Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/42533

TitleO ensino doméstico em Portugal: uma abordagem sobre novas epistemologias organizacionais da educação, das subjetividades e dos quotidianos familiares
Other titlesHomeschooling in Portugal: an approach of new organizational epistemologies of education, of subjectivities and everyday life within the families
Author(s)Ribeiro, Álvaro Manuel Chaves
Advisor(s)Palhares, José Augusto
KeywordsEnsino doméstico ( homeschooling)
Parentocracia
Crise da Escola
Organizações educativas
Subjetividades e aprendizagens
Homeschooling
Parentocracy
School crisis
Educational organizations
Subjectivities and learnings
Issue date14-Apr-2016
Abstract(s)O ensino doméstico em Portugal encerra um conhecimento declarativo, processual e contextual. Até ao momento não tem merecido a atenção como objeto de estudo por parte das ciências sociais e da educação, salvo o projeto de investigação que o autor realizou no âmbito do mestrado (Ribeiro, 2010) e que agora culmina com a apresentação desta tese de doutoramento. A partir de uma abordagem sociológica e organizacional, o autor estuda o ensino doméstico como um novo movimento social que não demonstra sinais de desvanecimento desde os anos 1960, assumindo-se mesmo como uma das maiores tendências da privatização da educação. Fundando-se na crítica à instituição escolar, o ensino doméstico tem-se propagado pela inscrição à ideologia da parentocracia da Nova Direita, cuja agenda tem contribuído para o desenvolvimento de ambiências e representações sociais de crise dos sistemas educativos contemporâneos. Observando as crises simultâneas do Estado-providência, do trabalho e do sujeito, o autor avança para o debate sobre a crise da Escola, considerando-a como uma evolução moral intrínseca ao triunfo da lógica mercantil e do retraimento ensimesmado da Escola, prefigurando-se ao investigador como um facto sociológico que interpela os sentidos das estruturas e organizações educativas no atual quadro de modernidade. O esboroar das estruturas intermédias, a fragilização dos laços comunitários, a tendência para a atomização social, entre outros aspetos de distinta espessura sociológica, permitiu também olhar a crise da Escola a partir de um princípio político-filosófico inspirado na valorização neoliberal dos sentidos atuais da autonomia e da autenticidade. O autor discorre ao longo deste trabalho sobre as influências que a Educação Nova, as teses da desescolarização e a educação como restauração têm tido na compreensão da identidade socio-organizacional e dos esquemas organizacionais híbridos do ensino doméstico. Sendo praticado por famílias (ideal-típicas) que desenvolvem o seu quotidiano algures no dipolo ideológico crente-cristão e progressista-libertário, o ensino doméstico inscreve a educação e formação das crianças e jovens nessas matrizes axiológicas, cujas aprendizagens se fazem segundo diferentes graus de in/formalidade. O autor dá expressão às várias perspetivas de aprendizagem que o ensino doméstico encerra, privilegiando uma abordagem qualitativa atenta às epistemologias educativas das famílias, no que se refere particularmente aos papéis do educador e do educando, aos dispositivos didáticos-pedagógicos e sua articulação com as diversas mundividências as sustentam no quotidiano. Desenvolve um “olhar” crítico sobre este fenómeno educativo, propondo uma abordagem inicialmente voltada para as suas dimensões não-formais e informais e que evolui, subsequentemente, para a compreensão da instituição Escola e das suas especificidades organizacionais a partir desse lado de fora, por vezes híbrido e mimético no que à forma escolar diz respeito.
Homeschooling in Portugal encompasses a declarative, procedural, and contextual knowledge. Up until now it hasn’t received the proper attention as a study object by the social sciences and education, with the exception of my research project conducted within the framework of my master’s degree (Ribeiro, 2010) and which now culminates with the presentation of this doctoral thesis. Based on a sociological and organizational approach, the author studies homeschooling as a new social movement, that doesn’t show any fading signs since the 60’s, assuming itself as one of the major trends of the privatization of education. Building on the criticism towards the educational institution, homeschooling has been spreading from the adherence to the parentocracy ideology of the New Right, whose agenda has contributed to the development of social ambiences and representations of the crisis within the contemporary educational systems. By observing the simultaneous crisis of the welfare state, the labor crisis, and the crisis of individuals, the author moves forward to the debate about the school crisis, considering itself as an intrinsic moral evolution for the triumph of the commercial logic and the withdrawal enclosed in itself, that to the researcher prefigures itself as a sociological fact, that calls on the purposes of the educational and organizational structures within the modern framework. The weakening of the intermediate structures, the languishment of the community bonds, and the trend towards social atomization, among other features of distinct sociological dimension, also enabled us to look at the school crisis as a political-philosophical principle, inspired in the neoliberal valorization of the current sense of autonomy and authenticity. Throughout this work, the author discusses about the influences that the New Education, the unschooling theses, and education as restoration have been having on the understanding of socio-organizational identity and the hybrid organizational schemes of homeschooling. Carried out by (ideal-typical) families that develop their practices according to a Christian believer and progressive libertarian ideological dipole, homeschooling includes education and training of children and youth in these axiological matrices, where learning takes place according to different degrees of in/formality.The author gives expression to the various learning perspectives held by homeschooling, favoring a qualitative approach aware of the families’ educational epistemologies, with regard in particular to the roles of educator and student, the pedagogic-didactic devices and their conjunction with the different worldviews held on a daily basis. He develops a “critical eye” about this educational phenomenon, thus proposing an approach initially focused on its non-formal and informal dimensions, evolving, subsequently, to a comprehension of the School institution and its organizational specifications from the outside, sometimes hybrid and mimetic with regards to the school system.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de Doutoramento em Ciências da Educação - Especialidade em Organização e Administração Escolar
URIhttp://hdl.handle.net/1822/42533
AccessRestricted access (UMinho)
Appears in Collections:CIEd - Teses de Doutoramento em Educação / PhD Theses in Education
BUM - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Álvaro Manuel Chaves Ribeiro.pdf
  Restricted access
5,08 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID