados em revistas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
no prelo Texto 3 - Bateson - atualizado.pdf
  Restricted access
552,73 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID