Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/38023

TitleOnde está o Wally? (In)visibilidades sobre mulheres e política nas práticas de receção jornalística
Other titlesWhere’s Wally? (In)visibilities about women and politics in journalistic reception practices
Author(s)Santos, Anabela Moreira
Cabecinhas, Rosa
Cerqueira, Carla Preciosa Braga
KeywordsEstudos de receção
Mulheres e política
Representações mediáticas
Estudos feministas dos média
Reception studies
Women and politics
Media representations
Feminist media studie
Feminist media studies
Issue date2015
PublisherObservatório da Comunicação (OberCom)
JournalObservatorio (OBS*) Journal
Abstract(s)Este artigo analisa o modo como os públicos jovens compreendem, interpretam e se posicionam em relação às representações mediáticas de mulheres que desempenham cargos políticos. Com base na análise do material que resultou da realização de grupos focais, este artigo mostra que a existência de assimetrias de género nos média informativos não é considerada pelos públicos (jovens) como uma questão relevante. A maioria das/os participantes adotou posicionamentos tranquilizadores relativamente à representação qualitativa de mulheres que exercem cargos políticos, tendo revelado a falta de consciência crítica sobre as consequências da manutenção de relações de poder desiguais no contexto mediático. Além disso, procurando explicar as causas subjacentes aos paradigmas representacionais identificados, as/os participantes raramente questionaram os fatores económicos, socioculturais e políticos que influem na produção noticiosa. Enformado por uma perspetiva feminista, este estudo sublinha, assim, a necessidade de promover a literacia crítica mediática juntos dos públicos com vista à desconstrução de assunções de género hegemónicas, bem como de se refletir sobre os eventuais impactos das representações mediáticas ao nível da (re)configuração do espaço político/público.
This paper examines the way in which young audiences understand, interpret and position themselves in relation to media representations of women politicians. Based on the analysis of focus group data, this paper shows that the existence of gender asymmetries in the news media is not considered by (young) audiences as a relevant issue. Most participants adopted reassuring attitudes towards qualitative representation of women politicians, having shown a lack of critical awareness about the consequences of the maintenance of unequal power relations in the media context. Moreover, in an attempt to explain the causes of the representational paradigms identified, participants rarely questioned the economic, socio-cultural and political factors that exert influence on the news production. Informed by a feminist perspective, this study therefore asserts the ned to promote critical media literacy projects to deconstruct hegemonic gender assumptions, as well as to reflect about the impact of the media representations on the (re)configuration of the political/public sphere
TypeArticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/38023
ISSN1646-5954
Publisher versionhttp://obs.obercom.pt/index.php/obs/article/viewFile/796/697
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CECS - Artigos em revistas nacionais / Articles in national journals

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AS_RC_CC_obercom2015.pdfArtigo em revista científica nacional390,57 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID