Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/38509

TítuloAcordo Ortográfico da Língua Portuguesa e o significado da lusofonia: análise comparativa
Outro(s) título(s)The Portuguese Language Orthographic Agreement and the meaning of Lusophony: comparative analysis
Autor(es)Carvalho, Michelly Santos de
Orientador(es)Cabecinhas, Rosa
Magalhães, Laerte
Palavras-chaveAcordo ortográfico da língua portuguesa
Políticas linguísticas
Identidade
CPLP
Lusofonia
Orthographic agreement
Language policies
Identity
Lusophony
Data26-Mai-2015
Resumo(s)O estudo das representações sociais sobre o Acordo Ortográfico (AO) enquadra-se no âmbito das investigações sobre políticas da língua e questões identitárias no que toca a Lusofonia. São muitos os trabalhos realizados sobre as diversas vertentes da política da língua seja no âmbito histórico, como em relação ao mapeamento dessas políticas nos diversos países, bem como a respeito dos discursos e identidades no Espaço Lusófono. Entretanto, ainda são poucas as investigações direcionadas especialmente para o Acordo. Durante a realização de nossa investigação a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa contava com oito países membros: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Conforme o Diário da República Nº 193 (1991: 4382), a presença de duas ortografias oficiais da Língua Portuguesa, a europeia e a brasileira, tem sido ao longo dos anos considerada como prejudicial para a unidade intercontinental do português e para o seu prestígio mundial. Mesmo sendo a sexta língua mais falada no globo e a quinta mais empregada na internet (Internet World Stats, 2013), tem obtido poucos resultados na tentativa de oficializar-se como língua de trabalho nos organismos internacionais. Desta forma, conforme os idealizadores do Acordo, a ideia é a partir deste tratado projetar de forma mais intensa o português pelo mundo, contribuir para uma maior unidade entre os Estados membros da CPLP e promover o intercâmbio cultural entre esses países. Neste trabalho apresentamos dois estudos sobre as representações sociais a respeito do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. Ambos os estudos foram desenvolvidos com estudantes universitários do primeiro ciclo, por meio da metodologia dos grupos focais e análise temática. Um dos estudos foi realizado em Portugal, na Universidade do Minho, e o outro no Brasil, na Universidade Federal do Piauí, permitindo assim realizar uma análise comparativa.
The study of social representations on the Orthographic Agreement fits into the investigation on language policies and identity issues, into the context of Lusophony. The theoretical framework on this subject already includes a vast research on distinct aspects of language policy as in its historical context, with regards to these policies’ mapping in different countries, as well as about the discourses and identities in the Lusophony area. However, there are still few studies especially addressed to the Orthographic Agreement. During the course of this investigation, the Community of Portuguese Language Speaking Countries (CPLP) had eight member countries: Angola, Brazil, Cape Verde, Guinea-Bissau, Mozambique, Portugal, Sao Tome and Principe and East Timor. According to the Diário da República nº. 193 (1991: 4382), the existence of two official Portuguese orthographies – the European and the Brazilian one – has been over the years considered prejudicial to an intercontinental unity of the language, as well as to its global prestige. Even being the sixth most spoken language in the globe and the fifth most used on the Internet (Internet World Stats, 2013), the attempt of formalizing it as a working language in several international organizations has had too few results. Thus, according to the Orthographic Agreement developers, the idea behind the treaty is to contribute more intensely to the boost of the Portuguese language all over the world, helping strengthening the ties among all the CPLP members and also promoting a cultural exchange within these countries. This thesis presents two empirical studies on the social representations of the Portuguese Language Orthographic Agreement. The studies were developed with undergraduate students, using the methodology of focus groups and thematic analysis. One study was developed in Portugal, Universidade do Minho, and the other in Brazil, Universidade Federal do Piauí), enabling a comparative analysis.
TipodoctoralThesis
DescriçãoTese de Doutoramento em Ciências da Comunicação (área de especialização em Sociologia da Comunicação e da Informação).
URIhttp://hdl.handle.net/1822/38509
AcessorestrictedAccess
Aparece nas coleções:CECS - Teses de doutoramento / PhD theses
BUM - Teses de Doutoramento

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese_Michelly_Santos _de_Carvalho_Final.pdf1,59 MBAdobe PDFVer/Abrir  Solicitar cópia ao autor!

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis