Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/35652

TitleA morte e a salvação da alma na Braga setecentista
Other titlesDeath and the soul salvation in XVIII century Braga
Author(s)Ferraz, Norberto Tiago Gonçalves
Advisor(s)Araújo, Maria Marta Lobo de
Issue date9-Dec-2014
Abstract(s)O nosso trabalho resulta da investigação realizada sobre a morte em Braga no século XVIII, dando a conhecer as suas diferentes vivências e a forma como todos os fiéis almejavam a salvação da alma. A morte implicava uma experiência de vida a dois níveis: o corporal, relacionado com os rituais e procedimentos a ter com os restos mortais dos defuntos; e o espiritual, no qual a importância da salvação da alma fazia movimentar um conjunto diversificado de indivíduos e coletividades, em torno de práticas cultuais, tendo por fim a entrada das almas no Paraíso. Estas duas dimensões da vivência social da morte eram enquadradas, na Idade Moderna, pela pregação religiosa da Igreja Católica, que então consagrou o Purgatório como etapa imprescindível de passagem para todas as almas que deviam ser purificadas, antes de alcançarem a glória eterna. A estadia das almas neste local de expiação e sofrimento podia ser abreviada, segundo os preceitos teológicos, através da celebração de serviços religiosos, como as missas. Os fiéis deviam seguir diariamente os ditâmes comportamentais e espirituais da Igreja, como forma de estarem preparados para o surgimento da morte. Todavia, quando se tornasse patente que a vida das pessoas estava em risco, estas deviam solicitar a presença do sacerdote para dele receberem os sacramentos e o conforto espiritual necessário aos últimos momentos. Dos familiares, amigos e vizinhos esperava-se igualmente a sua presença e apoio, através das suas orações, para que o agonizante fosse acolhido por Deus. Ao mesmo tempo, o moribundo devia efetuar o testamento, por forma a deixar definidas não só as questões materiais, como também as determinações relativamente ao destino do corpo e aos socorros espirituais para a alma, que deviam ter lugar. O indivíduo encomendava-se a Deus e pedia o auxílio dos intercessores celestes para a sua causa. O cuidado e o respeito devidos aos restos mortais dos defuntos eram fundamentais. Procurámos, pois, apresentar de que modo os habitantes da cidade de Braga pretendiam ver os seus corpos amortalhados e velados. O acompanhamento dos defuntos à sua última morada era um momento solene, para o qual eram convocados familiares e amigos, mas também o clero e as confrarias da cidade. As igrejas paroquiais e confraternais constituíam-se como os principais locais de repouso dos defuntos, aguardando o juízo final. De facto, muitas confrarias bracarenses detinham um papel importante, quer no acompanhamento à sepultura dos seus confrades e de outros fiéis falecidos, quer no tumulamento dos mortos. Mas se o destino do corpo era importante, a preocupação com a salvação da alma era fundamental. Assim, analisámos as missas solicitadas pelos fiéis para este fim e a sua redução no final do século XVIII. Neste aspeto particular, as confrarias locais desempenhavam um papel importante na assistência espiritual às almas dos seus membros, determinando a celebração de sufrágios que conheceram um forte acréscimo, na primeira metade setecentista. Estas instituições constituíram-se igualmente como recetoras de legados de missas perpétuas, destinadas à salvação da alma. Todavia, a segunda metade do século XVIII assistiu a uma redução no número de legados recebidos, bem como a uma crescente dificuldade confraternal no cumprimento das obrigações pias por eles determinadas. Este facto, associado à redução dos sufrágios não perpétuos, solicitados para depois do enterro, são sintomas de uma crise na forma como a vivência da morte e do Purgatório estavam estruturados. Detivemos igualmente o nosso enfoque sobre os principais locais de celebração sufrágica, analisando a relevância dos altares privilegiados. Procurámos também estudar as caraterísticas dos elementos do clero, em especial os que estavam ao serviço confraternal, os quais possibilitavam o funcionamento regular deste setor sócio-religoso e as suas relações, nem sempre pacíficas, com os indivíduos e organizações que serviam.
Our work is the result of an investigation done about death in Braga in the XVIII century, making to know the diferent ways of living it and the way how all the faithful wanted their soul´s salvation. Death implicated two levels of experiencie: the body one, related to the rituals and procedures to have with the mortal remains of the dead; and the spiritual, in wich the importance of soul salvation made a diversified group of individuals and coletivities move, around cultual practices, with the purpose of the entry of souls in Paradise. These two dimensions of the social experience of death were backgrounded, in Modern Age, by the religious preaching of the Catholic Chruch, wich then consacrated Purgatory as an indispensable step of passage for all souls that needed to be purified, before reaching eternal glory. The permanence of souls in this place of expiation and suffering could be shortened, accordind to theological precepts, through the celebration of religious services, like the masses. The faithful should always follow the comportamental and spiritual rules odf the Church, so they could be prepared for the apearance of death. However, when it was plain obvious that one´s life was at risk, he should demand the presence of a priest to receive the sacraments and the necessary spiritual confort for his last moments. People hoped that their relatives, friends and neighbours were also present, and could support with their prayers, in order to be welcomed in the after life by God. At the same time the dying one should made his testament, in a way that his material matters were defined, but also to determinate his body destiny and the spiritual help that should take place. The individual delivered himself to God and asked the help of celestial intercessors, for his cause. The care and respect towards the mortal remains fo the dead, were fundamental. So, we wanted to present in wich way the habitants of the city wanted to see their bodies dressed up and vigilated. The acompaniement of the deceased to their last adress was a solenm ocasion, to wich relatives, friends but also the clergy and the confraternities were called. The parochial and confraternal churches were the main rest places for the deceased, waiting the final judgement. In fact, many confraternities of Braga had an importante paper, in the acompaniement of their dead coleagues and other faithful, and in the burial of the deceased. But if the destiny of the body was important, the preocupation with the salvation of the soul was fundamental. In so, we analised the masses asked by the faithful with this purpose and their reduction in the latest parto of the XVIII century. In this particular topic, the local confraternities had an important paper in the spiritual assistance to the souls of their brethrens, determinating the celebration of masses that saw a great growing, on the first half of the XVIII century. These institutions also made themselves as receivers of legacys of perpetual masses, destinated to the salvation of the soul. However, the second half of the XVIII century saw a reduction in the number of legacys received, and a growing confraternal dificulty in the fulfillment of the pious obligations determinated by them, as well. This fact, associated with the reduction of the non perpetual masses, solicitated to be celebrated after the burial, are syntomns of a crisis in the way how the living experiencie of death and the idea of Purgatory were structured. We also stood our focus on the main places of celebration, analising the relevance of the privileged altars. We also looked to study the characteristics of the clergy elements, particulary those who were at confraternal service and that made possible the regular running of this social-religious sector, as well as their relations, not always peaceful, with the individuals and organizations that they worked for.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de doutoramento em História (ramo do conhecimento em Idade Moderna)
URIhttp://hdl.handle.net/1822/35652
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
DH - Teses de Doutoramento/PhD Theses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese.pdf7,54 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID