Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/42151

TitleProposta metodológica para avaliação audiométrica e da incomodidade do ruído de baixa frequência
Author(s)Alves, Juliana Araújo
Silva, Lígia Torres
Remoaldo, Paula Cristina Almeida
Arezes, P.
Paiva, Filipa Manuela Neto
KeywordsIncomodidade ao ruído
Limiar de audição
Proposta metodológica de avaliação
Ruído de baixa frequência
Testes audiométricos
Low frequency noise
Noise exposure discomfort
Hearing threshold
Methodological proposal for evaluation
Audiometric tests
Issue date2016
PublisherSociedade Portuguesa de Acústica (SPA)
CitationAlves J. A., Silva L. T., Remoaldo P. C., Arezes P. M., Paiva F. Proposta metodológica para avaliação audiométrica e da incomodidade do ruído de baixa frequência, EuroRegio 2016, pp. 1-10, 2340-7441, 2016
Abstract(s)Esta pesquisa tem por objetivo apresentar uma proposta metodológica de avaliação da incomodidade ao ruído, que contribua para a discussão orientada, exclusivamente, para as baixas frequências. O estudo enquadra-se no âmbito de um projeto mais alargado e que se encontra em curso. Este projeto tem por objetivo compreender os impactes da poluição sonora de baixa frequência na qualidade de vida da população e na sustentabilidade dos lugares. A proposta metodológica compreende duas vertentes de análise: a componente objetiva e a subjetiva. A primeira abarca a medição dos níveis sonoros e a gravação do som. A segunda diz respeito à realização de testes audiométricos adaptados iniciados em março de 2016 e compostos por três etapas: a determinação do limiar de audição, a avaliação da incomodidade da exposição ao ruído (usando uma escala de Likert) e a realização de testes cognitivos. A realização dos testes audiométricos adaptados tiveram como base a ISO 8253-1. O procedimento de teste tem uma duração aproximada de 25 minutos. O limiar de audição para os sons puros apresenta intensidades sonoras distintas, sendo variável de indivíduo para indivíduo (variando entre 40 dB â 80 dB para a frequência de 18 Hz; 25 dB â 80 dB para 21 Hz; 40 dB â 75 dB para 39 Hz e 25 dB â 50 dB para 51 Hz). A média dos testes do limiar de audição para o som gravado é de 45 dB. A componente subjetiva de avaliação da incomodidade devida ao ruído é imprescindível para avaliar os impactes do ruído de baixa frequência na qualidade de vida da população.
This research aims to present a methodology for assessing the discomfort to noise exposure, to contribute to the discussion focused exclusively for the low frequencies. The study falls within the scope of an ongoing larger research project. This project aims to understand the impacts of low frequency noise in the population's quality of life and sustainability of the places. The methodology comprises two forms of analysis: the objective and the subjective components. The first covers the measurement of sound levels and sound recording. The second concerns the implementation of adapted audiometric tests that was started in March 2016 and consisting of three stages: determining participants’ hearing thresholds, the evaluation of noise exposure discomfort and the application of cognitive tests. The development of adapted audiometric tests were based on ISO 8253-1. The test procedure has a duration of approximately 25 minutes. The hearing threshold for pure tones has different sound intensities, variable for individual to individual (ranging between 40 dB - 80 dB at the frequency of 18 Hz, 25 dB - 80 dB for 21 Hz, 40 dB - 75 dB to 39 Hz and 25 dB - 50 dB to 51 Hz). The average hearing threshold tests for the recorded sound is 45 dB. The subjective evaluation component of noise exposure discomfort is essential to assess the impact of low frequency noise in the population's quality of life.
TypeConference paper
URIhttp://hdl.handle.net/1822/42151
ISSN2340-7441
978-84-87985-27-0
Peer-Reviewedno
AccessOpen access
Appears in Collections:C-TAC - Comunicações a Conferências Nacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2290-153.pdf657,04 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID