Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/34221

Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorSilva, Elsa Costa epor
dc.contributor.editorReis, Ana Isabel-
dc.contributor.editorRibeiro, Fábio-
dc.contributor.editorPortela, Pedro-
dc.date.accessioned2015-03-05T15:53:07Z-
dc.date.available2015-03-05T15:53:07Z-
dc.date.issued2014-12-
dc.identifier.isbn978-989-8600-33-2por
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1822/34221-
dc.description.abstract(Excerto) O enquadramento legal da propriedade de empresas de radiodifusão em Portugal regula sobretudo o universo da rádio local. Com o ordenamento do espectro radioelétrico estabelecido pela Lei nº 87/88, de 30 de julho, a partir do desenho do mapa de frequências no território português, ficou também determinada a salvaguarda dos direitos adquiridos pela Rádio Renascença e pela empresa estatal RDP – as únicas emissoras com cobertura nacional. A nível regional, existem apenas duas frequências, cuja concessão foi sujeita a concurso em 1990, uma a Norte (ganha pela Rádio Press) e outra a Sul (atribuída à Rádio Correio da Manhã). A criação em 1992 da Rádio Comercial, por cisão da RDP decidida pelo Governo, e alienada no ano seguinte ao grupo Carlos Barbosa, não alterou significativamente este panorama. Deste modo, a propriedade das empresas emissoras de cobertura nacional ou regional ficou relativamente estabilizada. Não houve alterações significativas no que diz respeito à presença do Estado ou da Igreja Católica na atividade de radiodifusão, exceto pelo reforço dessa presença. O grupo Renascença, por exemplo, que detinha o canal 1 da RR e o segundo canal RFM, tem ainda duas outras marcas: a Mega FM (para públicos jovens) e a Rádio Sim (para uma audiência mais idosa). As duas frequências regionais acabaram por integrar o universo de dois grupos multimediáticos portugueses: a Norte, a frequência é usada na rede da TSF (parte do grupo Lusomundo desde 1994 e agora da Controlinveste) e a Correio da Manhã Rádio, assim como a Rádio Comercial, acabaram por incorporar o grupo Media Capital.por
dc.description.sponsorshipFundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT)por
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade do Minho. Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS)por
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectRádios locaispor
dc.subjectRegulaçãopor
dc.subjectConcentraçãopor
dc.titleRádios locais: concentração e regulaçãopor
dc.typebookPart-
dc.relation.publisherversionwww.lasics.uminho.pt/ojs/index.php/cecs_ebooks/issue/view/165por
oaire.citationStartPage43por
oaire.citationEndPage59por
oaire.citationTitleDas piratas à Internet : 25 anos de rádios locaispor
dc.subject.fosCiências Sociais::Ciências da Comunicaçãopor
sdum.bookTitleDas piratas à Internet : 25 anos de rádios locaispor
Appears in Collections:CECS - Livros e capítulo de livros / Books and book chapters

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ECS_e-book_radios_locais.pdfCapítulo de livro298,16 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID