Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/33454

TitlePresos sem serem presos: representações sociais sobre a profissão e a vida prisional em guardas prisionais
Author(s)Costa, Daniela Dias da
Advisor(s)Machado, Helena
KeywordsGuardas prisionais
Stresse
Riscos
(In)satisfação profissional
Prison guards
Stress
Risks
Professional (in)satisfaction
Issue date2014
Abstract(s)Os estudos ligados ao contexto prisional focalizam-se, na sua grande maioria, nos reclusos. Contudo, é ainda escassa a investigação sobre os impactos da vida prisional nos guardas prisionais, nomeadamente, no que diz respeito às suas representações em torno dos riscos, especificidades, vantagens e desvantagens do exercício da sua profissão. O presente estudo intitulado por “Presos sem serem Presos: Representações Sociais sobre a Profissão e a Vida Prisional em Guardas Prisionais”, visa contribuir para a compreensão das atribuições de sentido à profissão e à vida prisional da parte deste grupo, focando tópicos como avaliação de riscos profissionais a que os guardas prisionais poderão estar sujeitos, exposição a fenómenos que causam stresse e desgaste profissional, bem como o seu grau de (in)satisfação com a sua vida profissional. A investigação decorreu no Estabelecimento Prisional Regional de Guimarães, entre dezembro de 2012 e janeiro de 2013, sendo que da amostra fizeram parte, de forma voluntária, dez guardas prisionais, visando-se sobretudo atingir uma representatividade teórica assente na exemplaridade e diversidade. Assim, a fim de atingir os objetivos propostos, optou-se pelo método qualitativo, através da aplicação de entrevistas semiestruturadas como instrumento de recolha de dados. De uma forma geral, este estudo revela que a profissão de guarda prisional é desgastante, pelo facto destes terem de lidar com várias situações constrangedoras, as quais colocam à prova os seus limites e afetam a sua saúde, bem como as suas relações sociais e familiares.
Prison studies have so far mostly focused the prisoners. It is still scant research on the impacts of prison life in prison guards, in particular with regard to their representations around the risks, characteristics, advantages and disadvantages of the exercise of their profession. The present study entitled "Locked without being Prisoners: Social Representations of the Occupation and the Prison Life in Prison Guards", aims to contribute to the understanding of the views and construction of meaning towards the profession and the prison life produced by this group, focusing on topics such as assessment of risks that prison guards may be subjected to, exposure to stressful events as well their degree of (dis)satisfaction with their professional life. The research took place in Guimarães Regional Prison, between December 2012 and January 2013. The sample was constituted by ten prison guards who have volunteered to participate in the study. This convenience sample aimed to reach a theoretical representation based on exemplary and diversity. In order to achieve the proposed objectives, we chose the qualitative method, by applying semi-structured interviews as a tool for data collection. Overall, this study reveals that the profession of prison guard is exhausting, because they have to deal with several embarrassing situations, which put to the test their limits and affect their health as well as their social and family relationships.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Crime Diferença e Desigualdade
URIhttp://hdl.handle.net/1822/33454
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado
DS - Dissertações de mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Daniela Dias da Costa.pdf7,37 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID