Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/42853

TitleCaraterização dos dependentes internados em unidades de longa duração e manutenção
Other titlesCharacterization of the dependent hospitalized in long term care units and maintenance
Author(s)Petronilho, Fernando
Oliveira, Jorge Miguel Costa
Pereira, Vera Maria Batista
Carvalho, Dora Marina Freitas
Pereira, Cidália Maria Baptista Coutinho
KeywordsAutocuidado
Dependência
Processos corporais
Potencial de reconstrução de autonomia
Self-care
Dependence
Bodily processes
Potential reconstruction of autonomy
Issue dateFeb-2015
PublisherEscola Superior de Saúde Norte da Cruz Vermelha Portuguesa (ESSNorteCVP)
JournalEvidências
CitationPetronilho, F., Oliveira, J., Pereira, V., Carvalho, D.; & Pereira, C. (2015). Caraterização dos Dependentes Internados em Unidades de Longa Duração e Manutenção. Evidências (I Suplemento), fevereiro 2015, p. 44.
Abstract(s)Introdução: Em Portugal, as alterações demográficas caraterizadas por um envelhecimento acentuado da população é uma realidade. Uma das consequências é o aumento exponencial de dependentes no autocuidado. A Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI), constitui um dos pilares da organização dos cuidados de saúde, mas, fundamentalmente, um suporte significativo às famílias que integram dependentes (Decreto-Lei n.º 101/2006, de 6 de Junho). Objetivos: 1) Conhecer a condição de saúde dos dependentes internados em unidades de longa duração e manutenção (ULDM); 2) Identificar relações significativas entre as principais variáveis do estudo. Metodologia: Estudo descritivo, exploratório e de perfil quantitativo. A amostra é constituída por 82 participantes internados nas 3 ULDM da área de abrangência da Equipa Coordenadora Local (ECL) do ACES Alto Ave. A recolha de dados foi efetuada de 1 de março a 30 de junho de 2014. Aplicado o formulário “Perfil de saúde dos dependentes e famílias integrados nos prestadores de cuidados da RNCCI”. A análise dos dados foi efetuada com recurso ao SPSS, versão 22. Foram assegurados todos os pressupostos éticos necessários, incluindo o pedido de autorização à Comissão de Ética da ARS Norte para a realização da investigação, bem como, o consentimento livre e esclarecido dos participantes. Resultados: A amostra é constituída por 82 dependentes, cuja média de idades é de 79 anos; o tempo médio de dependência é de 2,8 anos; 45,1% são analfabetos e 45,1% possuem o 1º ciclo. A maioria é do sexo feminino (56,1%), casados (40,2%) ou viúvos (36,6%), pensionistas/reformados (66%); dependência de instalação gradual (57,3%) e referenciados pelas Equipas de Gestão das Altas dos hospitais (78%). Relativamente à avaliação da condição de saúde dos dependentes, 29,3% faleceram no período de recolha de dados e 4,9% agudizaram tendo sido internados num hospital diferenciado sem regresso à ULDM no período de reserva de vaga. Os diagnósticos médicos mais referenciados foram: AVC (28%) e pneumonia (26,8%). Na admissão, 80,5% dos casos foram classificados como “grandes dependentes” para todos os 10 domínios do autocuidado avaliados. O score médio de “potencial de reconstrução de autonomia” foi de 12,4 (situando-se este valor entre “sem potencial” e “potencial reduzido”). Quanto ao “compromisso nos processos corporais”, na admissão, verificou-se: úlceras de pressão (39%); rigidez articular (50%); maceração (32,9%); desidratação (4,9%); dor (59,8%); força muscular diminuída (98,8%); expetorar ineficaz (41,5%); ausência de equilíbrio sentado (51,2%) e de pé (84,1%). Verificou-se ainda correlações estatisticamente significativas entre as variáveis principais do estudo. Conclusões: Os dependentes internados nas ULDM deste estudo apresentam uma condição de saúde muito vulnerável. Parte substantiva do suporte que estes dependentes necessitam, implica grande complexidade e intensidade de cuidados, onde os enfermeiros desempenham uma ação profissional muito importante na obtenção de ganhos em saúde. Palavras-Chave: Autocuidado; Dependência; Processos corporais; Potencial de reconstrução de autonomia. Referências Bibliográficas - Hoy, B.; Wagner, I. & Hall, E. (2007). Self-care as a health resource of elders: an integrative review of the concept. Scandinavian Journal of Caring Sciences; 21; 456-466. - Meleis, Afaf (2010). Transitions theory: Middle-Range and Situation-Specific Theories in Nursing Research and Practice. New York: Springer Publishing Company. - Petronilho, Fernando (2012). Autocuidado: Conceito Central da Enfermagem. Coimbra: Formasau Editora. - Portugal – Ministério da Saúde - Decreto-Lei n.º 101/06 – cria a Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados. Diário da República, 1ª Série, (109), 6 de junho de 2006, pp.3856-3865. - Turner, B.J.; Fleming, J.M.; Ownsworth ,T.L. & Cornwell, P.L. (2007). The Transition from Hospital to Home for Individuals With Acquired Brain Injury: A Literature Review and Research Recommendations. Disability and Rehabilitation, 1-24.
TypeArticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/42853
ISSN2182-9284
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:ESE-CIE - Artigos em Revistas Nacionais / Papers in National Journals

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Resumo_Caraterização dos dependentes internados em ULDM.pdf301,95 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID