Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/42095

TitleGestão de stresse nas organizações: realidade ou mito?
Author(s)Flores, Ricardo Santos
Advisor(s)Machado, Carolina Feliciana Sá Cunha
Ribeiro, José João Correia Leite
KeywordsGestão
Stresse
Organização
Prevenção
Boas práticas
Management
Stress
Organization
Prevention
Good practices
Issue date2016
Abstract(s)A presente dissertação elaborada no âmbito do Mestrado em Gestão de Recursos Humanos da Universidade do Minho, procura abordar a problemática subjacente à gestão do stresse nas organizações, a qual, dando particular enfoque à gestão do stresse relacionado com o trabalho nas organizações que se revela como um tema atual, transversal, sensível e também alvo de algum debate e objeto de estudo em diversas investigações. Presente no nosso quotidiano desde há muito tempo, os efeitos positivos e negativos do stresse, a nível profissional bem como pessoal são, na atualidade do conhecimento geral. O mundo empresarial e a sua gestão são deveras complexos e competitivos. Neste campo, o stresse poderá ser provocado por uma multiplicidade de fatores causadores e/ou potenciadores no cenário de trabalho como tipos de estruturas organizacionais, fatores culturais, económicos e financeiros, métodos de gestão, incoerências de gestão, estilos de liderança, perceção de papel hierárquico e funcional, sectores de atividade, áreas de negócios, sistemas de informação/comunicação desadequados ou mal utilizados bem como desajustamentos entre os colaboradores e o trabalho, condições de trabalho e possíveis desajustes de expectativas. Daí, cada profissional, neste caso o(s) gestor(es), face à variadíssima diversidade de dificuldades e entre objetivos a seguir e decisões a tomar, terão de conseguir fazer com que a sua missão seja cumprida de uma maneira eficiente e ao mesmo tempo eficaz. A gestão do stresse não deve ser negligenciada e deverá ser facilitador de um modelo de boa gestão organizacional. Nos tempos de hoje, a gestão de stresse nas organizações será objeto de estudo na medida em que se salientará se os gestores poderão fazer a diferença na forma como gerem os seus colaboradores valorizando a antecipação e o diagnóstico do stresse na sua organização bem como na gestão do seu capital humano. Estes gestores deverão executar no seu projeto de gestão formas de diagnosticar, abordar as dificuldades e obstáculos e gerir o stresse evidenciado nos seus colaboradores para que estes não condicionem a produtividade da organização bem como a sua condição física e bem-estar pessoal o que de certa forma poderá vir a afetar o seu desempenho de funções. Com base nesta investigação e através de uma metodologia de natureza qualitativa pretendeu-se compreender o fenómeno da gestão do stresse do ponto de vista dos gestores (participantes) pressupondo desta forma, que os diversos intervenientes adotem uma postura ativa e participativa em todo o processo. De forma a enfatizar a temática e sua aplicabilidade, procede-se a um estudo de caso em organizações detentoras de sistemas de gestão de referência que possibilitará a investigação de um fenómeno dentro do seu contexto real, procurando verificar, por um lado, se existem (ou não) boas práticas de gestão relativas ao stresse e, por outro lado, de que forma estas são aplicadas nas organizações na atualidade. Por fim procurar saber se a gestão de stresse (quando assente nos pilares de gestão e nas boas práticas) de uma organização trará um feedback positivo com resultados práticos, visíveis a médio-longo prazo e sustentáveis tornando-se numa das metas/objetivos dos gestores de pequenas, médias e grandes organizações. O presente estudo demonstra-se como descritivo, transversal, pretendendo contribuir para uma melhor compreensão do stresse relacionado com o trabalho nas organizações, deixando ciente que ainda há muito para fazer relativamente à gestão do stresse na esfera organizacional.
This thesis elaborated in the Master in Human Resource Management at the University of Minho, seeks to address the underlying problems of stress management in organizations with particular focus on the management of stress related to work in organizations that reveals how a current topic, cross, sensitive and also the subject of some debate and subject matter in various investigations. Present in our daily lives for a long time, the positive and negative effects of stress, professional and personal level are today generally known. The business world and its management are indeed complex and competitive. In this field, the stress can be caused by a multiplicity of causative factors and/or enhancers at work scenario as types of organizational structures, cultural, economic and financial factors, management methods, management inconsistencies, leadership styles, paper perception hierarchical and functional activity sectors, business areas, information systems/inadequate communication or misused and mismatches between employees and labor, working conditions and possible mismatches expectations. Hence, each professional, in this case(s) manager(s), given the very varied range of difficulties and between following goals and decisions to be taken will have to be able to make its mission is accomplished in an efficient manner and at the same effective. The stress management should not be neglected and should be a facilitator of good organizational management model Nowadays, the stress management in organizations will be object of study in that it will stand out if managers can make a difference in how they manage their employees valuing the anticipation and the diagnosis of stress in their organization and management of its human capital. These managers should perform in your project management ways to diagnose , address the difficulties and obstacles and manage evidenced stress in their employees so that they do not constrain the productivity of the organization as well as their physical condition and personal welfare which in a so is likely to affect the performance of functions. This research tries to know through a qualitative methodology to understand the phenomenon of stress management from the perspective of managers (participants) assuming this way, the various stakeholders adopt an active and participatory attitude in the whole process. In order to emphasize the theme and its applicability, the procedure is a case study in organizations with reference management systems that allow the investigation of a phenomenon within its real context, seeking to ascertain, first, whether there (or not) good management practices related to stress and on the other hand, how these are applied in organizations today. Finally to whether the stress management (when based on the pillars of management and best practice) of an organization will have a positive feedback with practical, visible results in the medium to long term and sustainable making it one of the goals/objectives of managers small, medium and large organizations. The present study demonstrates how descriptive , transversal and contributing to a better understanding of work -related stress in organizations , leaving aware that there is still much to do on the management of stress in the organizational sphere.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Gestão de Recursos Humanos
URIhttp://hdl.handle.net/1822/42095
AccessEmbargoed access (3 Years)
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado
EEG - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ricardo Santos Flores.pdf
  Restricted access
1,09 MBAdobe PDFView/Open    Request a copy!

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID