Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/41690

TitleMemórias de cuidados parentais na infância, estilo de vinculação, qualidade da relação com pessoas significativas, perturbação psicopatológica e aliança terapêutica (estudo exploratório)
Other titlesMemories of child parental care, attachment style, quality of relationship with significant persons, psychopathological disorder and working allias (exploratory study)
Author(s)Costa, Raquel A.
Pacheco, Alexandra
Figueiredo, Bárbara
KeywordsMemórias de cuidados parentais na infância
Estilo de vinculação
Qualidade da relação com pessoas significativas
Perturbação psicopatológica
Aliança terapêutica
Resultados psicoterapêuticos
Memories of child parental care;
Attachment style
Quality of the relationship with significant persons
Psychopathological disorder
Working alliance
Therapeutic outcomes
Issue date2002
PublisherUniversidade do Minho. Centro de Estudos em Educação e Psicologia (CEEP)
JournalPsicologia: Teoria, Investigação e Prática
CitationCosta, R., Pacheco, A., & Figueiredo, B. (2002). Memórias de cuidados parentais na infância, estilo de vinculação, qualidade da relação com pessoas significativas, perturbação psicopatológica e aliança terapêutica (estudo exploratório). Psicologia: Teoria, Investigação e Prática, 7(1), 87-108
Abstract(s)Esta investigação teve por objectivo explorar: a) a influência das memórias de cuidados parentais na infância, do estilo de vinculação, da qualidade da relação com pessoas significativas e da perturbação psicopatológica na qualidade da aliança terapêutica; b) a relação entre a qualidade da aliança terapêutica e os resultados psicoterapêuticos; e, c) a relação entre as mudanças na qualidade da aliança terapêutica e os resultados psicoterapêuticos. Uma amostra de 20 mães adolescentes foi avaliada, na primeira e na última (16.ª) sessão de uma intervenção psicoterapâutica, quanto às memórias de cuidados parentais na infância (EMBU), ao estilo de vinculação (ASI), ao suporte social (SESS) e à presença de perturbação psicopatológica (BSI). Tanto na 4.ª como na última sessão, pacientes e psicoterapeutas responderam a medidas de aliança terapêutica (WAI). Os resultados sugerem a existência de relações significativas entre algumas características psicológicas do paciente e a percepção da aliança terapêutica inicial, quer por parte do paciente quer por parte do terapeuta. Sugerem ainda que uma percepção positiva da aliança terapêutica, por parte do terapeuta, no início do processo terapêutico, está positivamente relacionada com os ganhos psicoterapêuticos do paciente, em termos da redução da sintomatologia psicopatológica. Os ganhos psicoterapêuticos do paciente, ao nível do estilo de vinculação e da qualidade das relações significativas, estão positivamente relacionados com uma percepção positiva da qualidade da aliança terapêutica, por parte do paciente, na última sessão. Contudo, as mudanças psicoterapêuticas positivas associadas à intervenção não parecem estar exclusivamente relacionadas com o aumento da qualidade da aliança terapêutica, observada entre o paciente e o terapeuta.
The aim of this study is to explore a) the influence of the memories of infant parental care, the attachment style, the quality of the relationship with a significant person and of the psychopathological disorder is the quality of the working alliance, b) the relation between the working alliance and therapeutic outcomes and c) the relation between changes on the working alliance and therapeutic outcomes. A sample of 20 teenage mothers was evaluated in the first and last (16.ª) therapeutic session, regarding the memories of the parental care in childhood, the attachment style, the quality of the social support and psychopathological symptoms. In the forth and in the last session, both clients and therapists completed a measure of the working alliance. The results suggest that there is a significant connection between some psychological characteristics of the client and the perception of both client and therapist about the working alliance. the initial perception of the therapist about the working alliance is related with the client therapeutic gains concerning the psychological symptoms. The therapeutic outcomes, regarding she attachment style and the quality of the relationship with significant persons, are positively related with a better perception of the client about the working alliance in the last session. Nevertheless, the positive therapeutic outcomes don't seem to be exclusively related with a better perception of the working alliance through the therapeutic intervention.
TypeArticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/41690
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CIPsi - Artigos (Papers)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2002_Memorias_de_cuidados_parentais_na_infancia.pdf1,93 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID