Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/37630

TitleA competência fonológica de falantes bilingues luso-alemães: um estudo sobre sotaque global, compreensibilidade e inteligibilidade da sua língua de herança
Author(s)Rato, Anabela
Flores, Cristina
Neves, Daniela Cunha
Oliveira, Diana
KeywordsLíngua de herança
Sotaque global
compreensibilidade
inteligibilidade
Issue date31-Jul-2015
PublisherUniversidade do Minho. Centro de Estudos Humanísticos (CEHUM)
JournalDiacrítica
Abstract(s)Na área da perceção e produção de uma L2, a idade de aquisição e a quantidade e qualidade de exposição à língua-alvo são considerados fatores determinantes no desenvolvimento de um sotaque global (quase) nativo. O presente estudo avalia o efeito relativo destes dois fatores na competência fonológica de falantes de herança de português europeu (PE). Enunciados orais produzidos por doze falantes bilingues de português e alemão, residentes na Alemanha, seis falantes monolin L2, foram avaliados em termos de sotaque nativo/não nativo, compreensibilidade e inteligibilidade. Os resultados evidenciam que, a nível de sotaque, os falantes bilingues apresentam resultados muito próximos dos de falantes nativos de PE, o que parece indicar que a exposição precoce à língua é um forte preditor de desenvolvimento de sotaque global nativo. A avaliação do grau de compreensibilidade também indica uma aproximação do desempenho dos falantes bilingues ao dos monolingues.
In the field of L2 perception and production, age of acquisition and amount and quality of exposure to the target language are crucial factors in the development of a global (near) native-like accent. This study evaluates the effect of these two factors on the phonetic competence of heritage speakers of European Portuguese (EP). The oral productions of twelve speakers of EP as a heritage language, who live in Germany, six EP monolingual speakers and six native speakers of German, who are proficient users of EP as a L2, were evaluated in terms of native/non-native accent, comprehensibility and intelligibility of speech. Regarding their accent, the results show that bilingual speakers were globally perceived as native speakers of EP, which seems to indicate that early exposure to a language is a strong predictor of global native accent development. The assessment of comprehensibility also yielded similar results for bilingual and monolingual speakers.
TypeArticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/37630
ISSN0807-8967
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CEHUM - Artigos publicados em revistas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Rato et al. 2015.pdfDocumento principal3,15 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID